Filosofia de sentimentos e desejos
Meiling Yukari
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 18/01/16 15:29
Editado: 27/08/17 15:35
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 8min a 11min
Apreciadores: 6
Comentários: 5
Total de Visualizações: 666
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 1356
[Texto Divulgado] "Tulipa do ex amor" A descoberta da falta de amor próprio após tropeços na vida amorosa
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

Olá queridos leitores, eu escrevi esse conto inspirada no livro A Verdade Sobre Nós, porém com enredo e personagens totalmente originais. A inspiração é sobre o modo de escrever. Uma carta, que a Aluna escreveu para seu Professor, descrevendo as coisas pelas quais eles passaram. Espero que vocês gostem!!!! Beijinhos ^.^

Capítulo Único Filosofia de sentimentos e desejos

Sou Liza, estou no segundo ano do Ensino Médio.

"O professor Gustavo passou um trabalho de filosofia para minha classe, que consistia basicamente em fazer uma redação, em dupla, e eu fiz esse trabalho com minha amiga Melissa, mas por desgraça da vida, e felicidade do destino, o Gustavo não aceitou o nosso trabalho, alegando que não tínhamos feito do jeito certo. Ele então nos deu o prazo, de uma tarde, para resumir nosso trabalho de 6 páginas em uma única página. Eu estava desesperada, pois a Melissa tinha ido para a casa dela e eu fiquei sozinha na escola.

Não sou muito boa em filosofia, e sou pior ainda em resumir textos.

Na hora do almoço, eu fui falar oi para a Bruna, e ela me disse que naquela tarde o professor Rafael, você, estaria dando monitoria de filosofia no cursinho.

Ao mesmo tempo eu senti um misto de alívio, tristeza, felicidade, insegurança. Afinal, era a oportunidade perfeita para mim ir falar com você. Mas eu nem sequer o conhecia de verdade, eu apenas observava você andando pelos corredores da escola, sorria para você, e você retribuía meus sorrisos, retribuía meus olhares... Ah Rafael... seus olhos me enfeitiçaram desde a primeira vez em que os vi...

Eu estava com medo...

As 15:30 eu finalmente me decidi. Eu subi as escadas do cursinho, e fui de sala em sala procurando você. Até que uma aluna me falou que você estava na sala dos professores. Eu fui até lá, e chegando na porta eu te vi. Você estava sentado num sofazinho, comendo um Danone grego, e na hora em que você me viu na porta, você se assustou e melou sua barba com o Danone meloso. Eu senti uma vontade louca de lamber sua barba naquele instante. Nessa hora você se levantou e sumiu da minha vista. Após alguns minutos você reapareceu, olhou em meus olhos, e me perguntou o que eu estava fazendo ali. Eu expliquei sobre o trabalho de filosofia, e você aceitou me ajudar.

Você me acompanhou até a sala principal do cursinho. Nessa sala tinha bastante gente, e você me ajudou com o trabalho. No final você elogiou minha redação, mas disse que eu precisava melhorar a conclusão. Após um tempinho, você me disse que ainda estava com fome, e que eu o havia atrapalhado de comer seu Danone em paz. Você se levantou e saiu andando, eu fiquei com medo de que você fosse embora e não me ajudasse com o final do texto, foi por isso que te segui, até o interior da sala dos professores.

A sala estava escura e vazia. Apenas você e eu. Eu acendi a luz, e você pegou o Danone na geladeira. Nós nos sentamos no mesmo sofazinho que você estava sentado horas atrás, e eu pacientemente esperei você comer vagarosamente seu delicioso Danone. Delicioso é você! Rafael! Eu não conseguia tirar os olhos de sua boca, eu via e apreciava cada movimento da mastigação, e quando seus lábios se abriam para a entrada de mais uma colher de Danone, eu desejava mais que tudo, ser o Danone que escorregava por entre seus lindos e atraentes lábios.

Você estava quase acabando seu Danone, quando sua barriga fez um som estranho, e você ri com isso. No momento em que para de rir, percebe que sua barba ficou novamente melada de Danone. Eu rio com a situação. Você me olha com os olhos flamejantes, e me pergunta “Quer saber que gosto tinha o Danone?” Eu fico parada, sem responder nada, afinal eu fiquei um pouco assustada com o quão direta sua frase foi.

