Que Se...
Diablair
Tipo: Lírico
Postado: 23/07/16 23:39
Editado: 23/07/16 23:50
Avaliação: 9.9
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 12
Comentários: 10
Total de Visualizações: 510
Usuários que Visualizaram: 19
Palavras: 353
[Texto Divulgado] "O amigo de castigo" Uma amizade não tem que ser um mar de rosas, ela pode ter começado de uma desavença mesmo.
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

Só um aviso: se você é um(a) defensor(a) do amor, romance e afins... Nem perca seu tempo seguindo com a leitura.

Obra "non sense" (para muitos).

Simplesmente surgiu. Acontece.

Espero/duvido que alguém goste ou se identifique com esta... Coisa.

Música-Tema/Inspirscional da obra: I Don't Care, da banda Apocalyptica.

Capítulo Único Que Se...

Quer saber? Já chega

De tentar se esconder

Sustentar, tolerar, buscar lugar

Dentro dessa mentira!

Seu amor não serve pra nada

O amor nunca serviu pra nada

Essa merda sentimental inútil

Foi uma colossal perda de tempo

Na qual eu fingia acreditar

Enquanto você pensava que me convencia.

Mas no final você mostrou suas cores

E toda aquela baboseira emocional

Só funciona em outras mídias.

Aqui é a vida real e essa droga,

Essa bela fantasia hipócrita

Se mostrou uma peça teatral

Das mais vagabundas e retardadas.

Por quê o choque?

Quantas vezes aturei suas indiretas

Quando as crises batiam à porta?

Felizes pra sempre o caralho!

Diga "eu te amo" para as contas

E veja se serão quitadas!

Dê um beijo no prato vazio

E tente encher o estômago

Talvez você consiga se nutrir

E até se satisfaça com essa ilusão

Porque o meu já embrulhou demais

Considere isso meu vômito

Jogado com gosto na sua cara

(Lembra quantas vezes foi o contrário?)

E o limpe junto com suas lágrimas

Às quais quero sinceramente

Que se fodam junto com você,

Com suas mentiras,

Com seus desejos,

Com suas opiniões,

Com seus sonhos

E com tudo o que te diga respeito.

Cansei de suportar o fardo

Que é te ter por perto.

De perdoar suas mancadas.

De ser o papel hogiênico

Que limpa as suas cagadas

Em nome de uma outra bosta

Que nunca fez parte de mim!

Você não vale o sacrifício.

Não mais.

Nem mesmo pela trepada:

Minha mão é mais confiável e coerente.

É, é isso mesmo.

Quero mais é que você se exploda!

Eu não me importo com sua vida

Ou mesmo sua morte

E tudo o que foi deixado para trás

Não passa de lixo na memória

Para ser jogado fora.

Sem demora.

Agora estamos entendidos.

Problemas? Não vejo nenhum,

Somente verdades e soluções.

(FINALMENTE!)

Faça o que achar que deve fazer

Pois estarei fazendo o mesmo:

Caminhando para longe

Eu vou seguir o meu caminho.

Sozinho.

Então só te digo isso

E somente uma vez,

Então presta bastante atenção:

Sai de perto e, principalmente,

Da minha frente.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Que comece o apedrejamento.

Gratíssimo pela leitura e por quaisquer ABSOLUTAMENTE improváveis reviews (pois estou na site AC = Academia Carinhosa... SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!).

Apreciadores (12)
Comentários (10)
Postado 24/07/16 00:21

Afinal, o amor é um excesso de substâncias químicas que te fazem tolerar os defeitos de outro ser humano. Há momentos que excessedem a tal dopagem e quebram parcialmente a visão deturpada e "otimista", "para sempre" pode ser tão curto quanto consideremos o momento de vivência, o agora.

(Provavelmente não esperava isso vindo de mim kkkk)

Postado 24/07/16 00:43

SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! O senhor falou igualzinho a Lúcifer no belíssimo filme "Advogado do Diabo" com Reeves e deNiro! ADMIRÁVEL! CONCORDO PLENAMENTE!

Gratíssimo pelo inesperado e muito bem-vindo/inestimável review! Gratíssimo!

Postado 24/07/16 01:26 Editado 24/07/16 01:30

PELAS BARBAS DO BODE ABATIDO!

O que é isto? Isto que acabei de ler? É mesmo somente uma tropa de palavras armadas em versos e estrofes? Pois... Pois a mim me pareceu uma mão de ferro que saltou da tela diante de meus olhos e agarrou o meu pescoço e me estrangulou até que eu cuspisse qualquer sombra de ilusões que peregrinassem como formigas nas tripas de minha alma!

Cada verso veio como uma sequência de cortes na jugular, cada vez mais profundos... Sem floreios, sem eufemismos, sem hesitação. Assim como uma tsunami engole, numa manifestação natural e escabrosa, uma cidade inteira, destruindo-a, e trucidando cada mulher, velho e criança que ali habitam, da mesma forma, o senhor foi capaz de afogar, sem piedade e magnificamente, uma população de ilusões que edificam, em mim e nos seres, metrópoles de padrões a serem seguidos e cultuados (a saber: o romântico, o belo e o sublime).

Meus sinceros parábens! E fico grato pela oportunidade de contemplar essa obra-prima.

Postado 25/07/16 19:09

Perdão moço, mas preciso me utilizar de seu lindo, perfeito e maravilhoso comentário, para dizer ao Diablair que partilho dos mesmos sentimentos que o senhor ao ler esta obra-mais-que-prima!

