Maus Sonhos
Mrs Black
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 29/10/21 01:36
Editado: 29/10/21 18:59
Avaliação: 9.4
Tempo de Leitura: 10min a 13min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 193
Usuários que Visualizaram: 11
Palavras: 1650
Este texto foi escrito para o concurso "Concurso de Halloween – Sob o olhar das Lendas" É nas sombras onde as lendas se escondem, observando a todos, e agora em desafio propõem um concurso. Ver mais sobre o concurso!
Não recomendado para menores de doze anos
Capítulo Único Maus Sonhos

I. Alfinetadas de Escárnio

Enquanto uma tempestade escarlate fazia com que as vidraças da Mansão Infernal vibrassem por conta dos fortes relâmpagos e trovões, a família Infernal degustava de uma deliciosa refeição no Salão Obscuro Inferior, local este mais recluso e utilizado em jantares mais íntimos. Do lado esquerdo da mesa estavam Tristeza, Imperatriz e Damon e, do lado direito, Blake, Tortura e Ternura, enquanto Diablair sentava-se no centro. Sarah não estava presente, pois sua melhor amiga, Gardenia, estava prestes a dar a luz e ela fora até sua aldeia natal para ajudá-la.

Sobre a elegante toalha de cetim, encontravam-se as mais deliciosas iguarias que variavam entre salgadas e doces. Neste fatídico dia, a refeição havia saído mais tarde do que o habitual, o que não era problema algum para os indivíduos presentes, tendo em vista que eles esperariam o quanto fosse necessário para comer qualquer coisa preparada pela ilustre Madame Savoia. Como de costume, Diablair questionava acerca do dia de suas sobrinhas. Neste momento, Tristeza discorria sobre um incidente na aula de etiqueta, enquanto os demais dividiam a atenção entre a comida e a história da garota.

— Não contente em ter me empurrado durante a aula de sapateado, Delphine, também, roubou meu par durante a aula de valsa. O que me levou a tomar providências…

O líder Infernal paralisou o garfo no meio do caminho entre o prato e sua boca para encarar a sobrinha por conta do tom ameaçador no fim de sua frase.

— E o que você fez? — Questionou a Imperatriz.

— Encantei as botas dela e ela saltou durante uma hora inteira. — A menina esboçou um sorriso de satisfação maligno nos lábios. — Vocês precisavam ver… Ela parecia uma Pisadeira em chamas.

Após as risadas, Damon e Blake olharam simultaneamente para Diablair por apenas um segundo e o homem, que não perdia a oportunidade de importuná-los, afrontou-os:

— Por que estão me encarando com feições ainda mais idiotas do que o normal? Gostariam que eu ouvisse acerca do dia de vocês? Pois saibam que não me interessa.

— Eu gostaria de falar. — Declarou a Imperatriz e, sem esperar que o tio a respondesse, prosseguiu: — Por falar em Pisadeira... Hoje na aula de Lendas Reais e Irreais (Acredite no que Quiser) V, o sinal tocou justo na hora que o professor Berry ia nos contar sobre essa lenda. O senhor conhece?

Diablair automaticamente encarou Blake. O hunter, sabendo que a jovem perguntara aquilo de propósito apenas para que seu tio o aborrecesse, fez uma carranca.

— Nos presenteie com o seu saudoso conhecimento, Blake, por favor! — Desdenhou o líder Infernal. — Já que você se denomina um hunter e está um ano à frente das meninas nos estudos, acredito que saiba do que se trata.

Tortura se virou para o namorado, esperando que o mesmo não revidasse a alfinetada da Imperatriz, entretanto ele pareceu não notar o clamor nos olhos de sua amada e retrucou:

— Isso é estranho, pois o professor Berry nunca fala até o fim da aula justamente para não ter que retornar na aula seguinte com a mesma explicação. Talvez a Flávia não saiba de algo tão trivial, porque anda matando aula com um certo vampiro.

A Imperatriz arqueou a sobrancelha, simplesmente indignada pela jogada suja de Blake e rebateu:

— Ou, talvez, você só seja um hunter de baixa categoria que não sabe diferenciar um centauro de um cavalo.

Apesar da intervenção, já era tarde demais, pois Diablair encarava Damon como se fosse sugar sua alma com um canudo. Uma intensa discussão começou. Enquanto Tortura segurava Blake para que o mesmo não jogasse a lagosta na Imperatriz, a jovem de cabelos verdes se colocava entre seu namorado e o tio. Tristeza, como a boa fofoqueira que era, apenas encarava os eventos com atenção. A única que parecia imune aos acontecimentos era a pequena Ternura, que devorava a sexta coxa de frango. A mais nova não alcançava bem a mesa, por isso apoiava os cotovelos sobre a superfície para comer com conforto.

