eu confundia nossa amizade com paixão
Tháiza Lima
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 12/07/16 01:04
Editado: 12/07/16 01:05
Gênero(s): Drama Romântico
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 6
Comentários: 3
Total de Visualizações: 288
Usuários que Visualizaram: 11
Palavras: 307
[Texto Divulgado] "O despertar " Lembrem-se sempre disso: desconfiem das pessoas boas demais...das que fingem estar ao seu lado
Não recomendado para menores de doze anos
Notas de Cabeçalho

Escrito para alguém por quem eu achava que sentia algo, mas eram apenas hormônios adolescentes e uma amizade que continha mais intimidade do que deveria.

Fico feliz de ter me afastado dessa pessoa, mas, de todo jeito, as lembranças de idealizações, pensamentos platônicos ao tocar violão, ainda são alegres e levemente nostálgicos de se lembrar.

Texto antigo, ainda assim, boa leitura <3

(Frases longas, sem vírgula e excesso de "e" foram propositais ^^)

Capítulo Único eu confundia nossa amizade com paixão

Eu confundia nossa amizade com paixão, sua rispidez com carinho e minha admiração com insensatez. Eu confundia seus olhares com interesse e suas falas com melodias e seus toques eu imaginava que eram sinais. Eu acreditava que nossas conversas eram análogas e seus exemplos eram metáforas. Eu acreditava no subentendido e no pressuposto que você sabia das coisas - como duas garotas se amando.

Eu confundia o que você lia com o que você sabia, e com o que você queria. Eu confundia nossa amizade com paixão e eu não resisti quando você quebrou meu coração.

Eu queria saber o gosto dos seus lábios, eu queria sentir mais que seu abraço, eu queria conquistar o mundo ao seu lado e escrever a nossa história. Eu queria escrever sonetos sobre você, odes a seu respeito, canções que imortalizassem sua essência.

Você era meu amor ideal. Você era o proibido e o renegado e o transtornado e o doente e a irresistível combinação de beleza e imutabilidade. Era minha dama abstrata e a maçã do Éden, o fruto não permitido, o amor que nunca me foi dado.

Que ser hipócrita sou, pois, ao dizer que não fui amado! Sou amada a todo instante, ainda que nunca por quem eu quero.

Eu queria ser amada por você, ter seu sorriso para mim, ter suas lágrimas para mim; ser dona de seus pensamentos e do seu corpo e da sua mente e da sua sanidade. Eu queria que você me dominasse e que eu te empurrasse para a cama para que você lutasse e me deixasse entretida.

Eu queria quebrar seu orgulho. Eu queria fortalecer meu orgulho.

Eu queria não definhar por você enquanto você me despreza.

Eu queria te beijar.

Eu queria me jogar de um prédio; eu só queria te amar.

(E eu te amei mais do que podia aguentar.)

❖❖❖
Notas de Rodapé

<3

Apreciadores (6)
Comentários (3)
Postado 12/07/16 01:40 Editado 13/07/16 13:02

Fico surpresa em saber que ela que não cometeu o engano de confundir amizade com amor. Alguém tão amável quanto você hehehe

Lindo :)

Postado 12/07/16 14:12

...é ela xD

Bondade sua dizer isso, Joy, eu chegava até a ser incrivelmente chata de tanto que não escutava o que a menina dizia por ficar encarando-a a maior parte do tempo... Enfim, fico feliz que tenha gostado <3

Postado 12/07/16 12:27

O engano de dois pode dar um acerto :p

Postado 12/07/16 16:11

Se pelo menos o engano fosse dos dois ;--;

Postado 12/07/16 16:36

Um dia... ^^

Postado 16/07/16 14:12

Hormônios... Hehehe.

Somos puro hormônios, portanto, o que eles nos fazem fazer não está errado. Ora, somos o que somos.

O texto em si tá bem bacana. Gostei do como descreveste essa história sua. Parabéns e que a felicidade sempre lhe acompanhe.