Em Meu Nome
OFF
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 24/10/20 22:06
Editado: 24/10/20 22:36
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 5
Comentários: 4
Total de Visualizações: 122
Usuários que Visualizaram: 9
Palavras: 338
[Texto Divulgado] "Iminnar" Tudo o que ela precisa é completar o treinamento e se provar, para si mesma e o fantástico mundo que lhe cerca.
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Tentando voltar às minhas origens... Não espere nada de mais e, se possível, tenha uma excelente leitura.

Capítulo Único Em Meu Nome

Ah, minha progenitora... Como sou grato a ela...

Eu lhe rasgo o útero internamente em um piscar de olhos. Sigo retalhando-lhe as entranhas rumo ao coração para enfim o abocanhar. A freira urra a plenos pulmões e ao prantos: é o desastroso final de doze meses de gestação do filho gerado sem sexo nem pai... E que mudará toda a vida na Terra. Mil padres soluçam enlouquecidos demais para continuarem a ladrar suas inúteis frases em latim enquanto eu, o infante, gargalho recoberto por pedaços de minha própria mãe. Uma cúpula da mais absoluta escuridão surge e se expande agressivamente igreja afora.

O mundo será um lugar infinitamente pior agora, com o renascimento de algo muito mais antigo que qualquer deus ou demônio existente neste Universo. Conforme o meu riso hediondo ecoa tão alto e terrível que estilhaça vitrais e tímpanos com a mesma facilidade, eu, recém-nascido, violo a mim mesmo com uma das minhas pequenas mãos, enquanto com a outra entalho palavras imemoriais de poder e de autoridade em minha própria carne.

Ao término do retalhamento, minha mão se incendeia com a energia monstruosa e crescente da Pura Doença que me habita e representa. A fina película da realidade se distorce e estilhaça a cada gota de sangue e a cada morte neste recinto não mais sagrado ou mesmo cristão, pois uso tudo e todos (incluindo a mim) como ritual e portal para As Abominações que espreitam nas Trevas do Cosmo em busca de uma oportunidade para ressurgir em uma Existência indefesa.

Tudo graças ao rebento maldito e imensuravelmente poderoso que estava antes do Alpha e ainda estará após o Ômega. À coisa cósmica e sombria que era, é e será, vociferando os nomes dos novos senhores de um pobre planeta e sua desesperada população. Àquele que, sendo a chave, também se tornou o portão mesmo que sempre tenha sido o guardião de tal entrada desde o ventre materno.

Graças a mim.

Em meu nome, eu grito: que nunca mais haja luz!

E assim será.

Assim será!

❖❖❖
Notas de Rodapé

E o mundo morreu.

Apreciadores (5)
Comentários (4)
Postado 24/10/20 22:30

Ora, ora, Senhor Diablair. Trucidar a própria mãe ainda no útero? Que ato medonho e perverso! Eu adorei.

Então quer dizer que vai retornar à sua origem? Interessante. Espero ansiosamente. Vou assistir e aplaudir. Que o nascer seja seu ressurgir catastrófico. Faça o mundo urrar em agonia e clamor.

Postado 07/11/20 14:50

Sr Aristeles, fico muito agradecido pelo apoio ao regresso! Que bom que gostou desta singela e obscura obra!

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 25/10/20 23:05

Eu reforço que você é o maior e melhor autor de terror/horror desse antro inteiro. A maneira como tudo é bizarramente sórdido e macabro, ao mesmo tempo em que é instigante, me deixa com receio da leitura assim como me manipula a continuar lendo para saber o desfecho da obra.

E que obra, Diab. A narração por si já é esplêndida, rica em detalhes e muito bem construída. Não há como não sentir a dor e angústia da mãe por ter seu corpo violado e arrebatado dessa forma hedionda, assim como a heresia presente em cada ato.

Aqui a gente vê o nascimento de algo pior que o Anticristo. Talvez mais poderoso e com certeza mais perigoso, porque mal nasceu e já diabolizou tudo.

Parabéns, Manu ♡

Postado 07/11/20 14:52

Srta Pamela, me sinto extremamente lisonjeado com suas palavras! É muita honraria para tão pouco Diablair!

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 28/10/20 16:50

O texto já começa bom por ser um bebê destruindo a mãe de dentro para fora, e fica melhor ainda quando descobrimos que ela é uma freira, e o filho provavelmente é filho de Satã hauhauha

Na verdade acho que o texto dá a entender que a criança é o próprio Tinhoso, ou algo ainda mais maligno e mais poderoso que o Demônio, e isso deixa tudo com um toque ainda melhor e mais cruel, que eu gostei demais!!

"Em meu nome, eu grito: que nunca mais haja luz!" - Deus não me livre, pois realmente quem me dera que fosse verdade...

Parabéns por essa obra satânica e maravilhosa, tal qual o autor <3

Um grande abraço, atenciosamente, de uma criatura sem luz alguma, apenas envolvida em trevas,

Meiling <3

Postado 07/11/20 14:54

Pois somos dois a desejar tal evento maldito ou algo parecido/pior, minha querida Mei... Somos dois.

E eu anseio pelo dia em que seremos/sejamos um...

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 31/10/20 03:54

Não é novidade pra ninguém que qualquer apologia religiosa distorcida me agrada. Foi impossível ler sem um sorriso no rosto... Que obra incrível e macabra! As referências são bem colocadas e a atmosfeta sombria-mítica são enlouquecedoras. Esse final me deixou em êxtase!!!!! NÃO VAI TER LUZ, PORRA!

Obrigada por compartilhar conosco!

​Parabéns, Diab ♥

Postado 07/11/20 14:56

Shahahahahahahahahahahahahahahah! Esse final de review quebrou minhas pernas, pelo ardor de Satà, Divina Brina! Sahahahahahahhahahahahahahahaha!

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 07/11/20 14:56

Shahahahahahahahahahahahahahahah! Esse final de review quebrou minhas pernas, pelo ardor de Satà, Divina Brina! Sahahahahahahhahahahahahahahaha!

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Outras obras de OFF

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Mistério

Outras obras do gênero Sobrenatural

Outras obras do gênero Terror ou Horror