Como eu não respondia nada, você colocou sua linguinha para fora, e lambeu sua própria barba melada. Vendo isso, eu te perguntei “Mas não era para mim ver o gosto do Danone? Agora não sobrou nada hahaha” e você me respondeu “Sobrou apenas o sabor... se você ainda quiser...” Eu tento me controlar, mas inutilmente, pois ao ouvir essas palavras, meu corpo se incendeia de desejo, desejo de tocar seus lábios com os meus.

Na hora em que eu me inclinei, chegando com o rosto bem perto do seu, pensei que você fosse hesitar, virar a cara, ou se afastar, mas não, você segurou meu rosto com suas duas mãos, e me puxou para ainda mais perto de si. Eu sentia sua respiração, e você com certeza sentia a minha também.

Não aguentei nem mais um segundo, e colei nossos lábios, ao mesmo tempo em que nossos corpos se colavam, ainda sentados naquele sofazinho. Eu me joguei em seu colo, sentando em sua coxa firme, porém macia, e você me abraçava, me apertando cada vez mais contra seu corpo. Eu sentia seu sexo crescendo sob o meu, me enchendo cada vez mais de tesão, louco e insano.

Após alguns minutos, você se levantou, comigo ainda enroscada em seu corpo, e andamos até a mesa encostada na parede. Eu me sentei na mesa, e você ficou de pé, com minhas pernas contornando seu corpo. Jamais esquecerei a sensações que senti nessa hora. Nós nos beijávamos, nos tocávamos, nos acariciávamos, esfregávamos nossos corpos um no outro, eu arranhava suas costas enquanto você arranhava meu corpo todo...

Ficamos assim um bom tempo, provavelmente por uns 30 minutos. Eu teria ficado minha vida toda. Você sabe disso. Espero que saiba. Mas tivemos que nos separar, pois ouvimos passos do lado de fora da porta da sala onde estávamos, por sorte ninguém abriu a porta, apenas passou reto.

Saímos da sala dos professores, um pouco envergonhados, um pouco constrangidos com o que havia acabado de acontecer. Andamos com a cabaça baixa, olhando para o chão, até chegarmos na sala de aula, até chegarmos na carteira que estávamos sentados antes de tudo acontecer. Eu quase não tive forças para levantar o rosto em sua direção, e quando finalmente levantei, vi que você me observava, e você me olhou nos olhos, mas dessa vez eu não tive forças para sustentar seu olhar, e desviei, e olhei para o teto, e olhei para o chão. Passaram-se alguns segundos, e eu sabia que você continuava a olhar para mim. Eu precisava falar algo... mas a única palavra que conseguiu sair da minha boca, foi seu nome... em um sussurro quase inaudível, eu pronunciei seu nome. Ao ouvir meu sussurro, você finalmente disse alguma coisa, você disse “Me perdoe... eu não devia ter te forçado a nada”. Sinto uma pontada em minha alma, e olho em sua direção. Vejo você com os olhos baixos, e me sinto uma pessoa horrível.

Num impulso, eu seguro sua mão direita, e a aperto com carinho. Você me olha assustado, e tira sua mão rapidamente, dizendo que ninguém podia ver qualquer forma de afeto entre nós. Ouvindo isso, eu soube exatamente o que falar, “Eu sei, eu apenas queria te dar uma prova, de que eu não fui forçada a nada. Tudo que eu fiz, eu fiz porque eu quis.” e então eu sorrio para você, acrescentando “Esse é o nosso segredo...” e você repete “Sim... Esse é o nosso segredo...”.

Eu terminei de escrever o final da redação, e dessa vez você disse que estava legal, mas ainda assim, você disse que eu não sei fazer uma boa conclusão na redação. Hahahahaha Ah Rafael, eu ri disso na hora, estou rindo agora, e sempre irei rir quando me lembrar!

Já estava na hora de eu ir embora da escola, minha mãe passaria me pegar as 18:30, e já eram 18:20.

Eu te agradeci imensamente pela ajuda com a redação. Tentei fazer parecer que as coisas estavam exatamente iguais a antes. Mas não. Nós dois sabemos. Tudo mudou aquele dia. E então estendi a mão para um cumprimento final. Você apertou fortemente minha mão, e sorriu, aquele sorriso tão lindo que eu tanto amo e que tanto me fascina. Sorri do mesmo jeito para você, e pensei sobre o quanto eu queria que você gostasse do meu sorriso do mesmo jeito que eu gosto do seu.

Me virei e saí andando. Desci as escadas, e saí pelo portão da escola.

Nesse dia eu sonhei com você, professor Rafael."

❖❖❖
Notas de Rodapé

Muito obrigada por ler!!! <3

Apreciadores (6)
Comentários (5)
Comentário Favorito
Postado 10/07/16 15:25

SATÃ! SATÃ! SATÃ!

