O Jardim de Lírios (Em Andamento)
Yuuka Miracle
Usuários Acompanhando Nenhum usuário acompanhando.
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 21/12/20 15:58
Editado: 06/01/21 22:42
Qtd. de Capítulos: 4
Cap. Postado: 06/01/21 22:25
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 17
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 381
[Texto Divulgado] "Iminnar" Tudo o que ela precisa é completar o treinamento e se provar, para si mesma e o fantástico mundo que lhe cerca.
Não recomendado para menores de dezesseis anos
O Jardim de Lírios
I: Sol e Lua - Capítulo 2: Sol Só o Sol

Não é estranho olhar ao espelho e pensar que você não se parece com seu nome? Bem, eu sou alegre como uma "Letícia" deveria ser, mas soa muito mais doce do que eu sinto.

Mesmo que não intencionalmente, eu sinto que assusto as pessoas. Talvez pela minha cara de poucos amigos, minha falta de vontade e das vezes nas quais eu fujo. Eu não busco amigos, mas mesmo assim, entristeço-me quando não me procuram.

Já não tenho mais vontade de encher a cara de maquiagem, mas eu me desenho mesmo assim. É costume. Eu não me sinto mais bonita. Eu não me sinto uma menina bonita. Mesmo que eu fosse bonita, eu seria uma coisa bonita.

Nem os garotos, nem as garotas, fazem com que eu me sinta gente o suficiente. Nem as crianças, nem os adultos, nem eu mesma. Eu me sinto um monstro. Não mordo, mas eu me escondo. O meu perigo dorme à sombra da minha casca.

Só quero fazer a mesma coisa de sempre: sumir. Despretensiosamente, sumir. Eu não me sinto confortável aqui ou ali, mas lá é consideravelmente melhor.

Não gosto das aulas, não gosto do assento da cadeira, não gosto de ver os penduricalhos na mochila das outras. Não gosto dos perfumes masculinos, não gosto do cheiro de chiclete de menta, não gosto de ninguém dali. Não gosto do barulho do ventilador, mas não quero o calor.

Não gosto da Letícia. Ela é tão, mas tão chata. Tão egoísta. Tem engordado muito e faz tudo no automático. Ela pensa tanto que já não pensa mais. Ela assusta e afasta os outros. Ela não gosta de mim e eu não gosto dela. Imbecil.

Sinto que é hora de desistir de vez. Dou uma desculpa idiota e saio da sala. Os cinco minutos que eu pedi viram o resto do dia.

Estudo em uma escola absurda de triste. Todos fazem barulho e se abraçam, mas sei como se sentem. No fundo, todos se doem. Há fofocas aqui e ali. Há choros aqui e ali. Há encrencas aqui e ali. E eu já até parti para algumas agressões. Mas hoje já não me importo mais.

Eu assumi minha tristeza, minha raiva, minha falta de vontade. Tento me desligar de tudo e todos. Sabendo o quão errada estou, sigo.

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!