Neon
Lucia
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 29/03/16 18:07
Gênero(s): Cotidiano Drama
Tags: Rêverie
Avaliação: 9.87
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 14
Comentários: 6
Total de Visualizações: 853
Usuários que Visualizaram: 21
Palavras: 295
[Texto Divulgado] "Asas de papel... A resposta" Um poema que mostra as dificuldades relacionamentais e um amor que serve como porto seguro.
Não recomendado para menores de catorze anos
Capítulo Único Neon

Sob uma fumaça colorida, brilhavam suas pupilas dilatadas e o anseio por uma alegria falsa que julgava transbordar até das rachaduras das paredes.

Em seus braços tatuados, as diversas tintas neon brilhavam e atraiam olhares. A música estrondava em seus ouvidos. Em seu copo, também brilhante, havia ainda um restinho de algo que ela já nem mais sentia o gosto e muito menos sabia o que era. Talvez água ou talvez vodka.

Seu corpo balançava vagarosamente ao som de uma música eletrônica. Sua mente julgava as batidas rápidas e agitadas como uma valsa. Em seu cérebro rodava a vontade de voar e o anseio por mais um beijo na boca. Sua libido estava exaltada, como se tivesse tomado um estimulante sexual. O cheiro que agraciava seu olfato a instigava como uma felina.

Os diversos tipos de sensações que ocorriam em seu corpo a faziam se confundir sobre sua real personalidade. Nada disso era ela, nenhum de seus pensamentos era realmente seus. Ela estava mais do que sob o efeito; mais do que influenciada. Era a própria alucinação de uma noite.

Sob o véu de seus cabelos de fogo, transformados pela sua imaginação, habitava a garota certinha, porém vazia, que ansiava por um propósito; por mudanças. E ali ela encontrou mais do que o seu propósito falso, achou falsas vontades e felicidades. Incompreensível para todo e qualquer um que não ouvisse a música e dançasse no mesmo tom. Incompreensível para quem ainda conseguia enxergar o mundo monocromático. Ali ela encontrou sua morada.

A boca seca trouxe-a de volta, fazendo seu estado de espírito perder as coloridas cores que foram adquiridas.

Olhou para o ambiente escuro, que era seu quarto e as sensações foram desaparecendo uma a uma, deixando apenas o doce gosto de mais um sonho.

❖❖❖
Apreciadores (14)
Comentários (6)
Postado 29/03/16 18:15

Amei esse texto! Parabéns, Hyu. <3

Postado 29/03/16 18:24

Hehe, obrigada <3

Postado 02/04/16 15:16

parabéns, belo texto.

Postado 02/04/16 22:52

Obrigada <3

Postado 04/05/16 04:12

Com o perdão da palavra, a qual peço encarecidamente que não julgue como trocadilho infame ou uma piada de mal gosto, considero seu texto simplesmente brilhante.

A forma como a senhorita descreve não somente o ambiente como também as sensações, emoções e pensamentos da personagem são de uma sensibilidade e qualidade surpreendentes, fascinantes! Retratou, ao meu modesto ver, o vazio de uma pessoa, de uma geração de uma forma muito bela, muito rica, muito precisa e também muito soturna. Foi impressionante, admito.

O modo como a senhorita expressou anseios que deveriam, ao ser alcançados, preencher lacunas no âmago não só da protagonista mas da maioria dos que lá estavam deixa tudo um tom surreal e ao mesmo tempo amargo para o leitor, que de fora pode observar detalhadamente toda a dor oculta por dentro, mascarada de maneira falsa e chamativa em uma miríades de cores e atitudes.

Tudo issp conduzido a um anti-clímax que só acentua a tristeza, angústia e solidão de mais uma jovem frustrada, reprimida e esquecida em seu mundo escuro, frio e silencioso. Um lugar onde não há neon algum, nem mesmo uma faísca que seja para iluminar sua existência.

Realmente brilhante. Parabéns e muito obrigado por esta obra, Srta Lucia! Espero ver mais contos seus no site, foi uma tremenda e grata surpresa!

Atenciosamente,

Alguém que enxerga sozinho a balada escura e silenciosa da Vida, Diablair.

Postado 06/05/16 16:32

E é esse comentário que tem me inspirado muito ultimamente.

Eu fico muito feliz em saber que eu realmente consegui passar o que queria, e grata também por saber que você gostou e comentou essa biblia aqui.

Eu fico muito grata mesmo.

Obrigada Diab <3

Postado 17/06/16 22:07

E c s t a s y.

Lu, gata, esse texto está tão eu hoje que é impossível não me familiarizar. Mais do que isso, é a retratação absoluta do vazio que nós somos, à procura de algo que possa ao menos momentaneamente nos deixar completo... Iludidos, pois não. Mas na verdade, não é isso que nós somos? Construídos de partes vazias, promessas falsas, sonhos impossíveis, atos impulsionados, traços não nossos. Porque no mundo que vivemos é impossível sermos nós mesmos, seguirmos nossos próprios traços... Sermos completos. Porque ninguém consegue ser de fato feliz sendo outra pessoa; utilizando fielmente uma máscara.

Os sentimentos da protagonista são fortes, descritas tão intensamente que é como se fosse um diálogo. No entanto, talvez essa aproximação não seja apenas pelo fato de você ter escolhido muito bem as palavras, mais do que isso, é por você ter conseguido trazer simplicidade, a nossa simplicidade, a nossa realidade, para esse texto. Um belo tapa na cara; uma perfeita crítica construída por um vazio que a nossa própria mente nos faz afogar.

Todos procuram uma fuga. Uns cortam o corpo, outros se afogam na bebida, alguns nos doces, vários no colo de alguém, e grande parte nas drogas. Mas isso é meio indiscutível, no final, todos procuram uma fuga. Uma felicidade momentânea. Uma sensação de ser finalmente preenchida por algo.

Uma vida colorida como o próprio neon.

Todavia, na maioria das vezes, isso não passa de um simples sonho, onde a realidade é mais monocromática do que podemos desejar. Parabéns, Lu ♡

Postado 15/08/16 11:24

Amei! Você escreveu muito bem, descreveu as sensações de um jeito excelente. E esse final... nossa! Eu realmente não estava esperando por isso! Um belo texto, com certeza. Desculpe pelo comentário sem graça, mas acredite: fizeste uma pela crônica.

Parabéns pela obra!

Postado 20/08/20 23:19

Infelizmente eu já pude sentir na língua e em cada parte do meu ser essas sensações, as falsas sensações, as falsas "eu", é sempre triste demais... Seu texto é nu, seu texto é maravilhoso, Lúcia... Infelizmente, real demais, cada cor, sensação, pensamento, tudo cuspido na minha cara, como uma ressaca do dia seguinte... Sua escrita é genial, obrigada por compartilhar e me fazer lembrar do tipo de pessoa que eu JAMAIS quero voltar a ser.

Você é incrível.