Ps. Diab: Ainda te amo, mesmo que você seja um ser desprovido deste sentimento u_u

Postado 31/07/16 14:12

Sr Ovni (SATANÁS, COMO EU ACHO SEU NICKNAME FODA!)... O Sr e a Srta Sabrina se uniram para me destroçar com seus comentários... Pelas pregas do Diabo, COMO INFERNOS responder a ambos?!

Seu feedback foi de uma maestria e gentileza que me emudeceram (isso após o palavrão que expeli) antes e novamente. Possivelmente, para sempre.

Muito obrigado. Sério: o senhor não faz ideia do quanto me deixou feliz e orgulhoso com suas palavras! Muitíssimo obrigado, de todo o meu desgraçado coração!

Postado 31/07/16 14:15

A srta Meiling então.... Arrancou minha língua e dedos com o feedback (especialmente o final do mesmo) dela...

Muitíssimo obrigado pela bondade e loucura de nutrir algo assim por uma coisa como eu, Srta Meiling...

Postado 24/07/16 01:52 Editado 24/07/16 01:53

Às vezes, o amor é uma enorme caixa de merda que fede tanto que não da para ficar perto.

Não gostei somente da estrutura do poema e da voz gritante do eu lírico, mas também da realidade que as tuas palavras revelam. É um forte tapa na cara, sem metáforas e a sem rastros da ilusão do amor que costumamos ver por aí.

Este poema me levou ao passado, onde uma situação parecida ocorreu comigo. Quando terminei de ler, pensei:"Porra, será que ele andou vasgulhando minhas lembranças e escreveu isso?" haha.

Cada palavra desse poema é um grande "NÃO" ao eufemismo conhecido por tantos outros poetas. Ele é a representação nua e crua do amor, que por sinal, é um cão dos diabos, não é mesmo?

Parabéns pela obra, mas acima de tudo, pela sinceridade da tua poesia.

(I Don't Care é uma ótima música, gosto bastante,rs)

Atenciosamente,

Um ser que escreve vários clichês, mas que ama uma boa dose de realidade.

Postado 31/07/16 14:06

Srta Sabrina... Eu juro pelos prantos eternos do Inferno que tanto sua presença quanto suas palavras aqui me foram um choque tão profundo na alma podre que as palavras ainda hoje me faltam para responder minimamente de acordo...

Eu... Realmente estou profundamente agradecido, surpreso e orgulhoso por tudo isso que a senhorita gentilmente expressou aqui. Sério mesmo, muito, muito obrigado! É absolutamente memorável e inestimável...

E perdão por não conseguir dizer nada melhor do que estas pobres linhas.

Postado 24/07/16 11:11

É o Apocalipse (Só pra não perder o costume)

Nossa, moço, quanta revolta em um poeminha só! Nem parece que estamos na Academia Carinhosa kkkkkkkkkkkkkkkkk

Daí escreve uma obra magnífica dessas e não quer que eu diga que você é meu autor preferido... Vai entender esse ser trevoso.

Li ouvindo a música e parece que o impacto das palavras se tornou ainda maior por conta disso... Amei! <3

Postado 31/07/16 13:59

SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! FALECI COM O COMENTÁRIO DA SENHORITA! SHAHAHAHAHAHAGAHAHAHAHA!

Só Satanás me entende...

Fico deveras feliz que tenha gostado da leitura, Srta Flávia! Muitíssimo obrigado pelo precioso review!

Postado 24/07/16 16:56

Diab brinca de ser foda. PQP.

Postado 31/07/16 13:56

Só tento brincar mesmo... Pois SER foda é totalmente sua rotina, Jovem Poder!

Gratíssimo! Gratíssimo!

Postado 24/07/16 22:20

Chocado.

Postado 31/07/16 13:54

Infinitamente enalecido.

Postado 25/07/16 14:57

Aeeeee! teve um trecho que me fez lembrar da seguinte parte da música Telefone Mudo, do Trio Parada Dura.

" Cansei de ser o seu palhaço

Fazer o que sempre quis

Cansei de curar sua fossa

Quando você não se sentia feliz "

Cara, pobre vivente, hahaha. Confunde as coisas, infelizmente. Mas gostei da sinceridade da pessoa, isso é algo louvável. E gostei também que ele foi procurar uma vida melhor, o que também é bom.

O texto, pra variar, de uma elegancia extrema, muito bem montado e utilizando muito bem da língua portuguesa.

Parabéns, Diablair!

Postado 31/07/16 13:53

Lamento se lhe ao seu ver eu confundo as coisas, Sr LEcrivain, ao não compartilhar de sua visão acerca da vida, do mundo e de sentimentos. Todavia, concordo sobre ser um pobre vivente. Aliás, miserável, ignóbil e doentio vivente.

Acerca do restante... Considerando que nada sei/entendo destas coisas todas, fico muito feliz e orgulho que um autor renomado e conceituado como o senhor tenha tido tão boa impressão deste singelo feito.

Gratíssimo!

Postado 27/07/16 08:41

Amor é um substantivo

Simples masculino e abstrato

Hehe :D

Ficou legal esse poema

Postado 31/07/16 13:43

SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! Srta Gabi, a senhorita ganhou ainda mais do meu singelo respeito agora!

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 30/07/16 09:58

Abismado D:

Você faz o ódio ter outra face viu Diab.

Postado 31/07/16 13:41

Shahahahahahahahahahaha! Satanás te ouça! Shahahahahahahahahahaha!

Gratíssimo, Sr Lucas! De todo o meu cansado e oco coração!

Postado 31/08/17 21:02

Aqui estou em casa, haha.

Postado 31/08/17 21:05

Estamos! Sim, ESTAMOS!

Outras obras de Diablair

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo