Quarto
Renato Franklyn
Tipo: Lírico
Postado: 18/06/22 23:59
Editado: 19/06/22 00:00
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 45seg a 1min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 57
Usuários que Visualizaram: 3
Palavras: 120
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Quarto

Eu bebo coca e olho pro lado

Não vejo janela aberta visando o espaço

Que paredes confessa a pressa, agonia do dia

De se passar uma terça-feira

Ou quem sabe um sábado;

Pra ver se descanso e saio cansado

E acabo fugindo tanto que fico acordado

Tomando alcaoide sempre que falo bom dia

Desperto bem no fim da tarde, já se era alegria

N'entanto voo num foguete, a Lua saía

E sigo à cidade fria, me vem alegria

De estar quase no fim dos versos, ao final do dia

E saindo da sílaba tônica...

Daí, eu paro e olho a parede branca de cal e já não tenho mais pressa.

E às vezes, de vez em tanto, eu consigo dormir.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (1)
Comentário Favorito
Postado 19/06/22 02:16

Consigo associar algumas frases com momentos que já me ocorreram, como acordar de tarde e sentir que todo o dia foi perdido. É um ótimo texto, mesmo.

Outras obras de Renato Franklyn

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Poema