O Goblin Cinza Me Visita Em Meus Sonhos (Terminado)
Rock
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 18/02/23 15:37
Editado: 13/05/23 17:57
Qtd. de Capítulos: 5
Cap. Postado: 04/03/23 18:12
Cap. Editado: 13/05/23 17:56
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 5min a 7min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 103
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 851
[Texto Divulgado] "Asas de papel... A resposta" Um poema que mostra as dificuldades relacionamentais e um amor que serve como porto seguro.
Não recomendado para menores de doze anos
O Goblin Cinza Me Visita Em Meus Sonhos
Capítulo 3 Declínio

Dez anos se passaram, e minha capacidade criativa, assim como minha técnica, apenas evoluíram, porém, algo que já não me atormentava a muito tempo, voltou a me perturbar. O meu maior inimigo havia retornado, à página em branco!

Quatro meses atrás, meu maior sucesso foi lançado, meu Magnum opus, adorado pela crítica e amado pelo público. Minha última obra foi perfeita, sem erros, o meu potencial máximo foi expresso no livro intitulado: “As Correntes Invisíveis.”, porém, logo após seu lançamento, o sentimento ancião, do qual já havia me esquecido, voltou. Me sinto como um motorista batendo o carro em alta velocidade, o baque ocasionado por esta emoção é corrosivo, e me deixou novamente perdido nesta sociedade caótica em que vivo.

O vazio, novamente se materializa em meus sonhos, entretanto, diferentemente da comodidade que sentia quando novo, agora apenas sinto o terror. Como este local ainda pode existir?

As noites são horrendas, me lembro do meu acordo com aquele ser em minha mente, não, não, deve ser o estresse, sim, só pode ser o estresse. Devo prosseguir com calma, com tempo sei que serei triunfante na batalha contra o meu antigo inimigo.

Um ano se passou desde o lançamento da minha obra-prima, agora, as cobranças da minha editora ocorrem diariamente. Á insistência para que eu criei algo novo, me faz lembrar do tempo em que trabalhava como atendente.

O sentimento de estar aprisionado voltou, será que em minha busca para sair daquela prisão, acabei entrando em outra? Esta questão me perturba.

Os pesadelos são constantes e a vida se torna cada vez mais deplorável. Talvez não haja escapatória? Talvez o nosso destino como humanos seja ficar preso, para sempre, confinados em nossa própria mente? O escritor deste século, assim eles me chamam, o que pensariam se me vissem pessoalmente? Sei que sou apenas uma pessoa estagnada, com sua criatividade esgotada, com rancor da vida que tenho, com relutância pelo caminho que segui. Toda à noite, atormentado pelo meu inimigo mortal, a página em branco. Eu a odeio, a abomino com todas as minhas forças, e mesmo a detestando, ela é sempre a última imagem que vejo antes dos pesadelos noturnos.

Nesta noite eu me deito, novamente derrotado pelo meu inimigo.

O último pensamento que se passa pela minha mente, antes do vazio me consumir, é de que, minha interpretação, sobre o que seria o sonho e a sobrevivência, estava errada. Às duas ideias, são como irmãos siameses, uma se mescla a outra, se unindo em uma única entidade, que chamamos de vida.

O sonho é diferente nesta noite. Algo está errado! ao invés de estar flutuando no vazio, eu me encontro amarrado a antiga cadeira de madeira. Me sinto extremamente apavorado, é como se estivesse me afogando.

Aos poucos, a criatura do meu passado começa a se manifestar. O pânico aumenta à medida que o ser sai da escuridão, porém, quando ele está totalmente materializado em minha frente, sinto meu sangue esquentar, sinto o terror se tornar ódio, raiva, havia sido enganado por este ser, o pacto não havia sido comprido, este desgraçado com seu sorriso sínico havia me enganado, miserável, eu o expulsarei da minha mente, eu o aniquilarei!

— Seu grande filho da puta! Você me enganou! Durante dez anos eu me senti livre, finalmente, eu havia conseguido me expressar de maneira compreensível, mas agora, agora, ela voltou, à página em branco, voltou! — Digo para o ser, gritando com toda a força que possuo.

— Vincent, você não deveria xingar sua mãe deste jeito. — Diz este desgraçado alargando seu macabro sorriso amarelo. — O pacto que fizemos transforma o sonho em sobrevivência, fazendo com que o sonho se torne o meio pelo qual o indivíduo possa sobreviver. Dez anos é tudo que você possui, é o máximo que sua mente pode criar. — O que este maldito está tentando me dizer, tudo que já criei durante a minha existência durou apenas dez anos? Havia criado cem histórias, isto significa que só poderia contar estas cem? Nem mais, nem menos. Mentiras, só pode ser, mentira. — Foi bom fazer negócios com você, porém, agora que a criatividade se foi, não tem porque eu existir. Agora só lhe resta o vazio, adeus meu amigo. — Diz a criatura desaparecendo no vazio. Desgraçado não fuja, não me abandone, não me deixe na escuridão.

Agora, me encontro preso na escuridão. Tudo que posso fazer é encarar o abismo. Mesmo que deseje a liberdade, mesmo que queira criar, nunca poderei, pois, a criatividade me abandonou. Um mundo onde não posso criar, não é o mundo que desejo viver, não é uma vida que vale a pena ser vivida.

Sinto minha essência vital, repentinamente, se extinguir. Conforme um resplendor dourado decai sobre o meu ser abalado, percebo que minha vida havia chegado ao seu fim.

A Morte Do Maior Autor Deste Século

Noite passada, Vincent Augustos, um dos maiores autores deste século, foi encontrado morto em seu quarto. Segundo os peritos, o renomado autor teve uma overdose. Por motivos que ainda são desconhecidos, Vincent ingeriu quarenta comprimidos antes de se deitar, e morreu enquanto dormia.

Matéria por Clara Lima, Jornal: Notícias Diárias

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 05/03/23 03:22

Prezado Rock,

C4ralh0, irmão.

Agora que finalizei sua obra, só posso dizer duas palavras, leia com o maior carinho:

C4ralh0, irmão.

Vamos começar, o personagem principal foi muito interessante e complexo e nos trouxe um plot inteligente e intrigante.

O conto teve um ritmo único, com uma narrativa emocionante, ansiosa mas sutil.

Sem falar nas descrições que foram muito bem detalhadas e vivas!

Ultimamente, eu tô que nem o Vincent, coitado:

"Sinto minha essência vital, repentinamente, se extinguir. Conforme um resplendor dourado decai sobre o meu ser abalado", mas felizmente, não em declínio suficiente pra ir de arrasta pra cima."

Persista artista, tudo que existe, pode se recriar e o poder vem de dentro!

Que obra ótima, a duração dela foi perfeita, tudo muito balanceado e ao mesmo tempo insano, do jeitinho que eu gosto hehehehe

PARABÉNS Rock!

Amei ler sua história! Que venham muitas outras!

Com carinho, Seis.

Postado 24/03/23 19:55

Obrigado pelos comentarios, este tipo de interação sempre me instiga a continuar escrevendo.

.

Outras obras de Rock

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Reflexivo

Outras obras do gênero Sobrenatural

Outras obras do gênero Terror ou Horror