O coração na escuridão (Em Andamento)
ThaiDragomir
Usuários Acompanhando Nenhum usuário acompanhando.
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 09/01/23 00:49
Editado: 09/01/23 23:36
Qtd. de Capítulos: 2
Cap. Postado: 09/01/23 23:36
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 26min a 35min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 65
Usuários que Visualizaram: 1
Palavras: 4265
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezoito anos
O coração na escuridão
Capítulo 2 Asgard

Alguns dias

É difícil de ver

Se eu fui uma tola

Ou você um ladrão

Consegui sair do labirinto

Para encontrar o meu um em um milhão

E agora você é apenas uma página rasgada

Da história que eu estou vivendo

E tudo que eu te dei se foi

Desabou como se fosse pedra

Achei que tínhamos construído uma dinastia que o céu não poderia abalar

Achei que tínhamos construído uma dinastia, diferente de tudo que já foi feito

Achei que tínhamos construído uma dinastia que o para sempre não pudesse separar

A cicatriz que eu não posso reverter

Quanto mais cura, mais machuca

Te dei cada pedaço de mim

Não é à toa que está faltando

Não sei como ficar tão perto de alguém tão distante

E tudo que eu te dei se foi

Desabou como se fosse pedra

Achei que tínhamos construído uma dinastia que o céu não poderia abalar

Achei que tínhamos construído uma dinastia, diferente de tudo que já foi feito

Achei que tínhamos construído uma dinastia que o para sempre não pudesse separar

Trechos da música - Dynasty - Miia

⚜❃﹎⚜❃

Ouviu a doce risada de Cyrius preencher o ambiente, olhou para ele com os olhos arregalados.

- Pare de pensar besteira, arrume suas coisas que iremos partir para Asgard agora mesmo - Cyrius fala a surpreendendo.

- Quer que eu morra tão rápido assim? - Selene pergunta atônita.

- Selene preste atenção, Thor não vai mata-la quando souber e temos que ir antes que Uziel descubra quem é seu noivo, temo que ele seja o culpado pela morte dos seus pais - a fala dele a deixou em choque.

Que Uziel era um completo louco e sangue frio ela sabia, mas nunca imaginaria que ele tentaria algo contra seus pais.

- Mas foram os jotuns que os mataram - Selene balbucia confusa.

- Controlados pelos poderes dos elfos, por conta disso que as desconfianças caíram sobre nos quando Asgard fora atacada, os jotuns estavam sendo controlados - ela não pode deixar de arregalar os olhos ao escutar isso.

Claro! Fora por conta disso que seu pai entregou sua mão, ele jamais daria sua mão assim sem nem pensar no que ela iria querer no futuro, afinal era apenas um bebê recém nascida.

- Vou mata-lo! - Selene rosna em completa raiva.

Aquele maldito!

Sua inocência, não a do corpo pois essa ela não dava a mínima, mas a da alma, era uma pessoa doce antes de conhecer o quão cruel alguém pode ser, sua filha a quem ela esperou por tanto tempo e pode ficar míseros segundos junto a ela, pouco importava para ela se sua filha tinha o mesmo sangue que o maldito, ela seria seu pai e sua mãe, elas não precisariam dele para nada, mas não teve nem a oportunidade de lutar para salva-la... agora seus pais, seus amados pais tirados de si de maneira brutal, ele tirou tudo de si por poder!

Ele tirou tudo que era mais importante para si, apenas para ser rei!

- Querida escute-me, não pode acusa-lo sem prova alguma, agora o que tem que fazer é casar-se e após isso irá indicar seu marido ao trono.

- O que?

A fala de Cyrius a surpreendeu, como ela iria indicar Thor ao trono?

- Selene pensa assim... com ele sendo seu marido, será o rei e você irá ficar no poder sendo sua consorte, sem isso outra pessoa pode assumir, a lei diz claramente que você não pode ficar no poder por ter os poderes da escuridão mas pode nomear alguém por seu direito de sangue, não está escrito que tenha que ser um elfo o que você ira nomear, tanto que seu marido não vai ser um elfo por que não é lei.

