Bancadas e Vidas da Viseira
Amara Helena
Tipo: Lírico
Postado: 01/11/18 17:56
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 39seg a 52seg
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 36
Usuários que Visualizaram: 3
Palavras: 105
[Texto Divulgado] "Tempestade" Porque eu sou como uma força da natureza, não tente me parar. Isso é tudo o que eu te peço.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Pra quem não sabe, meu nome verdadeiro é Bianca. Este poema foi escrito para um concurso de poemas de um sarau de Geografia que os alunos do curso oorganizaram para os demais. Como sou intrometida, fui me meter lá, mas não ganhei.

Capítulo Único Bancadas e Vidas da Viseira

A Bíblia, a bala e o boi

O Coronel e o vaqueiro

A curupiada do sertão

As quais protegem minha desvairada vida

Que devo a lobisomice brasileira

Conquanto cato os pedaços de minha terra

À susserania do chão

E ao deus do chicote

Derrubo meus cáquitos

Meu suor, meu sangue

Meus fluidos

Por uma esperança dicotômica

À minha realidade de ilusões

Não sou bicho

Não sou onça

Não sou homem

Sou um Capitão-do-Mato

Rebaixado à cidadão

Vejo fogo

Vejo morte

Vejo dor

Mas não meu sustento

E por mais que eu seja deixado ao relento

Ainda levo fé em meus Mestre

Meu patrão

Meu sofrimento

❖❖❖
Notas de Rodapé

Eu não sou boa com poemas. Pelo menos comi os bombons da caixa de chocolate do prêmio pq sou amiga de quem ganhou sjdjdks

Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 01/11/18 19:30

Pelo menos você foi lá e participou, como dizem as bocas: colocou a cara a tapa.

Você tentou o seu melhor... Boa iniciativa.

Agradeço por compartilhar sua iniciativa.

<3

Outras obras de Amara Helena

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo