A Bruxa das Más-Vindas
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 28/07/20 20:04
Editado: 28/07/20 20:15
Avaliação: 9.57
Tempo de Leitura: 6min a 8min
Apreciadores: 8
Comentários: 7
Total de Visualizações: 898
Usuários que Visualizaram: 13
Palavras: 990
Este texto foi escrito para o concurso "2ª Edição - Concurso de Contos – Profecia " A ideia do concurso, como sua primeira edição, é a produção de contos que, dessa vez, tenham o tema da profetização. Então, digo: “Vamos prever o futuro e toda a consequência desse ato!” Ver mais sobre o concurso!
Livre para todos os públicos
Capítulo Único A Bruxa das Más-Vindas

"É menina! Ela vai mudar o mundo... Em breve...!". - foram - ao que parecia - as últimas palavras da mãe, entre uma tosse e um pouco de sangue que jorrou de sua garganta.

E lá estava ela, menina, nascida em 1412...Como uma rima de escárnio.

"Podemos dizer que morreu junto com a mãe... Vamos enterrá-la... Vai servir de alimento para os bichos e os bichos a nós... Sabe, Martha... Quem vai notar?" - sussurrou a parteira aprendiz, que logo recebeu como resposta um tapa úmido e profissional vindo da parteira velha e suada.

"Não acabou de ouvir a profecia proferida?!" - a velha ralhou, olhando para aquela magrelinha como se a fosse trucidar - "Não se contraria a profecia proferida dos lábios de quem não mais vive!!!". - mesmo certa de que sim, era uma boa profecia - a da mãe recém falecida - Marta sentiu uma lambida do vento frio - como o diabo em sua espinha.

Olhou ao longe, além da janelinha... Esquadrinhou o máximo que pôde na escuridão da floresta... Sem muito o que ver, voltou a ralhar com Anna, que insistia que essa coisa de profecia era muito século passado, que as coisas agora eram bem diferentes!

Enquanto elas discutiam sobre profecia e morte, há poucos metros, havia algo entre as árvores que andou velozmente entre os galhos... Observou, cheirou... Lambeu seus lábios rachados de frio e correu para perto... Esgueirando-se nas paredes, a criatura se contorcia de prazer, só de imaginar abocanhar aquele bebê recém-saído do forno... Será que era leve demais? Não faz bem comer pouco em noites de Lua Nova.

Com suas longas unhas, a Bruxa arranhou as paredes e, com seus pés gigantes ela pulou na porta, que se esmigalhou no chão, aproveitou a deixa e urrou como um animal.

A Bruxa era tão alta quanto o teto, as duas parteiras jogaram tudo pra cima e nem hesitaram em largar o bebê para trás. As coisas funcionavam assim... Marta sabia que isso aconteceria, bebês prometidos à profecias sob noite de Lua Nova, seriam tomados pelas Bruxas das Más-Vindas, criaturas espertas que sentiam o cheiro da mudança e a destruíam por completo, deixando o século XV como sempre fora - cravejado com todo tipo de trevas.

Os progressistas caçavam estas bruxas, mas consequentemente, eles é que iam parar nas fogueiras, já os tradicionalistas, pensavam que estas bruxas mais eram um presente dos céus, para que a natureza continuasse equilibrada, quem saberia o que as novidades trariam nos anos vindouros? A igreja poderia cair... O rei poderia morrer... E tudo sempre era culpa dos bebês - todo bebê de Lua Nova trazia mudanças.

Ao passo que, as adultas iam se afastando, a bebê olhava fixamente nos olhos da fera, que, a pegou nos braços e a ninou.

"Eu costumo dar um nome aos bebês que devoro, criança... Você tem jeito de Jeanne... Deixe-me ver... Nascida de Jacques D'Arc e Isabelle Romée... Dois camponeses... Criança... Que tipo de mudanças você traria?! - a bruxa que antes parecia horrível, agora parecia apenas uma tia amistosa da vila.