Cyrius tinha completa razão!

Ela poderia governar atrás das cortinas, não era o que queria... essa lei era absurda e arcaica, entendia que os poderes da escuridão em sua maioria traziam caos, por tanto era proibido reinar tendo esses poderes, todos que sucumbiram a escuridão enlouqueceram, ela no entanto apesar de seu coração ser tomado pela escuridão, ela mantinha-se sangue frio, estava com a cabeça no lugar.

- Irei arrumar-me para partir - Selene fala num murmuro.

- Encontre-me aqui daqui a vinte minutos - Cyrius fala seriamente a vendo assentir.

Sabia que o tempo era curto, no entanto não tinham escolha, precisavam apressar-se antes que desse tempo para que Uziel tramasse alguma coisa.

Seu sangue ferveu ao chegar em seu quarto e encontra-lo sentado em sua cama com um sorriso arrogante.

- Saia daqui - a sua voz saiu tão fria que surpreendeu o elfo sentado.

- Não vai casar-se... sabe que não é mais pura pois eu deflorei e usei todas as partes do seu lindo corpo - Uziel fala percorrendo os olhos gelados pelo corpo dela.

Sentiu um nojo profundo dele naquele momento, ele falava como se ela fosse uma espécie de meia suja!

- Não sei do que está falando - Selene desconversou não dando oportunidade dele a enlouquecer.

- Vai mesmo confiar em alguém novamente? Não pensei que fosse tão burra! - o elfo fala fazendo seu sangue ferver tamanho o ódio que sentia por ele.

No entanto manteve-se calma, sabia bem que ele queria que ela desse um escândalo para chamar atenção dos demais e assim poder acusa-la de alguma forma.

- Mila - sua voz saiu firme e alta surpreendendo o homem a sua frente.

Segundos passaram-se até que sua criada pessoal entrou no quarto arregalando os olhos ao encontrar o elfo sentado na cama de sua senhora com extrema intimidade.

- Arrume minhas roupas em uma pequena mala - Selene ordena a serva que assente ainda olhando curiosa para o elfo.

- Mas antes disso chame os guardas e diga-os que mantenham-se em minha porta para minha segurança pois entrei aqui e encontrei esse sujeito em minha cama.

- Apenas queria desejar uma boa viagem a você, alteza - o elfo fala levantando-se rapidamente da cama.

- Vai arrepender-se disso, não deixarei que governe - Uziel sussurra ao cruzar por si.

- Senhora devo chamar os guardas mesmo assim?! - Mila pergunta confusa.

- Claro, não o quero mais aqui! Veja minha surpresa ao encontra-lo em meu quarto, não pegaria bem para mim isso! - Selene disse com tanta raiva que a serva assustou-se.

- Desculpe por ser rude, mas você gostaria de encontrar um homem qualquer em seu quarto?

- Não senhora! - Mila fala apressadamente.

- Faça o que mandei, depois que sair fecharei a porta com a chave, você sabe como entrar - Selene fala direcionando-se para o imenso banheiro.

O deus mantinha-se inquieto, ele sabia que chegaria esse dia, ele sabia disso há quase vinte e um anos, no entanto para os deuses vinte e um anos era um tempo relativamente curto, ele tinha meses pela frente até o casamento, mas a recente morte dos pais de sua noiva mudaram os planos, o casamento provavelmente teria que ser adiantado.

- Preciso mesmo casar? - Thor perguntou ansioso fazendo o pai bufar.

Não que ele fosse contra um matrimonio, mas para ele apenas as guerras e lutas importavam, ele não achava que seria feliz num mundo cor de rosa dos elfos.

- Nunca questionou isso, por que está perguntando agora? - Odin pergunta curioso.

- Por que agora a forca está mais próxima - Loki responde rindo do irmão.

- Loki! - Thor fala entredentes completamente furioso.