Que texto delicioso foi esse que acabei de ler? Pelos vapores do Abismo, a senhorita me surpreendeu grata e imensamente, emiti até alguns palavrões de empolgação em certas partes da narrativa!

Eu já estava sentindo uma "vibe" estranha conforme a história prosseguia, mas pensei que era excesso de malícia minha... Até a garota literalmente se tornar o manjar a ser degustado (ou teria sido o professor? Provavelmente ambos... QUE SEJA!) de uma forma voraz, sem freio nem receio! Ó Satã, como apreciei as suas descrições nesta obra!

A senhorita conseguiu deixar o conto o deveras natural, verossímel e estimulante com sua narrativa crescente em sentimentos e eventos, culminando em uma verdadeira erupção que submerge o leitor na história e lá o mantém até o final (que dá margem facilmente para uma continuação tão ou ainda mais intensa deste relacionamento proibido)!

Simplesmente magnífico, magnífico! Anseio MUITO por mais textos seus nesta instigante e surpreendente linha, onde qualidade e primazia se fizeram mais que presentes! Bravíssimo, Srta Meiling! BRAVÍSSIMO!

Atenciosamente,

Um ser que passará a comer Danone perto dos outros a partir de hoje, Diablair.

Postado 14/07/16 15:41

Cada comentário seu, é uma verdadeira obra prima, Diablair!

Este foi um dos textos que eu mais adorei escrever, justamente pela temática do ''proibido''.

Já escrevi alguns outros textos nesta linha, mas sempre os acabo descartando, por acha-los demasiadamente clichês... Uma pena, pois adoro escrever coisas assim AHUAHAUAHAUHA

Sinto-me extremamente lisonjeada com seu comentário, meu querido!

Gratíssima, uma criatura que adorará vê-lo comendo Danone, Meiling.

Postado 14/07/16 20:00

Srta Meiling... Simplesmente encanta-me a cada texto e comentário...!

Por obséquio e bondade satânica, publique mais manjares literários como este para saciar a fome de novidades e a sede de luxúria desta e tantas outras almas (anônimas, porém existentes aqui e ali)!

Postado 18/01/16 16:16

Achei o começo um pouco confuso devido ao monte de nomes diferentes de personagem que você citou sem desenvolver muito, mas depois a história ficou bem clara, interessante e... Picante hehe. A escrita e coesão do restante do texto está perfeita a meu ver. Parabéns, você é uma ótima escritora :)

Postado 23/01/16 00:26

Olá Daniel, me sinto muito agradecida pelo seu comentário!

Fico muito feliz em saber que você gostou do que eu escrevi!!!!

Um abraço :)

Postado 23/01/16 00:34

Ah, e eu vou tentar melhorar o desenvolvimento das personagens, para não deixar os leitores confusos com esses monstes de nomes =D

Obrigada por ter me mostrado os pontos fracos da minha escrita!

Vou me esforçar para que meu próximo conto seja mais bem desenvolvido :)

Postado 26/01/16 22:23

É isso aí \\o/

Espero ver mais contos seus por aqui ;)

Postado 18/01/16 22:58 Editado 19/01/16 10:38

Acho que é o primeiro conto desse estilo do site :v

E como o Daniel disse tá bem picante ;P

Parabéns <3

Postado 23/01/16 00:29

Obrigada pelo comentário AzuriSky <3

Fico muito feliz que você tenha gostado!!!!

Eu pretendo escrever mais histórias com esse estilo hehehe

Beijinhos :*

Postado 27/06/16 17:49

Um texto fascinante. Um pouco bobo vezes, mas belo. Heh

Postado 30/06/16 21:40

Acho que todos temos um lado meio bobo (tão bobo que chega a ser ridículo), quando estamos ao lado de alguém que gostamos, e meu texto passa uma ideia bem ridícula (as partes sobre o danone principalmente haha)!

Obrigada pelo comentário, moço!!

Postado 29/12/17 18:27

Tuas obras são sempre as melhores e, de fato, nos surpreendem demasiadamente. Li o texto do início ao fim boquiaberta.

Tu é uma escritora incrível. Parabéns, moça ❤

Postado 23/01/19 20:05

Senhorita Sabrina!

Saiba que é para mim uma grandiosa honra receber um comentário tão fofo vindo da sua parte <3

Obrigada por ser tão atensiosa ao ler meus textos!!

Um grande abraço para você :3

Outras obras de Meiling Yukari

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Reflexivo