É poético viver um coração partido
Green
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 26/01/22 22:47
Gênero(s): Reflexivo Romântico
Tags: Azul_
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 2
Comentários: 2
Total de Visualizações: 147
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 326
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos
Capítulo Único É poético viver um coração partido

Por outro lado, é poético viver com um coração partido. Pense bem, não é isso que mostram os livros, filmes e toda arte num geral? Você precisa viver um pouco a ideia do coração partido, encontrar lá no fundo da alma a amargura da mágoa para poder sentir com sinceridade que você entende todos os aspectos do que as pessoas chamam de amor.

Então, para o poeta, deveria tudo estar bem viver com um coração partido. Mesmo que este poeta queira paz de espírito, amor universal completamente desconectado do romântico, compreensão e fluidez em sua vida.

É importante viver um coração partido. Pelo tempo que for. Nem tudo precisa de conserto imediato simplesmente porque você está hábil para visualizar a ferida. Nem tudo pode ter conserto simplesmente porque você está hábil para visualizar a ferida.

Algumas feridas não vem de dentro, elas são compartilhadas. Algumas feridas requerem mais de um par de mãos para serem tratadas. E algumas vezes não há possibilidade nem dedos suficientes que supram a necessidade da dor. Muitas vezes há muito mais distância que medicina.

Então veja, está tudo bem viver com um coração partido. Uma vez que se aceita a dor, ela se torna menos assustadora. Uma vez menos assustadora, você tem a chance de aceitá-la – Não como parte de você, mas sim como apenas uma realidade dolorosa e simplesmente inevitável. Uma vez aceitando, você pode mandá-la embora. Uma vez que ela vá embora, a dor deixa de existir. E se ela não existe, não há dor.

É poético viver com um coração partido. É mais poético ainda viver para reconstruir as partes. Porque, Amor, eu nunca deixei de querer escrever sobre a tua beleza, mas eu simplesmente estava cega demais pela dor do adeus e não pude enxergar que você em nenhum momento me abandonou.

É poético viver com um coração partido. Mas eu, em mim, tenho apenas um coração. Partido ou não, ele é tudo que me cabe oferecer.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Esse é o texto que me inspirou a finalmente me inscrever nessa plataforma. Todas os contos anteriores a esse formam a timeline da minha carreira fora do universo das fanfics (alguns deles até são fanfics adaptadas). Os próximos contos postados terão avisos caso sejam antigos.

Apreciadores (2)
Comentários (2)
Postado 28/05/22 16:21

Para alguém que focava em fanfics seu tino para escrita ultrapassa a isto.

Postado 11/10/22 19:30

Antes de mais nada, quero elogiar por sua escrita, por suas palavras bem escolhidas e pelo tema, de fato, poético.

Seja bem-vindo!! <3

Para começar a expor minha opinião, devo dizer que existia uma Meiling antes, e uma Meiling depois.

A de antes, concordaria plenamente contigo, pois ela achava sim poético o coração partido.

A de agora, não consegue mais achar isso. Corações partidos também partem as almas de seus donos, e isso é horrível.

Corações partidos não deveriam existir, e malditos são aqueles que partem corações... (maldita sou eu, devo dizer)

Nunca vou me perdoar, mas não tenho o que fazer para mudar o passado.

Obrigada por compartilhar conosco esse texto!