Amor tem pena de morte
Tháiza Lima
Tipo: Lírico
Postado: 08/06/16 23:47
Editado: 29/08/16 22:47
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 4
Comentários: 0
Total de Visualizações: 676
Usuários que Visualizaram: 15
Palavras: 228
[Texto Divulgado] "Renascentismo" "And it's good to be alive Crying into cereal at midnight If they ever let me out, I'm gonna really let it out"
Não recomendado para menores de catorze anos
Notas de Cabeçalho

O título original deveria ser “Dois garotos e um cordeiro”, mas vou guardar esse título para quando eu terminar a história dos personagens do poema.

Só para não ficar confuso, o eu-lírico se chama Rafael e o poema tem mais de uma voz.

Boa leitura!

Capítulo Único Amor tem pena de morte

Pergunto-me o que o destino espera de mim.

Sangue, sangue, sangue!

Ferro em suspensão com hemácias, plaquetas e leucócitos.

Água. Amor.

Onde você está, Jonathan?

Paixão que me corrói como ácido clorídrico.

Eu respirava monóxido de carbono,

para ver se um dia eu morreria.

[nunca morri.

Paixão que me inflama do quintal até a cama.

Eu rasgava as cortinas rendadas,

e usava parte das minhas chamas para queimá-las.

[eu o amava.

Besta, beta, nunca, alfa

Devoro carne, masculina, não semente de alfafa.

A pelagem que me esconde é de uma bela

[cordeirinha.

Chamava-se Natasha, no feminino.

Uma ovelha raquítica e sem carne.

[foi devorada.

O lobo é o homem do lobo.

[Metáfora

O homem.

O homem é meu.

[Modo indicativo.

O homem haveria de ser meu.

[Modo subjuntivo.

Meu.

[Imperador.

Lobo.

Loba.

Sou lobo, nunca líder da alcateia;

quem me decifra, é humano morto.

quem me desafia, é humano morto.

[como eu o amo.

Natasha roubou-lhe um beijo, hoje ela nunca mais beijará alguém.

Jonathan sorria para mim nos campos verdes.

Eu rosnei.

Eu o beijei.

Eu disse que o amava.

[Sou uma besta escondida em um manto mortal]

[Ele é minha presa]

[Eu o amo tanto]

Um dia Jonathan me chamou para um canto,

Ele disse:

“Mas eu sou um homem!”

E eu sou seu lobo.

Após trocar juras de amor,

fomos devorados pelos líderes da alcateia.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Não espero que entendam de primeira, mas é basicamente a história de um amor proibido que chamou mais atenção do que devia. Espero que tenham gostado <3

Apreciadores (4)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de Tháiza Lima

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero LGBT

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Romântico