Pétalas em chamas iluminarão a noite
Gans
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 01/10/21 22:41
Editado: 21/11/21 18:38
Avaliação: 9.76
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 7
Comentários: 7
Total de Visualizações: 601
Usuários que Visualizaram: 12
Palavras: 392
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

Olá, como vão?

O mês de setembro chegou e com ele o Festival das Flores, o tema de setembro do Oneshot Per Month Project. Nesse setembro, o objetivo era escrever um texto tendo atenção ao significado da flor que foi sorteada para cada participante, a minha flor era a hortênsia e, entre vários significados e cores ela simboliza principalmente devoção, coragem, determinação, dignidade, pureza de sentimento e elevação espiritual, também associada à exuberância, elegância e um estado de gratidão e prosperidade.

Poréeeeeem, a palavra festival me traz várias ideias e a hortênsia era uma flor muito pacífica e nobre, então distorci um pouco os significados e fiz um texto em que eles estão lá, mas não no sentido que deveriam ser, entendem?

Portanto, vamos embarcar novamente no festival e na magia da noite.

Capítulo Único Pétalas em chamas iluminarão a noite

O festival começou, mas a magia da noite não está ao nosso favor, nossas mãos não se tocam nos extremos, nem mesmo os espinhos longos e afiados entre nós dois. O vaso vazio e empoeirado sobre a minha mesa conta uma história frágil, que murcha e é levada por cada estação que passa. Por ele, várias flores passaram enquanto florescíamos no coração um do outro, das rosas brancas e vermelhas, sempre lindas e dolorosas sob a luz do luar nas noites que nos víamos, até as gérberas, jacintos, margaridas e miosótis.

As cinzas das hortênsias azuis que você me deu, as últimas que adornaram o meu vaso, estão flutuando eternamente no rio no qual eu as joguei, cada pétala abundante me lembrava você, a cor não me trazia mais calma e tranquilidade, a devoção que você me prometeu desapareceu quando nosso amor tornou-se fugaz, sufocante e solitário. Por tantas vezes eu quis gritar ‘’fique comigo’’ enquanto os grãos de poeira caíam sobre nós dois, mas nada nos salvaria das chamas da indiferença. Logo, o ‘’fique comigo’’ tornou-se o desejo de que você chore por mim. Se não posso tê-lo, se me machuco com esse amor, desejo que eu não seja o único. Nesse jogo, nós não jogamos pelas regras, portanto, derrame-se por mim.

À meia noite, quando as palavras cruéis e levianas forem apagadas das páginas de nossa história e a solidão escorrer entre as frestas dos cacos dos nossos corações, mostre-me suas pétalas azuis chamuscadas, sua exuberância desbotada, e eu te mostrarei a minha devoção no altar dessas mentiras belas. Os fogos de artifício não iluminarão o céu, mas as chamas da solidão iluminarão a noite.

Venha, pegue a minha mão, sinta as faíscas que irão nos queimar sob a noite sem magia. Apenas nos repetimos neste mesmo cenário e nos machucamos novamente, ignorando covardemente o vaso empoeirado sobre a minha mesa e nossa história egoísta. E quando tudo acabar, sorrindo eu te darei um beijo de despedida, diferentemente das hortênsias que você me deu, não poderemos ser elegantes e puros em nossos sentimentos.

Está tudo bem, agora que chegamos ao fim. Eu florescerei em abundância, preencherei o vaso vazio e assombrado por sentimentos desmoronados.

Agora, as luzes apagam-se, as flores murcham e o mundo sussurra enquanto andamos em direções diferentes. No festival que não tivemos, sequer somos uma memória distante.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Obrigado por lerem~

Agradecimentos especiais às duas pessoas que me ajudaram, mas que não sei se estão no site <3

Esse texto é a irmã de outra história minha que em breve será postada aqui. Dúvidas sobre o OPMP, procure o post no fórum ou entre com contato comigo. Até logo mais.

Apreciadores (7)
Comentários (7)
Postado 03/10/21 01:39

Que obra perfeita e que desafio incrível! Eu adorei participar, achei sua obra muito profunda e bem escrita! Parabéns e muuuuito obrigada por iniciar isso tudo, é um universo encantador!

Postado 23/12/21 13:07

Muito obirgado pelo comentário, fico bastante feliz que tenha gostado tanto dela <3

Muito obrigado, também, por ter se juntado ao desafio.

Postado 09/10/21 19:21

Perdão, papai Gustavo, mas a sua filha primogênita sempre será a mais perfeita criação sua. Sinta a fagulha que diz que vamos ficar bem NUNCA será superada por absolutamente nada!

Mas agora que já me acalmei, posso dizer que essa irmãzinha caçula tem seu charme, e de sua forma melancólica e triste, é também extremamente linda!

Hortênsias azuis são minhas flores preferidas. Quando eu me casar, espero poder ter um buque dessas flores, mesmo que minha família surte com essa ideia estranha hahaha

Adoro seus textos e o seu jeito de escrever <3

Postado 23/12/21 13:10

Também vou levar um tempo pra superar minha primogênita, confesso ahusushuh É difícil manter esse tom de mistério e melancolia, escolher as palavras certas, mas o resultado sempre me agrada no final.

Eu diria que a principal diferença dessa para Sinta a fagulha é justamente o desfecho, enquanto o casal da primeira agarra-se nos mesmos sentimentos de novo e de novo, o eu lírico desse texto quebra o ciclo e recomeça sozinho. Vamos ver como a próxima irmã vai ser.

Muito obrigado pelo comentário e, de fato, hortênsias são flores lindas.

Postado 17/11/21 17:26

Eu gosto de tudo que você escreve e isso não é novidade para ninguém. Gostei muito desse texto e de como as coisas foram desenvolvidas. O título me deixou extremamente curiosa e fiquei imersa na leitura do começo ao fim.

Obrigada por compartilhar conosco.

​Parabéns, Gans ♥

Postado 23/12/21 13:10

Muito obrigado por acompanhar o que eu escrevo, fico feliz que tenha apreciado o texto <3

Postado 24/01/22 15:12

Gostei muito da forma como você inseriu a presença da flor no texto. Pude até ver a mesa e imaginar as pétalas já em tons avermelhados.

Ótimo texto. Obrigada por partilhar conosco.

Postado 07/05/22 12:02

Lembro um tempo em que flores de plástico eram populares, e todo lugar que você ia onde havia flores, às tocava e sentia aquele áspero, já pensando "ah, por isso não tem cheiro".

Amei sua descrição, sei estilo, e sua sinestesia com o ambiente e com o sentimento.

Senti até o cheiro das flores! Lindo texto.

Sjow

Postado 08/05/22 00:18

Fazia tempo que eu tava pra ler isso aqui, e hoje finalmente eu vim. Caramba, como valeu a pena!

Lindo demais! Eu senti cada partícula da poeira das pétalas incineradas. Todos os sentimentos dolorosos e confusos que envolvem desamor e fim de caso.

Lindo demais mesmo ❤

Postado 14/10/22 16:26

Lindo texto

Outras obras de Gans

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero LGBT

Outras obras do gênero Romântico