"Isabelle Romée... - se virou para o corpo frio na cama - você até que era bonita, mas... Por qual motivo foi me invocar? Abençoar uma criança dessas... O que pensou que ela poderia se tornar? Qual vai ser seu poder místico bebê Jeanne D'Arc? - a Bruxa gargalhou e bateu suas botas, fazendo o bebê chorar - Ô... Não gosto de jantar chorão... Não chore bebê Jeanne, eu nasci nesta Lua Nova, não sei lidar com choro!".

A Bruxa matutava sobre o que a menina seria caso não estivesse prestes a ser devorada...

Olhou fixamente para o bebê faminto, acariciou o rostinho com suas grandes unhas avermelhadas... Olhou o bebê de novo... Ela gostava deste jogo de adivinhações, afinal, era uma Bruxa das Más-Vindas... Ela foi criada pelos astros para acabar com as profecias e deixar Deus fazer tudo sozinho, como tinha de ser, sem nenhum humano narcisista para falar meia dúzia de palavras filosóficas e BOOM - profecia aqui, profecia acolá... Caos, destruição, miséria... Não! Cada Bruxa era um mártir!

Mas, às vezes heroínas... Assassinas...?

"Posso ser assassina bebê Jeanne, mas eu sou criativa... - a Bruxa e a bebê riram juntas, como se fossem da mesma família - Preciso mesmo inventar um futuro para você, destes bem clichês que as mães à beira da morte inventam..."

Uma luz brilhou na cabeça calva da Bruxa:

"Bom... Aos doze anos você vai ouvir vozes de anjos te dizendo para libertar a França dos Ingleses... Seria possível? Não sabemos bebê, talvez se fosse fosse menino... Mas isso não vai ser problema para você, não... Você irá até o rei e vai conseguir convencê-lo! Você é forte assim? Desse tamanhozinho?!" - a Bruxa estava se deliciando com as probabilidades - Você vai tomar a frente das guerras, liderar tropas, vai libertar o povo... Mas, então... Ó não... Mas então, vai ser pega no auge de sua mocidade e vai ser queimada como uma bruxa, assim como eu...Mas, Jeanne, você terá uma recompensa, pois contos de fada são assim, bebê... Alguns anos depois vão te canonizar...!!!" - num tilintar de segundos, a Bruxa se irou com a história diabólica que havia inventado e jogou o bebê na cama bem ao lado da mãe morta - com TANTA raiva!

Como ela seria canonizada?! E as Bruxas de verdade, não ganham NADA?!?!?!

"VOCÊ NASCEU EM DESGRAÇA E VAI MORRER EM DESGRRRR..." - a cabeça da Bruxa explodiu no piso, ela nem pôde terminar a maldição - nem a refeição - a mãe que, parecia estar morta há alguns segundos atrás, estava bem viva, acertou com tudo a cabeça daquele monstro com uma lança enferrujada, pôde enfim, suspirar.

Olhou para sua menininha, suspirou mais uma vez.

"Você tem a profecia de uma mãe que voltou da morte pate te salvar, e um nome vindo de uma maldição, bebê Jeanne D'Arc, um evento tão intenso assim... Para uma menininha como você... Sua mãe matou uma Bruxa, mas você... Vai mudar o mundo!".

A mulher finalmente abraçou sua filhinha, e a amamentou...

❖❖❖
Notas de Rodapé

Eu achei uma história bem fofinha, vários Plot Twist. Espero que tenham gostado da minha versão da Joana D'Arc. Obrigada por lerem!

Apreciadores (8)
Comentários (7)
Comentário Favorito
Postado 30/07/20 11:29

Nossa, que incrível, me surpreendeu muito!!!

Gosto bastante da história dela, e gostei demais de ler a sua versão, princpalmente neste tema de profecia, que fez tudo ficar tão magnífico!!!

Pude criar diversas imagens incríveis durante a leitura, graças a sua ótima narração!

