Starboy
Gatriel
Tipo: Lírico
Postado: 30/11/18 03:32
Editado: 15/12/18 21:27
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 57
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 271
[Texto Divulgado] "Descartável" Sabe, eu costumo fazer uso da escrita para desabafar, às vezes da fala também (mas não se pode falar por aqui). A questão deste poema é justamente esta: por que diabos você nem ao menos me escreveu adeus? Foi um descarte, como se o ser humano fosse descartável. Talvez aqui fique, já, uma ressalva: Não confunda às coisas, você não pode comprar tudo. E mais uma lembrança: O ser humano sente! (Parece óbvio, não?) Mas, acredite, há pessoas que parecem ter dificuldades de compreender isso. Boa leitura :*
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Starboy

Era uma vez

Um garoto que amava o céu

De todas as formas e todos os jeitos

Amava-o estivesse ele limpo ou nublado

Estivesse ele claro ou estrelado

Fosse dia ou fosse noite

Amava todas as suas cores

Pelo céu, morria de amores

Amava intrísecamente, então, tudo que o compunha

Amava as nuvens, pois elas eram o traços

Que faziam do céu uma obra de arte

Amava o sol

Pois ele traz luz e acalenta o coração

Amava o por e o nascer do sol

E assim como amava o dia, amava a noite

Então, ele amava a lua

Pois ela era sempre calma e gentil

Como um abraço aconchegante em um dia frio

Mas mais do que tudo, ele amava as estrelas

Pois todas as coisas de noite proferidas

Eram por elas guardadas

Logo, elas sabiam a história de todas as coisas

Todos os sentimentos levados pelo vento

Todas as histórias de acampamento que te fariam estremecer

Sabiam quais flechas foram atiradas

E quais nunca saíram da aljava

E mesmo assim

Mesmo as estrelas conhecendo todas as histórias

O que o garoto realmente queria saber

Era a história que cada estrela tinha para contar

Sobre si mesma

Pois ele sempre pensou

Que sejam as estrelas incontáveis

Todas elas ainda tem uma história e uma razão

Uma razão para brilhar, para serem o que são

E mesmo que elas nunca tenham sido ouvidas

Elas nunca eram frias

E estivesse o garoto feliz ou triste

Elas sempre estariam lá

Para escutar o que ele tinha para falar

Então, ele amava as estrelas

Por serem o que são

Do fundo

Do seu coração.

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!