- Que foi maninho? Sabe que estou certo - Loki responde piscando maroto para si.

- E por que não casa o Loki com ela? - Thor pergunta ao pai.

O irmão arregala os olhos olhando em pânico para seu pai, ele não queria perder sua liberdade em num casamento e não queria ter que aguentar histerias de mulheres.

- Thor a mão dela foi dada a você, fiz o acordo com o pai dela com você presente e você deu a sua palavra - Odin fala encerrando o assunto.

Fechou o semblante ao observar o enorme sorriso do irmão a sua frente, ele teria que aguentar viver com uma dondoca, pois era isso que a princesa provavelmente seria.

Uma criada entrou na sala de reuniões com uma carta em mãos, conhecia aquele selo, era do reino dos elfos, seu pai pegou a carta lendo-a com atenção.

- Sua noiva vira para cá, precisam acertar o quanto antes o casamento - Odin fala chamando a atenção do filho para si.

- Por que a pressa? - Loki perguntou curioso.

- Ela sucumbiu a escuridão, pode apenas governar com seu marido, para continuar no poder ela vai nomear Thor o rei - Odin responde causando surpresa em seus filhos.

A lei dos elfos era essa, nenhum elfo poderia ter poderes da escuridão, ela ao os ter tirava seu direito ao trono, no entanto como era filha do rei seu direito por sangue estava garantido, ela poderia nomear alguém de sua confiança, nomeando Thor como o rei ela poderia manter-se no governo.

- Thor sabe os poderes dos elfos, eles podem ser perigosos... não posso permitir que não case com ela e tem outra... os pais dela foram mortos pelos jotuns - o seu pai fala chamando totalmente sua atenção.

Os reis dos elfos terem sido mortos pelos jotuns e ela ter sucumbido a escuridão significava apenas uma coisa... conspiração, alguém estava conspirando pelo poder, sendo assim não só os elfos ficariam em perigo mas os deuses também.

- Eu caso com ela - Thor fala decidido fazendo o pai suspirar aliviado pela sua decisão.

Seu olhar percorreu pelo seu corpo naquela vestimenta, usava um longo vestido cinza com um espartilho num tom mais escuro, as mangas e busto tinham detalhes em vermelho dando num ar mais sombrio para si, colocou sua capa por cima.

- Sua coroa senhora - Mila fala dando-lhe a coroa que fora de sua mãe.

Não pode deixar de sorrir triste ao pega-la, olhando-se no espelho colocou-a sobre sua cabeça, seus longos cabelos cor de areia estavam presos numa trança mais solta mas ao mesmo tempo elegante, ela estava deslumbrante, mas seus olhos estavam vazios, seus olhos eram roxos com esclera preta, eles tinham ficado assim após perder seus poderes da luz.

- Mila não deixe ninguém entrar aqui! - Selene ordenou pegando a pequena bagagem e seguindo para a sala onde encontraria Cyrius.

- Soube que ele esteve em seu quarto, fez bem ao não fazer escândalo - ele fala ao vê-la entrar na sala.

- Ele terá o que merece na hora certa, agora preciso jogar com as cartas que tenho em mãos - Selene responde ocasionando em um belo sorriso no rosto do senhor, ele parecia orgulhoso do seu temperamento.

Estaria mentindo se dissesse que Asgard não era linda, seus olhos arregalaram-se ao deparar-se com os enormes muros que cercavam toda a cidade a protegendo dos Jotuns, mas a surpresa mesmo fora dentro dos muros, a cidade parecia altamente tecnológica e ao longe pode ver o enorme castelo onde sabia que era a morada dos deuses, ele parecia reluzir devida sua cor em ouro puro.

- Eles estão nos esperando, vamos! - Cyrius tirou-a de seu torpor.

Ao entrar na sala seu olhar rapidamente fora para aquele que seria seu marido, ele destacava-se dos demais devido aos seus dois metros de altura, era extremamente musculoso com os cabelos num ruivo vivo indo até a cintura, seus olhos eram amarelos esverdeados com a esclera preta, padrões dourados emanavam de suas mãos e olhos, ele vestia um sobretudo que cobria por completo seu enorme corpo.

