Réquiem para Arsenal
True Diablair
Tipo: Lírico
Postado: 16/06/19 22:33
Gênero(s): Drama Poema Reflexivo
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 8
Comentários: 4
Total de Visualizações: 820
Usuários que Visualizaram: 12
Palavras: 325
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Dedicado ao Henrique, vulgo Mestre Arsenal. Mais que um amigo, um verdadeiro irmão que merece todo meu respeito, admiração e saudade...

Capítulo Único Réquiem para Arsenal

Me atrevi a tentar

Transcrever esta pulsação

Dolorosa a me fustigar

A cada recordação

Que tenho sem parar

Ao pensar nesta situação

Tão surreal de regressar

Do teu enterro... Mas não,

Não há como explicar

Pois não existe explicação,

Não em simples palavras:

Tal coisa só é possível

Através de minhas lágrimas,

Da constante vermelhidão

Pelo pranto incontido

Presente sem moderação

Em meu olhar perdido

Como os meus pensamentos

Que vem e vão

Com um misto sentimentos

Que fazem uma confusão

Inacreditável aqui dentro...

Ainda resta negação

Enquanto sobra saudade.

Ainda fica a frustação

Pela falta da oportunidade

De uma última conversa,

De só mais uma tarde

De jogatina, de diálogo,

De qualquer coisa

Que não fosse seu velório...

Só que, diferente do RPG,

Por mais que eu queira,

Não há como te reviver.

Pode parecer besteira

Isso que vou dizer,

Só que não é brincadeira:

Eu te admirava pra valer!

Não que isso tenha cessado,

Não! Pelo contrário!

Só que eu deveria ter dito

Mais vezes, para deixar claro

O quanto eras incrível

E, principalmente,

O quanto eras importante

Para todos nós... Para mim...

E então, em um instante,

Simplesmente veio o fim

E o gosto amargo

Das palavras não ditas,

Das aventuras não vividas

E das chances perdidas,

Pois cessou tua vida

Fazendo com que a nossa

Ficasse um tanto sombria

E que esta esfera maldita

Por "Terra" conhecida

Um pouco mais fria...

Para mim, em particular,

Uma coisa me perturba;

Mais que uma pergunta,

Uma triste reflexão:

Será que o pesar

Agora em meu coração

Se iguala ou sequer faz juz

Àquele que me apunhalou

Enquanto eu carregava teu caixão?

Que ao menos tenhas paz agora tu,

Que para mim foste um irmão!

Foste um guerreiro até o fim

Que recebas um digno galardão!

Sentirei demais tua falta

Até o dia de nossa reunião...

Descansa como merecido

Nos aguarda mais um pouco.

E muito obrigado por ter existido,

Nosso eterno Maldito Kakaroto...

❖❖❖
Notas de Rodapé

Descanse em paz, meu querido irmãozinho...

Um dia todos nós estaremos juntos de novo. Seja onde e como for.

Apreciadores (8)
Comentários (4)
Comentário Favorito
Postado 27/08/19 18:45

Olá, Diablair...

Faz tempo desde a última vez que passei por aqui.

Senti vontade de ler suas incríveis obras , e acabei nessa aqui...

A perda é sempre tão cruel, tão horrível. Para quem está indo, e para quem está ficando pra trás, remoendo lembranças e enfrentando saudades...

Você é uma pessoa muito intensa, tenho certeza que quem gosta de você, gosta com a mesma intensidade da sua alma.

Acho que você é amor ou ódio. 8 ou 80.

Seu amigo tem muita sorte em ter você, em ter seu sentimento por ele. Seu texto foi lindo, de partir o coração...

Meus sinceros pêsames à você... Que seu amigo descanse e fique em paz...

Suas palavras são sempre incríveis. Nesse texto mais incríveis ainda pela intensidade que carregam!!

Um abraço para você...

Meiling...

Postado 02/08/20 03:46

Srta Meiling...

Mil perdões pela demora em lhe responder e lhe agradecer regiamente por estas palavras tão belas e reconfortantes. Me falta resposta, todavia me sobram sentimentos por conta delas e a isso lhe sou grato...

Muitíssimo obrigado, de todo o que me resta.

Postado 24/06/19 22:02

É demasiadamente triste, apesar de não conhecê-lo. Espero que o Universo ache sua forma de confortar o coração de cada um envolvido nesse pesar. Principalmente a tu, caro Diablair.

Postado 02/08/20 03:42

Primeiramente, mil perdões pela demora em lhe responder, Srta Malva... É que, até pouco tempo atrás, só de colocar os olhos neste texto meu emocional simplesmente se esfacelava.

Fico imensamente agradecido por suas palavras e torço para que seus votos se concretizem o quão logo seja possível.

Muitíssimo obrigado, de todo o meu sombrio e necrosado coração...

Postado 10/09/20 23:35

Meus sentimentos, caro Diablerius... Sei bem como é perder um amigo, eu sempre acho que a vi no ônibus, no mercado, na rua... Mas não, nunca é ela, nunca mais poderá ser... É a dor mais amarga de todas, apesar de tudo que se vive, nunca, NUNCA sabemos lidar com a morte, mas tenho certeza que o Henrique está melhor que todos nós, longe da dor, longe desta Terra, ele só existe no coração de quem ama ele, agora... Ele só existe em lugares bons, jogos de RPG, noites de risadas insanas, segredos secretos e absurdos, um jantar de família, uma fofoca imperdível... Ele só existe nas partes mais puras dos corações de vocês agora, ele está bem... E espero que seu coração, meu caro, já esteja curado.

Sua obra é uma linda ode, de algum lugar sereno e seguro, o Henrique leu isso e te abraçou na alma...

Obrigada por abrir aqui seu coração, mais uma vez, você nos apresenta uma obra digna, impecável, profunda e inesquecível...

Postado 13/09/20 06:22

Nossa, Ana... Eu também lamento muitíssimo a sua perda e agradeço de todo o meu ser por suas palvras tão bonitas e reconfortantes...

Foram como um bálsamo para minh'alma, creia-me...

Muitíssimo obrigado, de tudo o que me resta e que eu possa ter de melhor aqui dentro...

Postado 24/09/20 17:56

Deve ser devastadora a perda de um amigo querido...

Seu poema mostra com ternura e dor como esse amigo era e continuará sendo especial em sua história.

Que forma mais bela de torná-lo imortal!

Meus sinceros pêsames!

Postado 26/09/20 09:28

Tal tipo de perda sempre é, Srta Monise... E sempre será... Tanto que nunca mais consegui ler este texto. Nunca mais...

Muitíssimo obrigado, de todo o meu pesaroso e lacerado coração... Muito obrigado...