Quebra cabeças
Cria de Minerva
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 24/11/20 02:30
Gênero(s): Erótico ou Adulto
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 5
Comentários: 4
Total de Visualizações: 370
Usuários que Visualizaram: 12
Palavras: 372
Este texto foi escrito para o concurso "50 Tons de Erotismo" A proposta é escrever um texto o qual deverá ter como tema o erotismo e a sensualidade. Ver mais sobre o concurso!
Não recomendado para menores de dezoito anos
Capítulo Único Quebra cabeças

A cada vez que meus olhos a fitavam, meu coração acelerava de tamanha forma que conseguia sentir meu peito em movimento frenético, subindo e descendo.

Lembrava-me dos momentos em que passamos a dois, quando não somente meu peito subia e descia. Por mais que muitos dissessem que era apenas passageiro, um jogo de interesse pelos dotes, eu sabia que poderia contar com ela. Embora os momentos no quarto fossem sobressalentes, o amor que sinto explode meu peito de maneira que me marca mais que as unhas em minhas costas. Estarei mentindo caso diga que não apreciava os momentos em que podia sentir-te por inteiro, quando nossos corpos se colavam e encontravam de maneira a completar um ao outro. Um quebra-cabeças confuso que apenas o seu gemido ao pé do meu ouvido era capaz de indicar, fazendo um bom uso das mãos para que tudo estivesse no lugar certo.

Embora hoje tenha que me contentar com as lembranças de um passado quente, suado e gostoso. Já que você não está na minha lista de contatos, nem mesmo mora mais na minha rua. Eu ainda sei que posso contar com você, seja para acariciar entre minhas pernas, colocando as mãos em passeio pela minha virilha por baixo da mesa do jantar ou seja para me parabenizar pela promoção do trabalho. A questão é que, infelizmente, não quero contar com você mais. Embora festa alguma faça meu corpo vibrar da forma que você fazia, da maneira que me fazia transbordar. Em palavras, amor e na cama. As memórias vívidas de quando apenas seu nome era capaz de atravessar minha boca, aos gritos, ao mesmo tempo em que sua mão fazia um belo colar ao meu pescoço. Quem diria, que ao final do mês, a corda que eu penso em colocar no pescoço, é outra. Que de nada tem a ver com pele humana.

Alguns podem dizer que para voltar aos eixos, basta te ligar. Porquê dessa forma, o tatear da sua língua, de forma gélida e singela, me levariam as nuvens. O choque que seu corpo causa ao percorrer cada milímetro do meu, me levariam ao paraíso. Mas, do que adianta lá chegar com você, se quando estou só, sou condenado as profundezas do abismo?

❖❖❖
Apreciadores (5)
Comentários (4)
Postado 13/12/20 20:44

Olá, Srta. Minerva!

Este foi um belíssimo e triste conto de amor!

O sofrimento do narrador é palpável, fazendo com que os leitores se afeiçoem a ele, e tentem entender o seu lado.

Mas ao mesmo tempo uma contradição se faz presente sobre a pessoa do narrador, pois por algum motivo, ao mesmo tempo que ele tanto deseja a amada, ele também a quer longe. Essa é uma informação que faz os leitores ficarem em choque e querendo dar uns tapas no narrador hahahaha

Acho isso muito genial no texto, pois no final há uma explicação do motivo pelo qual ele prefere sofrer sem a companhia de sua amada ao invés de tentar encontrá-la. Ao meu ponto de vista é uma questão de medo e insegurança, pois quando a amada não está, ele não consegue suportar.

Eu simplesmente amei o título do seu texto! É lindo, tão singelo e tão significativo ao mesmo tempo! Foi realmente perfeito para a obra * --- *

Agradeço imensamente por sua tão bela participação!

Um grande abraço <3

Postado 13/12/20 20:52

Srta Minerva, em primeiro lugar quero ressaltar o quão impressionante e admirável foi sua ortografia e gramática neste texto, certamente foi um dos mais bem redigidos que já li neste antro maldito e em toda a minha vida! Seu esmero para com sua criação é simplesmente admirável!

Sua abordagem ao tema foi bem intrigante e peculiar e isso em muito me agradou. Afinal, vivenciar experiências tão intensas e íntimas com uma pessoa é uma coisa deveras preciosa, única; certamente gera memórias instigantes a todo aquele que teve tal privilégio, bem como resulta em particularidades e até exclusividades do/para o casal, conforme a senhorita descreve tão bem no decorrer da história.

Entre reflexões e lembranças, o erotismo infelizmente ficou um tanto disperso e ameno, o que corrobora a ideia proposta pelo título da obra, mas prejudica a essência excitante que o texto necessitava para galgar posições mais elevadas no concurso. Não há como negar, no entanto, que é um belíssimo conto cheio de sentimentos e recordações que o tornam vívido, verossímel e e de agradabilíssima leitura.

Ademais, meus sinceros parabéns e agradecimentos por prestigiar nosso modesto concurso com sua participação, Srta Minerva! Gratíssimo, gratíssimo!

Postado 06/06/21 08:08

Obrigada por compartilhar conosco.

Postado 23/11/21 17:58

Que texto excelente. O erotismo é banhado por uma melancolia extremamente palpável que surpreende e comove o leitor, já que o mesmo não espera encontrar isso em um texto que possui tal conteúdo. Gostei muito da fluidez da narrativa, assim como a mesma nos faz refletir.

Muito obrigada por compartilhar conosco!

Parabéns, Minerva ♥