- Princesa Selene de Alfheim, sinto muito pela sua perda - Odin fala chamando a sua atenção.

Seu olhar foi para o senhor a sua frente, era um homem nitidamente velho apesar de não parecer, usava suas roupas formais totalmente pretos e continha um tapa-olho sobre seu olho esquerdo e seus longos cabelos eram totalmente negros como a noite.

- Obrigada Odin-sama - Selene responde inclinando suavemente a cabeça em sua direção em sinal de respeito.

- Esse é meu filho Loki - ele fala apontando para um jovem musculoso ao seu lado, ele usava uma capa com mangas compridas destacadas de sua base, uma luva sem dedos, suas orelhas eram repleta de piercings, seus cabelos verdes iam até seu pescoço dando-lhe um ar bem rebelde.

- Prazer em conhece-lo Loki-sama - Selene cumprimenta-o respeitosamente.

- O prazer... é meu - Loki responde piscando maroto para si.

- E esse é meu outro filho, o seu noivo Thor - Odin fala apontando para o deus que mantinha-se silencioso ao seu lado.

- É um prazer em conhece-lo Thor-sama - sua voz sai trêmula devida a raiva mesmo sem querer.

Ele não tinha culpa de nada, no entanto ela não poderia deixar de sentir-se presa nesse compromisso, ela queria poder viver a eternidade isolada, os homens em si davam-lhe total nojo e isso era total culpa daquele maldito.

- Prazer - ele disse simplesmente olhando-a com o rosto sereno.

Seu olhar ficou preso ao dele surpreendendo-a, ele tinha os mesmos olhos vazios que ela, seus olhos pareciam sem vida alguma como se ele estivesse apenas existindo e não vivendo.

- O aniversário de Selene é daqui a seis meses, no entanto não podemos esperar mais - Cyrius fala chamando a atenção dos deuses presentes.

- Eu li a carta que mandou-me, se tem mesmo um traidor entre os elfos não podem mais esperar, no entanto estou surpreso por conta dos poderes dela - Odin fala fazendo-a arfar.

Não queria que ninguém soubesse sobre o que acontecera consigo, além de ser doloroso demais... era vergonhoso admitir em voz alta que deixou-se levar por um maldito daquele.

- Os elfos sucumbem a escuridão quando perdem totalmente a esperança, o que fez seu coração ficar despedaçado? - o deus perguntou seriamente.

Apesar de ser uma pergunta um tanto pessoal, ela não poderia deixar de entende-lo, afinal ela seria a esposa de seu filho e ele queria assegurar-se que ela não seria um perigo para Thor.

- Eu prefiro falar isso ao meu noivo se não importa-se - Selene fala surpreendendo o deus a sua frente.

Tinha passado o caminho todo ao reino de Asgard pensando no que faria, era mais seguro dizer pessoalmente a Thor primeiro, se ele quisesse compartilhar com os outros já era com ele, mas ela queria ser sincera com o deus, de tudo que aconteceu consigo, ela não suportaria começar um casamento com uma mentira.

- Selene! - Cyrius chama aflito por seu nome.

- Tudo bem Cy... quero falar com ele a sós, me é permitido isso? - Sele pergunta olhando para Odin.

- Vamos - Thor respondeu dando-lhe as costas num claro sinal de que era para ela segui-lo.

Era um casal um tanto engraçado de ver-se ao longe, ela tinha 1,55 de altura em contraste aos do 2 metros do deus a sua frente, ela não considerava-se pequena, ele que era enorme!

Ele parou num jardim totalmente coberto por flores e arvores num tom pastel, ele era dentro de uma pequena estufa, parecia ser um local secreto o que era bom, já que pretendia que a conversa fosse privada.

- Ninguém ira nos ouvir aqui - ele falou como respondendo a sua pergunta mental.

