Fatalidade - Pesadelo (Em Andamento)
Lourenco
Usuários Acompanhando Nenhum usuário acompanhando.
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 27/05/19 00:43
Editado: 17/06/19 18:39
Gênero(s): Erótico ou Adulto
Qtd. de Capítulos: 1
Cap. Postado: 27/05/19 00:43
Cap. Editado: 17/06/19 18:39
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 51
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 296
[Texto Divulgado] "Pecado na Capital" Elaborado de frustações cotidianas de uma sociedade banal.
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Fatalidade - Pesadelo
Notas de Cabeçalho

Nesse episodio dividido em três a personagem passa a viver o pesadelo da separação e destruição de uma união de sete anos onde ela acreditava ser feliz.

Capítulo 3 Pesadelo

Depois de contornar a cena eu estava baratinada, fragilizada e a mercê de Mica que não comentou a cena e deixou os olhos cair concordo com a minha atitude.

Meu marido precisa ir, pois a tarde em Paris ele presidiria o congresso dos pesquisadores do câncer e sua equipe se desdobrara cobrindo sua falta, Vanessa era o tipo de mulher que balançava a estrutura de qualquer mulher, claro que além de linda era uma das maiores cientistas, claro como o meu marido ela era casada, claro que como o meu marido, ela se ausentava de casa por vários dias, claro que como o meu marido o qual confia cegamente e com certeza o marido dela também confiava cegamente nela, claro que os dois sozinhos na madrugada quando todos da equipe já estavam em seus aposentos, claro que não rolava entre os dois...

Claro que Sayuri e o meu marido seguiriam no nosso carro com o nosso motorista que os levaria ao aeroporto, claro que nada rolou ou rolaria entre os dois, mesmo em Paris ela estaria nos ensaios e nos três desfiles e ele estaria depois do congresso ao lado da Vanessa no laboratório...

Pior Mica estaria ao meu lado me enlouquecendo e não deu outra.

- Vamos curtir muito essa noite...

- Vamos não...

- Não vai mesmo ficar enclausurada em casa, vamos sim...

- Não vamos não, ele também vai estar enclausurado no laboratório pensando em mim...

- No aparte hotel com Vanessa ou com Sayuri, tadinho, que peninha...

- Não vai conseguir semear teu veneno...

- Como antigamente como duas loucas, vamos...

- Sem garotos?

- Estraga prazer, sem garotos, duas loucas bebendo e dançando até cairmos e sermos carregada... Pela ambulância até em casa...

- Vamos...

Era só uma boate e duas amigas recordando o passado, um pileque, que mal há nisso...

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!