O que nos resta
Ovni Cius
Tipo: Lírico
Postado: 16/10/18 13:15
Editado: 16/10/18 13:18
Gênero(s): Poema
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 59seg a 1min
Apreciadores: 4
Comentários: 1
Total de Visualizações: 200
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 158
[Texto Divulgado] " Bicicleta" "Meu bem, a vida é como andar de bicicleta, só chegamos a algum lugar se aprendermos a cair e se nos movimentarmos."
Livre para todos os públicos
Capítulo Único O que nos resta

No fim das contas...

sim, no fim das contas...

E haverá fim... e haverá contas?

Sim, no fim das contas...

Três casos de amor fracassados...

Quarenta diários escritos:

pura desolação, perdição...

Ânimo! Há muita estrada pela frente.

Sim, pela frente... E por trás

a estrada que fica... como sonho...

Caminhadas solitárias pela cidade...

Semblante lúgubre...

A juventude? O auge da juventude?

Não, nada, apenas ribanceiras...

O Brasil... Ah, o Brasil...

Esse monstro, essa máquina...

A ascensão do neofascismo...

O cansaço das eras...

O niilismo global...

Os seres humanos...

cobaias de experimentos científicos...

psiquiatras nazistas...

dissecando corpos vivos...

Bela humanidade...

Sacrifiquemo-nos por ela,

a humanidade...

Um quartinho qualquer,

uma resignação infinita,

é o que nos resta.

Sem dinheiro ou

perspectivas.

É o que nos resta.

Assistir aos filmes,

todos os filmes,

ou o máximo possível,

até cansar.

Ter em mente todas as narrativas,

todas as possibilidades de vida,

e continuar na realidade,

nesta tristeza de ser só

e só.

❖❖❖
Notas de Rodapé

"Existem para o pobre neste mundo duas grandes maneiras de morrer, seja pela indiferença absoluta de seus semelhantes em tempos de paz, seja pela paixão homicida dos mesmos quando chega a guerra. Se se põe a pensar em você, é na sua tortura que pensam logo, os outros, e só nisso. Não os interessamos a não ser sangrando, a esses canalhas! Princhard quanto a isso tinha toda a razão. Na iminência do matadouro, já não especulamos muito sobre as coisas de nosso futuro."

Trecho de Viagem ao fim da noite.

Apreciadores (4)
Comentários (1)
Postado 18/10/18 19:26

De vez em quando, eu me pergunto se o mundo é tão terrível assim. Ora acho que sim, que somos apenas gado, ora acho que não, que somos apenas exagerados.

De qualquer forma, decidimos seguir em frente, o que é um claro sinal de esperança. E se há esperança, há de haver algo de bom.