Solidão
Pedro de Andrade
Tipo: Lírico
Postado: 30/01/17 15:29
Editado: 30/01/17 15:38
Gênero(s): Poema
Avaliação: 9.13
Tempo de Leitura: 29seg a 39seg
Apreciadores: 9
Comentários: 5
Total de Visualizações: 761
Usuários que Visualizaram: 14
Palavras: 78
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Solidão

Marcado pela solidão.

Ponho fogo em meu porão,

Onde guardo a minha desilusão.

Doce e trágico coração.

Nele têm calos,

De exercícios raros,

De fictícios encontros

Entre insólitos astros.

Meus errôneos passos

São poeira no espaço.

Um grão de areia

Entre outros vários.

Sou marcado pela solidão,

Meu coração bate isolado.

Aos outros me comparo

E ao mesmo tempo me idolatro.

O amor é minha sustentação,

Meu bastião. O fastama da isolação

Torna-me fraco. Lastimável

Marca da solidão.

❖❖❖
Apreciadores (9)
Comentários (5)
Postado 30/01/17 16:37

Quando você quer comentar e não sabe ao certo o que dizer :\\

Bem, muito bonito. É sensível e soa muito sincero, sem a perder a beleza da linguagem literária.

Adorei.

Postado 30/01/17 20:42

Seu poema me inspirou a escrever algo sobre este tema tão recorrente e atemporal ... Muito obrigado e parabêns por esta obra tão sua e ao mesmo tempo tãode muitos...

Atenciosamente,

Um ser solitário, Diablair.

Postado 06/02/17 00:26

Adoro seus poemas, principalmente porque sinto o gosto da sinceridade neles (mesmo que eu não.. lamba a tela do computador para experimentar (?))

Parabéns <3

Postado 20/11/17 00:33

Cada palavra tua, causou uma enorme inspiração em mim, justamente por essas palavras serem tão reais; tão sinceras.

Talvez tenha sido por conta da música The Lonely da Christina Perri que casou completamente com a mensagem da obra ou, talvez, tenha sido porque me identifiquei com a obra inteira.

Eu me vi em muitos versos e senti cada sentimento de maneira tão intensa, que praticamente mergulhei no poema. Mesmo simples, o poema transborda a verdadeira essência da solidão.

Meus parabéns, Pedro!

#ad01 - 68/98

Postado 21/02/24 21:23

Excelentissima poesia, delicada, e tão dura ao mesmo tempo

Enxerguei-me na solidão, e na poesia, eu me vi tantas vezes... E isso é lindo.