Os ânimos exaltaram-se a tal ponto, que Diablair desferiu um forte tapa na mesa. Todas as bandejas tremeram, assim como a prataria e taças. O que o líder Infernal não contava, era que o golpe acabasse fazendo com que sua sobrinha mais nova errasse a mordida, ocasionando um sangramento no lábio inferior da criança, que começou a chorar. Tal acidente levou ao encerramento do jantar e todos foram para os seus respectivos aposentos, porém Blake não estava disposto a encerrar a noite dessa forma.

☽☼☾

II. Invocando a Cantiga

Por volta das quatro horas da madrugada, Ternura despertou com alguém tocando em seu ombro. Quando as sombras do sono sumiram de suas íris violeta, ela identificou Tortura, Damon e Blake ao lado de sua cama. Ela se sentou e, coçando os olhos, perguntou com a voz sonolenta:

— Vocês trouxeram o macarrão com queijo, o leite e o sorvete que eu pedi?

Os dois rapazes arquearam as sobrancelhas e Tortura suspirou, esclarecendo:

— Não, Ternura. Precisamos da sua ajuda para pregar uma peça na Imperatriz.

A menina arregalou os olhos, porém, antes de perguntar o que eles fariam, ela encarou Damon com desconfiança e questionou:

— Ele não é um impostor?

— Ele mesmo propôs essa maluquice. — Respondeu Blake.

— Acho que ela passou dos limites quando envolveu o Diablair. — Explicou o vampiro, dando de ombros.

Ao identificar que o jovem ruivo estava sendo sincero, a infante prosseguiu:

— E o que vamos fazer?

Blake esboçou um sorriso maléfico que causou arrepios na espinha de Ternura e afirmou:

— Vamos desejar maus sonhos à Imperatriz.

☽☼☾

III. Proferindo o Maldizer

Após Damon lançar um feitiço de invisibilidade sobre Ternura, a mesma encontrava-se levitando logo acima do tórax da Imperatriz. A garota sentia-se desconfortável com sua aparência horripilante: estava magra, com dedos compridos, unhas amareladas, suas pernas estavam mais curtas que o normal, seu cabelo estava desgrenhado e seus olhos vermelhos não conseguiam ver seu queixo virado para cima por conta de seu nariz enorme e cheio de pelos. Mesmo sendo a responsável por assustar e tendo tomado a aparência perfeita de uma Pisadeira, algo dizia a Ternura que essa situação não terminaria bem.

Do lado de fora do cômodo, observando tudo pelo Olho Mágico — que nada mais é do que um objeto mágico que permite ao portador ver através de superfícies —, encontravam-se Tortura, Blake e Damon.

— Ela vai nos trucidar vivos. — Sussurrou a jovem.

— Depois daquela enrascada do circo¹ e das jogadas sujas dela envolvendo seu tio maluco, temos o direito à vingança. — Cochichou o hunter com convicção.

— Nós não devemos falar sobre isso, Blake. — Censurou o vampiro em voz baixa. — Mas concordo que Diablair seja um superprotetor enlouquecido e…

Damon continuou a adjetivar o líder Infernal com os mais variados sinônimos da palavra maluco, enquanto Tortura e Blake arregalavam os olhos. Ao notar os semblantes de terror dos amigos, o jovem ruivo questionou:

— Por que estão com essas caras?

— Porque eles presenciarão sua morte aqui e agora. — Disse uma voz saindo da escuridão.

Antes que Damon pudesse escapar, Diablair colocou sua mão direita sobre os cabelos cor de fogo do rapaz, fazendo com que diversas cabeças de alho caíssem em seguida. O líder Infernal só parou com a invocação, quando o corpo ajoelhado do vampiro estava completamente coberto. Ao término, o homem esfregou uma mão na outra e se virou para Blake e Tortura, porém o hunter já estava abrindo a janela mais próxima, pronto para pular.

— Não tente fugir! Tenho certeza que você foi o responsável por arquitetar essa situação. — Brandou Diablair.

O rugido do líder Infernal assustou a pequena Pisadeira dentro do quarto e, por conta do nocaute alhudo de Damon, o feitiço de invisibilidade se desfez. O alvoroço despertou a Imperatriz que, ao abrir os olhos, arqueou a sobrancelha ao se deparar com o ser que estava flutuando acima de seu tórax. Apavorada por ser pega em flagrante, Ternura tentou gritar, porém, por conta de seu cosplay muito bem feito, apenas uma gargalhada estridente saiu de seus lábios, o que chamou a atenção dos demais do lado de fora e fez com que a Imperatriz, temendo estar sendo atacada por uma Pisadeira, esfregasse os pés um no outro três vezes, os batendo um no outro em seguida.

Quando a porta se abriu e Diablair adentrou o recinto, a infante disfarçada perdeu o controle de seu feitiço de levitação, fazendo com que seus pés atingissem com força o peito da Imperatriz.

