Dormindo nos laranjais
Tháiza Lima
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 03/05/16 21:20
Editado: 03/05/16 21:24
Tags: Flashback
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 8
Comentários: 8
Total de Visualizações: 1012
Usuários que Visualizaram: 20
Palavras: 397
[Texto Divulgado] "Os meninos e o poeta." Posso até nem ser aquilo tudo como autor, nem é mesmo o pretendido, não obstante, tomar um cafézinho com o poeta é uma honra que vou levar dessa divertida existência.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

A inspiração não vinha e eu não queria deixar esse desafio passar em branco, ainda mais com um tema tão bonito e legal de se trabalhar :/ então, aproveitando que "Meus oito anos" não saíam da minha cabeça, parafraseei uns versos e montei uma história e... bem, espero que esteja boa ^^'

Boa leitura!

Capítulo Único Dormindo nos laranjais

Costumávamos nos deitar nessas gramíneas onde hoje me deito sozinha. Lembras, amigo? Tu costumavas pular o cercadinho e deitar bem aqui, do meu lado, por volta das nove da noite. Madame dava o toque de recolher e eu fingia que dormia, para depois fugir pelas trepadeiras da janela até o jardim florido e ali espera-lo.

Conversávamos com as estrelas, ouvíamo-las e brincávamos de esconde-esconde com os filhos da Lua. Tu eras meu parceiro, e eu nunca cheguei a agradece-lo por todos os sorrisos que me proporcionastes.

Mim e tu, oh, a dupla imbatível. Juntos compusemos a melodia do terror nas tias e tios da cidadela, sempre com as mãos cheias de pão, queijo e vinho. Memórias de um dia de sonho partido, quando éramos apenas crianças, sorrindo com a vida mansa.

Amigo, pergunto-me por onde tens andado. De certo já estás casado, provavelmente com aquela Fabiana que vivia a importunar-me. Tudo bem, tu nutrias sentimentos tão dóceis pela menina, não tenho nada a reclamar se feliz estás.

Às vezes pego-me pensando nos livros de adulto que líamos. Tantas palavras desconhecidas que hoje pronuncio sem o menor problema. Quem diria que a ladra de batatas um dia seria contadora? Quem diria que o espevitado pivete um dia seria advogado? Livros de adulto fazem essas proezas.

Lembras quando o homem do fim da rua cozinhava tortinhas? Éramos sempre os primeiros da fila para pegar um pedaço. Raul era seu nome, ou o nome de seu filho, ou o nome de seu neto. Não importa agora, se eu não me recordo imagine tu.

Às vezes pego-me andando pelos velhos pomares da casa da titia. Canto com voz desafinada as cantigas infantis que ela costumava recitar, rezando ao Pai para que adormecêssemos logo. Titia gostava muito de ti, embora ela o chamasse de moleque e proferia insultos sempre que o via pulando a cerca.

Oh! Que saudades que tenho da minha infância querida. Quando tu eras a aurora da minha vida e os anos nunca mais o trarão. Lembras dos amores suaves, das tardes meigas e do aroma do chá de madressilva? Talvez sua única lembrança seja a moça, sua vizinha, com a qual brincava na propriedade de distância imensurável.

Pois lembro eu, amigo, e que saudade tenho daquele tempo: quando costumávamos correr com afinco, à luz da noite e das sombras gentis das bananeiras, tropeçando nas ameixeiras, dormindo nos laranjais.

❖❖❖
Notas de Rodapé

<3

Apreciadores (8)
Comentários (8)
Postado 03/05/16 21:24

Que texto perfeito!!!! Belíssimo e emocionante. Meus parabéns senhorita pelo texto perfeito!!!! <3 <3 <3

Postado 04/05/16 20:39

Que isso, amore *-* belíssimo é seu comentário que me deixou sorrindo que nem uma boba por vários minutos, muito obrigada, de verdade <3

Postado 04/05/16 00:16

Lindo Lindo!

Postado 04/05/16 20:40

Obrigada, fico feliz que tenha gostado *---*

Postado 04/05/16 01:59

O que é inocência, afinal? O paraíso...

Postado 04/05/16 21:09

Certamente, quando o mundo ainda tinha a pintura da inocência tudo parecia vívido, surreal e colorido. Porém, as memórias ainda guardam esses momentos simples de quando éramos felizes e não sabíamos, assim podemos voltar a ter o gosto do paraíso mesmo estando a milhas de distância.

Obrigada pelo comentário :3

Postado 04/05/16 19:21

Não cansa de surpreender.

Postado 04/05/16 20:46

...eu tento, XD 'brigada, Joy *3*

Postado 04/05/16 20:18

Tão bom ler esse texto!!!! me senti no meio dos laranjais..parabéns.

Postado 04/05/16 20:42

Oh, que bom que consegui fazê-la sentir como se estivesse nos laranjais *-* embora eu nunca tenha estado em um pomar, ksoapk. Fico muito feliz que tenha gostado, nossa, de verdade, obrigada *u*

Postado 06/05/16 13:58

Bah, muito bom. Muito me encantou como estruturaste este texto. Encheste o texto de pequenos detalhes que valorizaram a obra sem tornar a leitura massante. Sério, muito bom mesmo.

Parabéns e sucesso.

Postado 12/07/16 00:02

Ainda procuro os detalhes que vocês dizem enriquecer o texto, mas, se assim foi dito, não tenho o que contestar, somente agradecer de coração por suas palavras e me alegrar por ter gostado da estória (e se encantado com ela) *--*

Muito obrigada :3

Postado 12/07/16 21:11

Você já leu "Roubando Como Um Artista"?

É fantástico e fala da arte de se "apropriar" de arte, transformando-a em nova obra.

Você fez isso com muita competência!

Delicadeza de texto.

Parabéns!

Postado 22/07/16 22:10

Ainda não li, mas lerei em um futuro próximo, obrigada pela recomendação :3

Eu não exatamente me "apropriei"... só, hm, peguei uns versos (aqueles batidos que todo mundo conhece xD) e fiz um textinho tendo-os como inspiração... sinto que menosprezo demais as coisas que escrevo, anyway. Só tenho que agradecer por suas doces palavras, moça, obrigada :33

Postado 29/12/17 18:02

A menina Thaiza sempre nos surpreendendo e encantando. Não me canso de ler tuas obras.

Meus parabéns, moça ❤