- Thor-sama, eu-

- Chame-me de Thor, você é minha noiva não precisa ser formal comigo - ele a interrompe suavemente fazendo-a assentir.

- Thor... eu soube desse casamento depois que... depois que me aconteceram coisas...

Era difícil abrir-se totalmente a um desconhecido, no entanto era isso ou permitir que seu reino fosse parar nas mãos daquele que desgraçou sua vida.

- No meu aniversário de dezoito anos eu conheci alguém, achei que estivesse apaixonada por ele mas era ilusão - ela fala surpreendendo o deus.

- Por que acha que era ilusão? - ele pergunta curioso interrompendo-a.

- Tudo que ele usou para encantar-me era mentira, então apaixonei-me por uma farsa, nada daquilo era real - ela explicou calmamente ao deus que assente entendendo.

- Eu... eu entreguei-me a ele - ela fala fechando suavemente os olhos com medo da reação do deus a sua frente.

- Não é mais pura é isso? - a pergunta suave do deus a fez abrir os olhos.

Seu olhar para si continuava o mesmo, ele não tinha mudado nenhum pouco ao saber sobre a verdade.

- Não sou, ele usou-me para tirar minha pureza... deixou-me grávida e depois matou a criança, foi vendo a morte da minha filha em minha frente que eu deixei as trevas controlarem meu coração, por conta disso perdi meus poderes da luz...

- Ele queria que entrega-se aos poderes da escuridão e assim não pudesse governar sobre os elfos - Thor conclui com a voz seria.

- Sim... - ela responde evitando seu olhar, não queria que ele pensasse que era uma tola por ter caído num conto assim, no entanto era isso que ela era.

- Isso não muda nada para mim, eu sei do nosso casamento desde que nasceu e acostumei-me a isso de certa forma... o fato de ser ou não pura é irrelevante para mim - o deus fala a surpreendendo completamente.

- Não acha-me impura? - Selene pergunta atônita.

- Não.

A resposta dele a deixou sem folego, como entre os deuses ele seria compreensivo assim?!

- Mas as leis dos elfos-

- Isso é arcaico, não consigo aceitar que não haja igualdade entre os elfos, se fossem cobradas dos homens e das mulheres até seria compreensível, mas é apenas das mulheres, o corpo é seu e ninguém tem direito a ele - o deus fala a interrompendo.

Perdeu totalmente o chão com a fala do deus a sua frente, ou ele estava a manipulando bem, ou ele realmente achava isso.

- Vai contar a seu pai? - Selene pergunta para testa-lo.

- Você quer que eu conte? - ele retruca fazendo-a cerrar os olhos em dúvida.

- É algo pessoal seu, não posso sair espalhando por ai - Thor fala surpreendendo-a mais uma vez.

- Não quero... mas Uziel fara tudo para estragar o casamento, ele quer o trono para si - ela responde fazendo-o bufar.

- Ele não poderá fazer nada, vai ter a minha palavra a seu favor - Thor fala deixando-a mais tranquila.

Não queria deixar-se enganar mais uma vez por conversas tolas, daria ele o beneficio da duvida no entanto.

- Thor... eu... eu sei que serei sua esposa, mas quero que tenha paciência no quesito físico - Selene fala tremula.

Ela sabia que teria obrigações de esposa para com ele, no entanto só de pensar em algo físico com alguém... seu sangue fervia e sentia uma vontade descontrolada de matar, a imagem da sua filha em chamas parecia em sua mente, como um lembrete do que aconteceu a ultima vez que confiou em alguém.

- Não pretendo toma-la a força se é o que pensa - o deus resmunga ofendido.

- Eu não quis dizer que...- ela para de falar ao ver o rosto fechado do deus.

- Selene... eu posso entender pelo que passou, jamais iria força-la a deitar-se comigo, pensei ter deixado claro que essas leis dos elfos são arcaicas, o corpo é teu e só teu - a voz saiu como um rosnado mostrando que ela realmente tinha ofendido o deus.