☽☼☾

IV. Maus Sonhos e Outras Cantigas de Escárnio e Maldizer

Não era noite de Halloween, porém a travessura do quarteto terminou em uma tragédia digna de se tornar uma lenda urbana. Damon ficou acamado por conta de sua alergia a alho, pois seu corpo ficou inchado como se um enxame de abelhas o houvesse atacado — durante alguns dias, Diablair o apelidou de "bolota de carne morta". A Imperatriz teve um trauma torácico e ficou hospitalizada. Blake, no meio da confusão, acabou caindo da janela e fraturou os dois braços. Por fim, o líder Infernal teve que gastar uma pequena fortuna de jeckes em contas hospitalares, remédios para alergia e no contrato das Pisadeiras que surgiam durante a noite no telhado da Mansão Infernal, aguardando que Tortura e Ternura dormissem para aterrorizá-las, como castigo por terem participado do plano maléfico.

Mesmo após anos deste acontecimento, a mais nova das trigêmeas não ousa comer antes de dormir, temendo que uma velha bruxa pise em sua barriga, enquanto a faz passar por um terrível terror noturno. Se Ternura acorda durante a noite e ouve o som dos passos das Pisadeiras no telhado, ela cantarola a seguinte canção de proteção que lhe foi ensinada por Tristeza, intitulada Maus Sonhos:

Velha senhora que deseja me aterrorizar,

Não venha me causar maus sonhos.

Assustadora Pisadeira que almeja me destroçar,

Não pise sobre meu coração adormecido com seus pés medonhos.

Com essa cantiga de escárnio e maldizer,

Meus pensamentos de você tento afastar

Até o amanhecer

Ou até você me encontrar.

❖❖❖
Notas de Rodapé

¹ Para mais informações, leiam O circo do Bosque da @Yvi ♥

* Usei a descrição da Pisadeira que forneceram na cartinha, assim como inseri mais algumas informações durante o texto, que podem ser encontradas aqui.

** O corpo do texto possui alguns subtítulos (I, II, III e IV), pois em algumas cantigas de escárnio e maldizer que tive a oportunidade de ler, vi que os poemas eram divididos desta maneira, então achei interessante incorporar isso na estrutura da minha narrativa.

☽☼☾: Obra não cânonica dentro do UG, porém real-oficial dentro da Realidade Semi-Alternativa kkkkkk.

Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 29/10/21 02:12

GRITTTOOOOOOOO!! Gente, é assim que vai ser, dona Sabrina? BELEZAAAA! Belezinha!

Até o próprio namorado da Imperatriz, mano. Quanta maldade. Bom, pelo menos todo mundo se lascou no final. Tio Diab não deixa nada barato.... Literalmente. Até os cofres infernais sofrem.

Na moral, eu não consigo parar de rir. Foram ferrar a Imperatriz, mas acabou que a única pessoa ilesa foi a Tristeza, que deve ter contado para todo mundo na escola. Quero nem pensar na tristeza que foi isso. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Que horro!

Amei a obra. Quero mais vinganças.... ME AGUARDEM! MUHAHAHAHAHAHAAAAA

Postado 30/10/21 23:21

Amiga, entenda: foi necessário, mas não aconteceu! Tá nos acontecimentos acontecidos não-ocorridos da Realidade Semi-Alternativa kkkkkkkk.

Tá vendo, né?! Quando você aponta pra vingança, ela pisa em você.

Obrigada pela presença e comentário, Flavinha ♥

Postado 06/11/21 20:44

A gente começa o texto rindo e termina ele levemente traumatizado kkkkkkkkk. Essa galera só se mete em furada, pqp. O Diablair não tem um fucking dia de paz, coitado. A falência vem!

Parabéns pelo conto, amor :) Você vai arrasar nesse concurso

Postado 17/11/21 17:44

Quer paz vai pra igreja kkkkkkkkk

Obrigada pela presença e comentário, meu amor ♥

Postado 23/11/21 23:20

HAHAAHAHAHAH!! A brincadeira não terminou nada bem e muito longe do planejado HAHAH~~

Adorei que tenha inserido essa formatação de "cantigas de escárnio", se é assim que posso chamar, por falta de melhor descrição vindo a minha mente espero que valha essa hahah.

Gostei muito do primeiro sub-título e como eu não sabia o que esperar, você conseguiu me prender muito bem nesta primeira parte, pela curiosidade e charma que deu início ali.

Outro aspecto que notei ter desenvolvido muito bem foi as características individuais de cada personagem, principalmente em seus jeitos de agir e falar, um belo trabalho.

Agradeço muito por compartilhar sua obra e me dar a honra de ter uma obra sua, participando do concurso deste ano.

Assinado, uma pequena vampira, <3

Outras obras de Mrs Black

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Poema