A cueca amarela da sorte
Francisco
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 05/07/16 00:20
Editado: 05/07/16 00:23
Gênero(s): Comédia
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 4min a 6min
Apreciadores: 10
Comentários: 5
Total de Visualizações: 616
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 776
[Texto Divulgado] "Por trás da porta" ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Não recomendado para menores de doze anos
Notas de Cabeçalho

Sei lá, escrevi meio ligeirão e por isso não ficou aquela obra-prima. Mas acho que vocês gostarão, visto que é uma comédia bem besta, hahaha.

Boa sorte proceis!

Capítulo Único A cueca amarela da sorte

Com muita truculência, fizeram Josias sentar-se em uma cadeira com as pernas abertas e os braços para trás. Os dois brutamontes foram os responsáveis por ter o levado até o centro de um depósito antigo, além de garantirem que respondesse todas as perguntas que lhe fizesse. Ele estava com o corpo muito dolorido após tanto apanhar e com a mente atordoada, inconformado com a situação que se encontrava, pois o mais provável acontecerá por ter sido tão imprudente.

— Pois bem, Josias. Quem diria que teríamos esse encontro nesta manhã de outono?

— Quem é você?! Eu não tenho nada a ver com qualquer coisa que seja!

— Claro que você tem, Josias. Afinal, é você quem paga pelos serviços da Jussara.

— Porra! Eu sabia que aquela vagabunda era a responsável por isso.

— Então, responda-me: onde ela se encontra?

— E eu vou saber? Se eu soubesse, era óbvio que eu não estaria aqui.

— Uau! Essa é uma informação e tanto. O que vocês estão tramando?

— Eu não estou tramando nada, mas ela está, certamente. Tentei falar com ela hoje pela manhã cedo e não consegui.

— E o que você queria com ela?

— Porra, mas não é óbvio? Aquela vagabunda escondeu minha cueca amarela!

— O quê?! Para de gracinha, seu merda! Nós vamos lhe fuzilar se não abrir o bico. A Jussara é uma mulher morta com você ajudando-a ou não.

— Mas é verdade! Vocês acham que estaria aqui por qual outro motivo? A cueca amarela é minha cueca da sorte nas quartas-feiras. Eu estou com uma verde e deu merda! Tudo é culpa da Jussara! Nunca deveria ter contratado uma doméstica tão desajeitada.

— Jussara doméstica? O que você está falando, seu pedaço de merda? A Jussara é principal contrabandista de ouro do país!

— O quê? Então não pode ser da mesma Jussara que estamos falando.

— Pouco importa. Não fui com sua cara e não gostei das suas respostas. Você vai morrer.

Um tiro certeiro na testa foi o suficiente para matar Josias. Seu corpo estava estirado no chão, no entanto sua alma continuava viva. Josias olhava para seu corpo e para o que se tornou e ficou muito frustrado com o fim de vida que tivera.

— Porra, essa merda de cueca verde além de não dar sorte, traz azar. Tenho que achar a minha cueca amarela.

Com os sentidos aguçados, Josias os utilizou para sentir a presença de tudo que o cercava. Pode sentir a cadeira onde esteve sentado, o carro das pessoas que o mataram estacionado fora do depósito. Pode sentir as árvores, os arranha-céus e, principalmente, sua cueca amarela. Um largo sorriso surgiu em sua face e Josias começou a rumar ao seu objetivo. Estava muito faceiro com suas novas habilidades de atravessar paredes e sentir tudo que o cercava, mas nada superava sua felicidade em achar o que tanto almejava naquela manhã.

Em poucos instantes, Josias estava frente-a-frente a sua cueca amarela, mas também a uma situação inusitada: Jussara a vestia. A mulher estava em casa contando o dinheiro que receberá por seu último contrabando. Ela ria e se contorcia de felicidade. No telefone, ela contava o segredo de seu sucesso para sua mãe:

— Mãe, de fato eu estava certa! O segredo de tudo era a cueca amarela do Josias. Eu nunca vi um cara tão afortunado e fico muito feliz em ter descoberto o motivo de seu sucesso.

Jussara estava em estase por algo muito trivial, segundo Josias. Para ele, era óbvio que a cueca amarela era a certeza de triunfos. Mas isso não importava, ele queria sua cueca de volta. Por isso, fez um esforço gigantesco e conseguiu projetar sua imagem no espelho que Jussara usava para ver o reflexo de seu dinheiro e de si mesma, vestindo a cueca amarela. Com o grande susto, ela desmaiou e Josias viu que seu plano estava dando certo. Novamente, esforçou-se muito e conseguiu materializar uma mão, a qual despiu Jussara e possibilitou que ele recuperasse sua cueca.

Naquele dia, o auge de felicidade e satisfação em um alma foi atingida por Josias. Ele recuperará sua cueca e não pestanejou em vesti-la. Andava pelas ruas da cidade curtindo as suas novas habilidades e tranquilo que mais nada lhe daria errado. No entanto, a cidade nunca teve um dia tão trágico em sua história. Várias pessoas, ao verem uma cueca amarela voando e se deslocando no meio do povo, desesperaram-se com medo de assombração e saíram correndo em direção à rua, sem o mínimo de atenção. Muitas pessoas foram atropeladas e hospitalizadas com quadros graves. Mas isso não importava a Josias, afinal, ele não foi atropelado justamente por estar protegido, por estar com sua cueca amarela da sorte.

❖❖❖
Apreciadores (10)
Comentários (5)
Comentário Favorito
Postado 05/07/16 04:58

SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH! PELOS INSUMOS DO ABISMO! EM NOME DE SATÃ, O QUE FOI ISTO QUE ACABEI DE LER?! SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

Sr LEcrivain já regressa "mitando", "chutando o balde" e tudo o mais! SATÃ! Só o título e a capa da obra já são algo digno de nota e risos! Que história insana, inusitada, incrível, hilária!