- Se entende pelo que passei... sabe que não confio em ninguém, peço desculpas por desconfiar de ti, mas não consigo evitar - Selene responde tentando explicar-se ao deus.

- Eu sei.. desculpa por sentir-me ofendido também - Thor fala a surpreendendo.

A calma que ele emanava chegou a si como um balsamo, a tempos não sentia uma paz e tranquilidade assim, era engraçado sentir-se assim perto de alguém que ela nem ao menos queria conhecer.

- Papai disse que está tempo demais sozinho com ela - Loki fala entrando de supetão assustando-os.

- Loki eu já falei para não aparecer assim! - Thor rosna ocasionando em uma alta risada do irmão.

Apesar do deus estar visivelmente furioso com seu irmão, ela pode ver que eles tinham uma cumplicidade invejável, aquele momento ela desejou ter tido irmãos para compartilhar isso consigo.

- Temos que ir - Thor fala suavemente chamando a sua atenção.

- Claro.

- Pensei que fosse manifestar seus poderes das trevas ao ser assustada - Loki fala a surpreendendo.

- Por isso chegou de mansinho? - Selene pergunta cerrando os olhos.

O deus apenas sorriu abertamente em resposta fazendo-a revirar os olhos.

- Jamais vai conseguir que eu manifeste meus poderes assim - Selene responde fazendo com que o deus olhasse curioso para si.

- É que eu nunca vi um elfo da escuridão - Loki fala como se explicasse sua curiosidade.

- Loki! - a voz de Thor troveja fazendo o irmão calar-se imediatamente.

Não poderia julga-lo por sua curiosidade, mas não deixava de ficar triste por conta disso, seus poderes apareceram num momento de pura agonia, ela evitava os usar pois eles a lembravam tudo que ela perdeu.

- Desculpe pelo Loki - Thor sussurra suavemente fazendo um fraco sorriso aparecer em sua face.

- Tudo bem.

A face de Odin estava seria quando eles entraram no salão, pelo visto ele tinha questionado Cyrius seus motivos e o elfo negou-se a falar qualquer coisa.

- Vão dizer-me agora sobre o que trata-se? - a voz dele troveja pelo longo salão.

Selene suspirou ao saber que não poderia esconder isso deles, afinal o maldito usaria qualquer coisa ao seu favor.

- Eu não sou-

- Selene! - Thor e Cyrius falam em conjunto calando-a.

- Tudo bem, melhor que ele saiba por mim - Selene fala tentando os tranquilizar.

- Eu não sou-

- Selene perdeu os poderes da luz ao confiar num maldito, ele matou alguém muito querido para si, agora quer fazer de tudo para tomar o trono - Thor fala a interrompendo-a.

Ela cerrou os olhos para o deus, por que ele tinha mentido para seu próprio pai?

- É isso mesmo? - Odin pergunta olhando-a com seriedade.

Como mentir para o deus da sabedoria?

Como o próprio filho tinha se atrevido a isso?

- Sim... eu conheci um amigo no meu aniversário de dezoito anos, ficamos muito próximos e eu não sabia nada sobre estar noiva ainda, quando ele conseguiu minha completa confiança ele matou alguém querido na minha frente - Selene conta uma parte da verdade.

De fato isso tudo tinha acontecido em outro contexto claro, Odin olhava-a com tanta seriedade que ela pensou que ele poderia ver a sua alma com isso.

- Esse alguém querido... você devia o amar para ele poder liberar seus poderes da escuridão - Odin fala desconfiado.

- Ela era uma filha para mim - Selene fala aguçando ainda mais a curiosidade do deus.

- Filha? - Odin perguntou levantando a sobrancelha.

- Selene cuidava de uma menina órfã escondida de seus pais pois ela era um bebê, Selene apegou-se a menina e Uziel o amigo que aproximou-se de Selene matou a criança em sua frente - Thor responde pela elfa fazendo Selene arfar.

A segunda mentira que ele contará por si?!

- Entendo... - Odin fala olhando-os com desconfiança.

