O Exílio dos Escravos - Giom (Em Andamento)
Sjowmalf
Usuários Acompanhando Nenhum usuário acompanhando.
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 12/02/22 13:38
Editado: 30/03/22 22:32
Qtd. de Capítulos: 7
Cap. Postado: 12/02/22 13:38
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 183
Usuários que Visualizaram: 3
Palavras: 287
[Texto Divulgado] "Luna Nostra" Um trilionário terráqueo visita velhos amigos de outro mundo em busca de socorro.
Não recomendado para menores de dezesseis anos
O Exílio dos Escravos - Giom
Notas de Cabeçalho

Os personagens desta obra são fictícios, e não representam pessoas reais.

Gatilhos: uso de drogas, liguagem profana, violência

Europa, novos anos 80 Prólogo

- Como eu cheguei aqui? – perguntei.

- Já respondemos a essa pergunta. Não se lembra? – disse a figura diante de mim. "Não, eu não me lembro," pensei. – Todos passam por aqui cedo ou tarde. Tudo passa por aqui.

A figura abaixou o rosto inexpressivo e atentou-se a algo. Acompanhei o olhar e vi um bloco de notas sobre a mesa. Pude jurar não estar ali no segundo anterior. Também não me lembrava de ter uma mesa e, no entanto, lá estava, com o bloco.

Havia algo escrito no papel branco. Meu nome.

- Você está no Acervo. Seja bem-vindo, Giom. – disse a figura ao erguer o rosto e fitar-me.

- Cacete...

A figura sorriu.

Meus pensamentos se desordenaram. Era a visão do "lugar", ele possuía algo de imaterial. Informação indo e vindo, se materializando do nada e, então, desaparecendo. Uma sala enorme em um momento e, em outro, minúscula. O "lugar" pulsava, junto ao meu corpo inteiro.

"Corpo".

Eu queria sair dali.

- Não se apresse, Giom. – disse a figura, como se lesse minha mente. – Respirar fundo funciona para espécimes como você, é o que obervamos.

- O quê?

A figura virou uma folha no bloco de notas - agora um grosso volume - e anotou algo.

- Se não for incômodo, gostaria que continuasse sua história. Garanto que ajudará a organizar seus pensamentos.

- História? – eu disse, ainda mais confuso. – O que quer dizer? Eu estava... eu...

- ... Sim?

Então, os fragmentos voltaram e começaram a se encaixar. Eu contava uma história. Minha história.

Os fragmentos estavam fora de ordem.

- Eles me condenaram à morte. – comecei. Mas esse era o final.

- Por qual crime, Giom? – a figura perguntou.

- Crime. Eu nunca...

Com essa frase, os fragmentos de minhas memórias se ordenaram.

- Oh, não... – eu disse. E chorei.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (1)
Comentário Favorito
Postado 14/02/22 18:47

Que fantástico, sou a fã número 1 desta obra incrível! Muito bem escrita e pensada, consigo me imaginar neste universo, sentir até os cheiros, bem descritivo, adorei!

Outras obras de Sjowmalf

Outras obras do gênero Ação

Outras obras do gênero Aventura

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Ficção Científica