Momentos da Ascensão à Queda.
vhladrac
Tipo: Lírico
Postado: 02/02/21 23:28
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 2
Comentários: 2
Total de Visualizações: 504
Usuários que Visualizaram: 8
Palavras: 215
[Texto Divulgado] "Asas de papel... A resposta" Um poema que mostra as dificuldades relacionamentais e um amor que serve como porto seguro.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Oi gente!

Primeiramente eu gostaria de agradecer do fundo do meu coração, imensamente, às cinco indicações para a Academia de Ouro! Fico muito feliz por estar participando, muita, muita muita gratidão à todos que indicaram e leram alguns de meus textos! É extremamente gratificante para mim fazer parte da AC e estar participando desse momento!

Segundamente eu gostaria de me desculpar por estar ausênte, mas acredito que vocês entendem o processo de hiatus que entramos às vezes, tive alguns problemas no final do ano então preferi parar um pouco. Prometo responder todos os comentários pendentes o mais rápido possível!

Hoje deixo esse poeminha fresquinho, que acabou de sair do forno para vocês e espero muito que gostem!

Gratidão!

:)

Capítulo Único Momentos da Ascensão à Queda.

Eu estou apenas de passagem.

É por isso que você está lendo minhas palavras.

Sou apenas o esteriótipo de sonhadora aos vinte anos,

perdida na ideia de belos contos que me levarão para finais no paraíso.

Mas, conhecendo meu tipo, não acho que meu final seja ali.

Sei que posso voar nos céus, mas não posso permanecer neles.

A verdade é que eu gosto da escuridão que encontrei conforme a vida,

talvez goste mais dela do que da luz em si.

Eu pertenço ao outro lado da lua, onde há luz mas há sombra,

mesmo meu pai sendo o deus do sol e dos céus.

Hórus me dá forças para alcançar os altos,

mas me lembra que não pertenço ali.

E, como Ícaro, quando estou lá em cima quero cada vez mais

então tenho que ser puxada para o chão

e voltar ao reino de meu outro pai.

Hades coloca meus pés no chão,

me mostra a importância de saber viver embaixo,

conhecer, reconhecer e abraçar a escuridão.

Então, mesmo triste e machucada, posso sorrir

enquanto me curo para subir novamente, e cair de novo.

Posso dizer que voei e rastejei.

E, talvez você se pergunte: vale a pena?

Vale a pena chegar ao ápice para retornar ao sofrimento?

E eu lhe respondo: sim.

Vale.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Espero que tenham gostado! Beijos e até o próximo!

Gratidão!

:)

Apreciadores (2)
Comentários (2)
Comentário Favorito
Postado 02/02/21 23:52

Que conto belo e poderoso a senhorita nos ofertou, Srta Stardust!

Penso eu que às vezes é extremamente difícil e doloroso alçar vôos tão altos só para depois desabar abismo abaixo, mas tal processo costuma fazer parte do método de crescimento e aprendizado que o Universo estabeleceu para nós (ou boa parte de nós) e não há nada o que fazer acerca disso.

Então, que possa sempre valer a pena cada vez que isso ocorrer, a despeito das cicatrizes que possam ser geradas e consequências a serem enfrentadas/aceitas ao término de cada queda, para que as eventuais ascensões sejam ainda maiores e mais prolongadas...

Meus sinceros parabéns e muito obrigado por compartilhar esta obra conosco!

Atenciosamente,

um ser novamente engajado com as trevas, Diablair.

Postado 17/02/21 22:26

Olá, Diablair! Como é bom tê-lo por aqui!

Concordo com você! Acho que entender e saber abraçar nossas quedas, tristezas, "coisas e lados ruins" é um sinal de amadurecimento e um ato extremamente libertador!

E sim, que valha sempre a pena! As cicatrizes ficam mas podemos vê-las apenas como a prova de que tudo o que vivenciamos fora real e faz parte da nossa história!

Agradeço imensamente seu carinho!

<3

Postado 04/02/21 13:37

Quem será o deus que lhe inspirou a fazer este poema perfeito, será que foram os 2?

Postado 17/02/21 22:27

Foram os dois! Com um pouco mais de influencia de Hórus e uma pitada da emoção de Ícaro!

Muito obrigada!!!

<3

Outras obras de vhladrac

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo