Águas Profundas (Em Andamento)
Esfinge
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 18/06/22 15:54
Editado: 19/06/22 21:22
Qtd. de Capítulos: 19
Cap. Postado: 19/06/22 20:47
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 9min a 12min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 20
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 1496
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezoito anos
Águas Profundas
Capítulo 18 Capítulo 18

Aydan podia sentir a droga fazendo efeito em seu corpo. Aquela não era a primeira vez, então seu corpo tinha criado resistência à droga. A dor em seu ventre não era tão forte e ele ainda estava consciente. Ele olhou para Rinne que estava apoiado na estátua, totalmente apagado.

Ele agradeceu pela lua cheia estar no céu iluminando a escuridão, caso contrário, ele não poderia ver nada. As lamparinas estavam lá, uma de cada lado, iluminando sua imagem, o rio ao final da escadaria tinha se mesclado com a noite, trazendo um ar de mau agouro.

"Será que essa besta virá? Ela será morta como aquela fera?" ele pensou olhando as águas, imaginando se ela viria daquela direção. Uma cólica apertou seu ventre e Aydan ofegou quando uma nova onda de calor o assaltava. Seu feromônio podendo ser sentido até por ele mesmo. Seu pênis estava duro e sua túnica molhada. Ele levantou a cabeça para ver a imagem acima dele, a cabeça da besta apontando para baixo o observando das sombras. A noite dava a ela um ar ainda mais realista e assustador, mais perto de si, onde o corpo dela estava enrolado, as escamas brilhavam como se estivessem se movendo lentamente.

"É brilhante, parece até de verdade...” Ele seguiu o movimento com os olhos e um aroma delicioso pode ser sentido. −Você cheira bem... O que usaram em você? − Ele falou com a imagem como se fosse hipnotizado por ela. A serpente pareceu ouvi-lo e se dividiu em duas.

Aydan estreitou os olhos e inspirou mais aquele cheiro, não aguentando mais o calor e apertando seu próprio pênis em busca de alívio, se derramando em suas mãos enquanto tremia. “Acho que estou ficando louco e alucinado, será esse mais um efeito colateral daquela droga?” Ele olhou novamente para as imagens.

− Agora são duas? – a segunda cobra se separou da imagem e se abaixou até ele lentamente, fazendo-o se dar conta que ela era real, acelerando seu coração. − Isso é uma armadilha! Há caçadores escondidos na mata!

A cobra lembrou-se daquele detalhe, o ômega tinha cumprido tão bem o seu papel de isca, que ela havia esquecido por um momento os caçadores. Ela passou por ele ignorando o aviso e se posicionou no meio do altar, elevando grande parte de seu corpo.

−O que você está fazendo!? Eles estão lá! – Aydan gritou em agonia, aquela criatura era surda?

−Atirem, homens! − Uma ordem de Raiden foi ouvida da floresta, e arpões com rede foram lançados. Um a um se prendendo no chão e prendendo a grande cobra.

−Não! Fuja! − Aydan gritou próximo dela, desesperado.

A besta olhou para a rede em seu corpo e não fez nenhum movimento para escapar, olhando em direção a escuridão, podendo ver perfeitamente os humanos com sua visão de calor.

Raiden saiu das sombras e deu a ordem para que seus homens a cercassem fazendo eles saírem de seu esconderijo e subirem as escadas. Ele ficou parado onde estava e olhou para a besta que parecia encará-lo diretamente. Como um caçador experiente, ele percebeu que algo em sua postura estava malditamente errado. Ela deveria estar se debatendo na rede furiosa e não tão calma.

A cobra esperou que os caçadores se aproximasse um pouco, estranhando o fato de serem só metade dos que ela esperava, quando eles estavam próximos o suficiente, os músculos do pescoço se dilataram criando um capelo, fazendo sua imagem ficar ainda mais ameaçadora, e assim liberando um grande jato de veneno.

− Cuidado! Dispersar! – Raiden mal teve tempo de gritar.

Alguns homens foram rápidos o bastante, mas os que já estavam próximos da fera foram banhados em veneno. O líquido corrosivo queimou ao entrar em contato com a pele humana, soltando nuvens de vapor e um cheiro forte de enxofre e carne queimada. Raiden olhou aquela visão dos infernos, percebendo que o inimigo tinha um trunfo que ele desconhecia. "Não pode ser! Essa espécie não deveria ter veneno, essa é a Titanoboa das lendas? essa habilidade é impossível para sua espécie"

Nos livros que ele pesquisou, Titanoboa não possuía veneno e matava suas presas esmagando-as até a morte. Esse capelo e forma de cuspir veneno o lembrava das najas do oriente. Seria uma espécie de híbrido? Ele tentou buscar alguma explicação lógica, mas a besta não pretendia lhe dar um tempo de reação, ela moveu o corpo gigantesco e poderoso, dando um golpe com a cauda, jogando os caçadores no rio e aproveitando para morder e matar alguns.

