Um, dois, três indiozinhos...
GirassolSol
Tipo: Lírico
Postado: 14/09/20 09:04
Editado: 14/09/20 09:21
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 43seg a 58seg
Apreciadores: 3
Comentários: 2
Total de Visualizações: 49
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 117
[Texto Divulgado] "De Flor a dor, enfim a liberdade!" Romance erótico em 12 capítulos, contextualizado entre 1578 a 1583 aproximadamente. Período este das turbulências na luta pela sucessão real de Portugal, cujo rei morrera sem deixar herdeiros ao trono. Numa investida do duque de Alba em formar uma aliança com a Alemanha através do casamento de seu primogênito com a filha do duque de Baviera, Katrina descobre o amor e todo fogo da paixão.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Fui estudar a história dos indios americanos, fiquei reflexiva, o quão o humano pode ser perverso?

bem, espero que gostem :3

Capítulo Único Um, dois, três indiozinhos...

Um, dois, três indiozinhos

caminhavam pelo bosque sozinhos

viram de longe uma caravela

o que aquilo era?

Chegaram mais perto, curiosos

viram homens brancos, sérios e furiosos

e em suas mãos algo tão letal

que disparavam raios de fogo e metal

Um, dois indiozinhos

um não escapou do novo visitante

dois tentaram alertar os outros

mas em um instante

bum! Por uma doença nova, outro se foi.

O ultimo indio tentou correr, foi pego e viu ao redor

lobos brancos sem coração

que colocavam fogo em sua casa, destruiam a plantação

Esse indio, mal sabia

que além dos lobos havia alguém a mais

mas que pena, ó falta de sorte

a convidada especial era a Senhora Morte.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Assistam Pocahontas, e depois vejam documentários sobre a história indigena.

é interessante, triste e nos faz pensar o como uma mudança pode ser triste, seria a evolução, de fato evolução?

Apreciadores (3)
Comentários (2)
Postado 14/09/20 15:34 Editado 14/09/20 15:35

Os humanos são criaturas cruéis, sem coração, e alguns tem a mediocridade de se sentirem superiores aos outros... ou por seus tons de pele, ou por seus traços culturais...

Essa humanidade que se sente superior é uma humanidade podre, nojenta e assassina, genocida de um povo, de vários povos que pereceram em suas mãos cruéis...

Senhorita Girassol, seu poema infelizmente retratou muito bem a cruel realidade vivida por esses povos que nem sequer tem seu ponto de vista considerados na história da humanidade, já que os livros didáticos quase sempre preferem a versão dos vencedores e infelizmente não a dos vencidos...

Obrigada pela reflexão tão importante!

Um grande abraço para a senhorita <3

Postado 18/09/20 08:54

Adorei o comentário, agradeço que a minha obra a tenha feito refletir, seu comentário fez o mesmo, como sempre você é muito sábia nas palavras querida Meiling.

Nunca devemos esquecer a crueldade humana, sempre devemos lembra-la e evita-la.

ABRAÇOS!

Postado 17/09/20 00:00

Olá, moça.

Saber que ao norte todos (quase?) os indigenas foram mortos, exterminados. Uma cultura e religião extintas sendo que eles eram os "donos" das terras e não os invasores, "de fato evolução?"

Agora eles só pensam em manter seus costumes vivos (atualmente, manter-se vivos propriamente dito) e alguns tentam adaptar-se a modernidade do mundo (outros nem tanto), melhor parar meus devaneios (desculpe qualquer coisa).

Adorei seu poema e a brincadeira com a música ensinada as crianças, uma jogada de mestra hahah.

Agradeço por compartilhar sua obra e dar-me essa longa reflexão, amei!

Assinado uma pequena vampira, <3

Postado 18/09/20 08:55

Eu que agradeço pelo comentário, me trouxe conhecimento e uma realidade inegável!

E agradeço que tenha feito a senhorita refletir !