Ela não ousava respirar perante ao deus, mas o que mais a intrigava era os motivos que levou Thor a mentir para o próprio pai, ele não precisava ter feito isso para si.

- Agora podemos falar sobre o casamento Odin-sama? - Cyrius pergunta chamando a atenção do deus.

- Creio que esse Uziel seja aquele que queira ocupar o trono? - Odin pergunta seriamente ao elfo que assente em uma careta.

- Podemos fazer o casamento em Asgard, ele não ousará tentar nada aqui - Odin fala depois de muito pensar.

- Perfeito, podemos fazer para esse final de semana mesmo - Cyrius fala surpreendendo Selene.

Isso era daqui a três dias!

Seu coração disparava de uma maneira absurda, como em nome de todos os deuses casaria em três dias?!

- Eu vou pedir para uma criada mostra-lhes o quarto que ficaram esta noite, pela manhã iremos combinar sobre o casamento - Odin fala dando o assunto por encerrado.

- Eu mostro o quarto a eles - Thor responde rapidamente fazendo o pai cerrar os olhos para si.

Eles permaneceram olhando-se por breve minutos como se estivessem numa conversa muda, no entanto o semblante do deus não mudou.

- Certo - Odin fala depois de um tempo.

O caminho até o quarto fora longo devido ao silencio que os três faziam, quando chegou ao quarto de Cyrius o elfo olhou seriamente do deus para Selene.

- Mantenha suas mãos longe ou ficará sem elas - Cyrius fala numa voz ameaçadora fazendo o deus erguer a sobrancelha em descrença.

- Cyrius! - Selene resmungou brava com o elfo.

Ele tinha mesmo insinuado que eles ficariam de amassos?!

Pior ainda, ele ousou enfrentar um deus por sua causa?!

- Ele está avisado, boa noite -Cyrius responde entrando em seu quarto.

- Desculpa - Selene pede suavemente com medo que o deus tentasse algo contra o elfo.

- Imagino que ele queira apenas protege-la - Thor responde ocasionando em um sorriso no rosto da elfa.

- Sim...

Eles pararam em frente a um quarto uns metros longe do quarto de Cyrius, Selene virou-se em frente para perguntar para o deus os seus motivos para ter mentido para seu próprio pai quando ele a puxa pela mão entrando no quarto, ela não deve outra reação senão chuta-lo na barriga, o deus surpreendeu-se ao voar longe.

- Nossa! - Thor respondeu com a mão sobre sua barriga machucada, como um ser tão pequeno tinha tanta força?

- Achou que eu fosse uma princesinha que não soubesse lutar?! -Selene pergunta furiosa ao deus.

- Honestamente sim - ele responde ocasionando em um rosnado nela.

- Mas que petulância! Eu sei lutar seu idiota! - Selene responde irada com o deus.

- Estou vendo - ele responde com um brilho diferente no olhar.

- Por que puxou-me para o quarto assim? - Selene pergunta brava.

- Você ia me perguntar os motivos de eu ter mentido para meu pai, o corredor não é lugar disso e os quartos são a prova de som - ele responde fazendo-a arregalar os olhos.

Ele não tinha tentado nada contra si... como fora burra!

- Deuses! Desculpa! - Selene pede com os olhos arregalados fazendo o deus sorrir.

- Não precisa pedir desculpas, bom saber que sabe defender-se - ele responde piscando maroto para si.

- Então por que mentiu para seu pai? - Selene pergunta voltando ao assunto em questão.

- Ele... não entenderia, fora que isso é algo intimo seu, não quero que sinta-se obrigada a contar para ninguém, disse-me que não queria que ninguém soubesse - Thor responde a surpreendo.

Realmente o deus não era nada do que ela esperou, ele era completamente diferente do que tinha imaginado.

- Boa noite - Thor fala virando-se para sair.

- Thor... obrigada - Selene fala ocasionando em um lindo sorriso no rosto do deus.

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de ThaiDragomir

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Romântico