Meus mais sinceros parabéns por essa escrita maravilhosa!!

Abraços!!!!

Postado 03/08/20 16:00

Aaaaa Mei, muito obrigada por tantas palavras lindas! Você e suas obras que são tão mais maravilhosas <3

Postado 28/07/20 21:06

Entendo pouco do assunto de forma direta, mas sua escrita e coerência são incríveis. Você passa a impressão certa na hora certa e isso atrai o leitor

Postado 03/08/20 16:00

Muito obrigada! Que bom que você gostou! <3

Postado 28/07/20 23:16

FANTÁSTICO!

Postado 03/08/20 16:00

Muito obrigada! <3

Postado 30/07/20 22:47

Incrível! A adaptação da sua história ficou perfeita, 6! Tudo muito visível, palpável, fantástico e místico. A leitura me prendeu do começo ao final!

Boa sorte no concurso!

Parabéns ♥

Postado 03/08/20 15:59

Awwwn, não sei nem o que dizer! Muito obrigada pelo apoio! <3 Você é maravilhosa!

Postado 02/08/20 20:43

A pergunta que eu faço é: E será que não foi realmente assim que aconteceu? Me pareceu tão possível...

Amei o texto!! Boa sorte.

Parabéns!

Postado 03/08/20 15:59

AAAAA EU TE AMO <3 Creio que foi assim mesmo dhsaoidsdhshd, boa sorte pra você também, musa!

Postado 14/08/20 20:14

Sua sinopse deixa claro o mistério sobrenatural que a história terá trazendo as bruxas como “criaturas espertas que sentiam o cheiro da mudança”.

No momento que liguei os pontos ficou claro sua referência e lembrei-me de um dos filmes que fizeram com a história dela, deixando aquela sensação de “E se...!?

Os elementos que usa para criar um ambiente onde tudo poderia acontecer, como as reações da Bruxa que em um momento mostra ser calma para de repente surtar com seus próprios pensamentos, tornando-se instável. Contudo, o leitor sente pela mesma já que sua história e propósito nunca foram contados - não até agora.

Tuas palavras dão um incrível carisma a todos os personagens e principalmente à adorável bebê Jeanne D'Arc que foi profetizada por “uma mãe que voltou da morte pate te salvar” e um nome e futuro dado por uma Bruxa das Más-Vindas (eu adorei esse nome <3).

A leitura da sua obra levou-me para uma noite muito escura, obrigado pela aventura sobrenatural que podia ser bem verdade, compartilhar sua obra e participar do concurso.

Visite a página do concurso mais tarde e veja o resultado.

Assinado uma pequena vampira, <3

Postado 14/08/20 20:28

Fico imensamente grata pela sua interpretação, me sinto tão bem quando entendem exatamente o que eu quero passar! Parabéns pelo concurso! Me despertou uma chama que estava apagada a muito tempo!

Postado 14/08/20 20:59

Fico muito feliz em saber que o concurso a trouxe de volta com tudo, ヾ(*’O’*)/

Postado 15/08/20 22:32

Jeanne D'arc, sempre uma grande inspiração. Parabéns pela escolha.

Se tu me permite, gostaria de fazer algumas colocações sobre a estruturação do texto. Eu o achei muito rápido, com personagens sendo apresentados repentinamente e cenas começando e acabado de forma súbita. Acho que a pontuação ajuda a dar essa sensação.

No mais, sucesso e muita dedicação aos novos escritos!

Postado 16/08/20 15:50 Editado 16/08/20 15:58

Eu teria tido oportunidade de desenvolver os personagens, cenários e acontecimentos como eu queria, se não houvesse limite de palavras, como estava descrito nas regras do concurso. Nem todos nós escrevemos textos de 100 palavras, Francisco.

Obrigada pelo seu comentário, de qualquer forma.

Postado 16/08/20 19:01

De nada. Só dei minha opinião. Sinta-se a vontade de utilizá-la como desejar. Sucesso.

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Aventura

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Mistério