“Os demônios já deveriam estar aqui, eles foram emboscados em algum lugar?” A cobra pensou ao perceber a calmaria das águas, os demônios d'água nunca tinham lhe deixado em desvantagem e amavam uma oportunidade de carnificina. “Que seja, cuidarei de tudo eu mesmo” a cobra correu em grande velocidade para a água que era seu elemento de maior vantagem.

−Rinne! Ah merda!

Aydan que estava olhando tudo apavorado, gritou ao perceber Rinne sendo arrastado para o lago, a corrente que o prendia tinha se enroscado no resto de rede que ainda estava na grande cobra. Ele tentou se soltar, mas seu tornozelo apenas sangrou pela força, fazendo-o lutar com a dor e usar o sangue para deslizar as correntes. “Por favor, deuses me deem força!” com um som de estalo, e uma dor dilacerante, ele conseguiu soltar seu pé.

“Com certeza, está quebrado...mas eu tenho que resistir...” ele mancou até o rio e pulou nas águas negras, emergindo logo em seguida e gritando.

−Rinne! Meu irmão! Cuidado, você vai afogá-lo junto!

A fera que estava ocupada matando e despedaçando corpos, tinha um sentido espiritual extraordinário dentro da água, podendo ouvir e sentir com perfeição. "Maldição! Eu esqueci completamente desse outro ômega, os dois também estão na água?" A cobra ficou ainda mais irritada, pensando que se estivesse sozinha com aqueles caçadores, já poderia ter matado todos eles. Ela moveu a cabeça com agilidade até as redes que ainda estavam lá, soltando o ômega loiro e o levando com cuidado até a margem.

Aydan percebeu tarde demais que não tinha tanta habilidade ao nadar, a dor de seu pé pulsava e as águas eram profundas demais. “Eu não consigo respirar, eu vou morrer aqui? Eu não posso deixar que Rinne morra!” Algo se enrolou em sua cintura e ele a abraçou com todas as forças. Com um movimento rápido, seu corpo bateu em terra firme.

Raiden pegou sua balestra e correu até o rio, tentando mirar no corpo que se camuflava nas águas e atirando com toda a energia espiritual que tinha.

−Apenas morra, sua desgraçada!

Titanoboa sentiu uma dor suave pinicar suas escamas, mostrando que algo tinha conseguido perfurar sua armadura perfeita, como uma simples farpa. “Um caçador com alguma força marcial? Isso será Interessante...”

Ela emergiu das águas e viu o caçador em pé na margem.

"Então é aí que você está..." ela atacou com um bote preciso, mordendo o caçador pela cintura e enrolando-o junto com seu corpo, num aperto de aço.

Raiden tentou gritar, porém a água entrou em sua boca, ele tentou atacá-la com seu poder espiritual, fazendo o aperto retroceder por um instante.

A besta sentiu suas escamas arderem.

"Hmn, o poder dele é bem alto, mas não o suficiente" Ela era uma besta que já havia nascido com um alto nível de poder espiritual, e no atual momento, praticamente invencível.

Ela ergueu seu corpo da água, querendo vê-lo morrer lentamente, ver quanto tempo seu corpo suportaria e seus ossos sendo quebrados um por um.

Raiden sentiu uma dor absurda e sua visão foi se apagando pouco a pouco.

"Eu não posso morrer assim, se eu morrer vou levar você comigo!" Ele pensou com ódio. Na cultivação, existia uma forma de explodir seu próprio núcleo dourado, seu corpo viraria cinzas, mas ao menos ele não perderia para aquela besta. Ele usou suas últimas forças para reunir seu Qi, porém uma voz o chamou.

−Raiden! − Aydan o chamou da margem e em suas mãos estava sua balestra.

Aydan o olhou com puro ódio, seu irmão não tinha dado sinal de vida quando tinha tentado acordá-lo, e aquele homem tinha tirado tudo que ele mais valorizava na vida. Ele não ia permitir que ele morresse pelas mãos de outra pessoa. Ele mirou no homem da água, sua visão estava anormalmente clara como o dia, a adrenalina fazendo todo seu corpo pulsar, não importando se aquela era a primeira vez que ele segurava uma arma. Ele atirou e a flecha pegou nas escamas da cobra que também o olhava com atenção, entendo o que ele estava pretendendo. Ela moveu-se para mais perto, erguendo o corpo da água e encurtando a distância do alvo.

−Apenas vá para o inferno! −Aydan encaixou uma nova flecha e atirou mais uma vez, dessa vez acertando o homem em cheio na garganta.

A cobra observou satisfeita enquanto o homem agonizava e voltou a apertá-lo, fazendo o sangue escorrer e assim levar seus restos para as profundezas.

❖❖❖
Notas de Rodapé

E MORREU...........

É gente, agora o Raiden sabe pq ninguém conseguiu matar uma Titanoboa ⊙0⊙w

Espero que a morte dele tenha sido satisfatória!

(ノ> ◇ <)ノ♪

*Núcleo Dourado: Fonte de poder de um cultivador, onde ele reúne todo o poder que ele cultiva e que também pode levar anos para ser formado.

*Qi - Força Vital, Energia.

Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!