Sabe, Sr LEcrivain, eu admiro DEMAIS o seu estilo de criar e contar histórias! O senhor tem uma criatividade selvagem, audaciosa, livre, divertida e deveras fascinante! Muito me encanta, entrete e satisfaz ler seus contos e este.... Ah, meu caro, este de longe já se tornou um de meus prediletos! Com uma trama totalmente absurda (em um excelente sentido, devo frisar), o leitor é literalmente tragado pela narrativa irreverente, fluida e única do autor, que nos brinda com uma série de eventos, revelações e consequências surpreendentemente cômicas!

E essa frase de desfecho? Simplesmente a cereja do bolo! SHAHAHAHAHAHAHAHA!

Meus mais intensos, absolutos e admirados parabéns! Muitíssimo obrigado por fazer meu dia começar com um baita sorriso em minha face! O senhor é um autor genial! Genial!

Atenciosamente,

Um ser que só usa cuecas pretas ou vermelhas, Diablair.

PS: SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

Postado 05/07/16 11:16

Hahahaha, chutar o balde é uma boa definição. Tive essa brilhante ideia durante o banho e me diverti muito com o desfecho disso tudo. É muito louco e besta.

Mas, cara, que puta comentário. Se a tua intenção era me deixar feliz, o fizera muito bem. Eu fico muito agradecido pelas palavras e por esse reconhecimento. E fico meio tenso, pois não posso jamais baixar o nível, para não desapontá-lo (mas isso faz parte do jogo e é possível de fazer acontecer com muito esforço).

Valeu, Diab! Espero vê-lo em todos meus textos, já que isso será um sinal de texto de boa qualidade.

Postado 05/07/16 13:08

Hahahaha! Mas o que foi isso??

Muito bom, cara. Eu adoro seu jeito para comédia.

Postado 05/07/16 13:27

Hahaha, foi eu loqueando, hehehe.

Obrigado, Joy!!

Postado 05/07/16 21:41

Eu já ouvi falar de calça jeans vermelha que causa nas ruas e nas baladas, que usar branco na virada do ano traz paz e harmonia no ano seguinte, que usar vermelho na passagem de ano te traz sorte no amor... Mas olha, é a primeira vez que leio sobre a cueca amarela da sorte. E que primeira vez, rapaz!

Chico, eu já te disse isso uma vez, e falo novamente: você escreve bem pra caramba! Apesar de ler poucos textos seus (sorry ;--;), a sua escrita é cativante, ainda mais que é voltado pra parte da comédia. Uma comédia leve, descontraída, não aquelas forçadas e que apelam pra outros conteúdos para fazerem sucesso. Acho que deveria fazer uma palestra e ensinar esse atores de stand up o que é a verdadeira comédia, mestre.

Mas voltando ao texto, o que dizer? Amei! De verdade, e posso te confidenciar que no começo eu pensei outra coisa (alá yaoi q), o que me faz ter certeza de que sou muito retardada. Quem diria que uma simples cueca pudesse causar tanta coisa, não? Ooops, simples não, essa é a cueca amarela. Foi interessante ver esses dois lados aqui descritos: o azar daqueles que não estão perto ou tem a cueca (como o nosso próprio protagonista e as pessoas inocentes da rua que, infelizmente, tiveram um final trágico), e a sorte daqueles que tem (como o que a Dona Jussara teve temporariamente e do próprio protagonista quando em vida).

E o final? Céus, eu ri. Porque chega a ser irônico você ler que a pessoa nõa foi atropelado e está protegida por estar usando a cueca amarela da sorte que foi justamente a causa da morte dele, que por sinal, não se tocou que não foi atropelado porque está morto!

Eu não diria bem que essa cueca amarela é da sorte, e sim que carrega uma pequena maldição...

Ótimo texto, Chico, como sempre! ♡

Postado 11/07/16 14:10

Hahahaha... Coisas do Josias. Ele fora da casinha e muito bitolado com as suas cuecas. Mas ele se sentia afortunado as usando, então deve funcionar, hehehe.

Bah, muito obrigado pelas palavras que tocam na minha pessoa e nos meus textos. Fico muito, mas muito feliz mesmo. Muito obrigado!

A história que essa cueca gerou de fato é algo muito louco, hahaha. É incrivel o que as pessoas fazem por influencia de uma cueca, hahaaha. Chegam até ignorar fatos importante, como a vida, para estar perto da cueca. Enfim, vai de cada um, heheeh.

E ah! Yaoi e romances é muuuito complicado, pra não dizer impossível, que verás vindo desse autor aqui, heheeh.

Até o próximo, Tia Pão!

Postado 17/07/16 19:35

TINHA QUE SER TU, CHICO AUHHUAHUSUHAHUSHUSA

ADOROOOOOOOOOOO TEUS TEXTOS, CARA!

Postado 20/07/16 17:31

Hahahaaha, obrigado, Julih!!

Postado 20/07/16 18:35

É sério, aposto (?) que você é daqueles autores bem humorados com o humor ácido que todo apreciador de uma boa comédia reflexiva procura - como é meu caso, agora.

Tá bom demais!

Não há palavras que eu possa descrever.

(Ou eu não seja ao nível mesmo.)

Parabéns.

Postado 20/07/16 18:44

Hahaha, faça a aposta e leia meus textos! Hahaah

Cara, obrigado pelas palavras, embora você diga que elas não existam, hahaha.

Forte abraço!