Nada está tão ruim que não possa piorar
Gabi
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 17/06/16 10:18
Editado: 22/06/16 08:46
Gênero(s): Comédia Cotidiano
Tags: Mau Dia
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 5
Comentários: 2
Total de Visualizações: 794
Usuários que Visualizaram: 14
Palavras: 370
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Depois de um tempo pensando...

E pensando...

Resolvi participar do desafio!

Vamos ver no que dá né

Abraço!

Capítulo Único Nada está tão ruim que não possa piorar

Depois de uma noite de insônia, Ametista só deseja uma coisa... Que o dia fosse melhor que a noite.

Nem seus olhos arroxeados como os de Elizabeth Taylor disfarçavam suas olheiras, nem seus lábios finos de cor coral conseguiam disfarçar que estava mal, por mais que botasse um sorriso sabia que ele era falso, então para que usá-lo? Todos já passaram uma noite de insônia pelo menos uma vez na vida.

Não é necessário disfarçar.

-Rúbia tinha razão... - A Jovem dizia para si mesma enquanto se olhava no espelho, reparava em cada detalhe de sua imagem- Tem dias que a gente está uma porcaria mesmo.

Ametista era linda, além dos formosos e raros olhos arroxeados, dos lábios finos, a moçoila tinha algo em especial, não era sua pele clara, não era seu cabelo longo louro e encaracolado por natureza, nem seu corpinho bem cuidado, ela tinha algo de diferente, algo de mais especial que tudo isso.

-Minha mãe bem que poderia ter colocado um nome mais comum –Olhava para o espelho com uma cara de poucos amigos- sério... Ametista? Se bem que... De nada adianta reclamar, não dá para mudar mais.

Lavou seu rosto e o secou com uma toalha, que estava pendurada na parede, ao sair do banheiro, foi à cozinha e olhando para o relógio viu que estava atrasada para o trabalho.

-Mas que droga!-Correu como um corredor da olimpíada de volta para seu quarto tirou o pijama curto que havia ganhado da Irmã de aniversário e se arrumou como um ninja, mas antes de sair do cômodo, bateu o dedinho do pé na porta, o grito de dor foi inevitável.

-Porcaria!- levantava o pé ferido e massageava o local machucado com a mão, mas a falta de equilíbrio fez a moça cair no chão.

Nada de drama, Ametista levantou rapidamente e foi correndo para fora, mas não sem antes pegar uma barra de cereal do armário da cozinha, trancou a porta da casa e saiu correndo em direção ao ponto de ônibus. Aquela estava sendo uma manhã ruim, mas algo a faria ser péssima... Por que nada está tão ruim que não possa piorar.

Realmente aquele não era o dia mais feliz da Moça de Olhos Arroxeados...

❖❖❖
Notas de Rodapé

E é isso

Até o próximo desafio (ou não)

Um abraço

Ótimo dia a todos os leitores e escritores

Apreciadores (5)
Comentários (2)
Postado 18/06/16 16:56

Poucas coisas são mais ruim que bater o dedo na quina, hahaha.

Muito bom. Continue assim.

Postado 20/06/16 09:08

obrigada!

Postado 02/07/16 09:57

Amei o nome dela! :3

Singularidades que combinam a cor dos olhos, nome e o dedão agora arroxeado :v

Bom texto, gabi. ^^

Postado 03/07/16 10:19

Agradecida

Muito agradecida :)