cartas sobre seu túmulo
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 16/05/24 02:27
Editado: 16/05/24 02:32
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 2
Comentários: 0
Total de Visualizações: 167
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 316
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

tanto, tanto, tanto a dizer

não cheguei à tempo

de te ver "na próxima vez".

Capítulo Único cartas sobre seu túmulo

vó, eu queria conversar

sobre a última loucura que fiz

e como eu consegui sobreviver

ao seu adeus

vó, queria poder te mostrar como minhas unhas cresceram

desde a última vez que te vi

e como minha língua ficou ainda mais afiada,

minha mente ainda mais estilhaçada,

como sempre tentei esconder

coisas que só a senhora entenderia

e não julgaria

faz um mês,

na verdade, mais

que não consigo ir na sua casa

e antes disso,

fiquei tantos e tantos sem ir...

quando o passado vai parar de me assombrar?

queria que eu tivesse tido tempo

te de perguntar.

parece ser um crime

falar sobre a dor

e sobre amor

sem gaguejar

cada parede se desfaz em minha mão

quando menos percebo, me lembro

que te vi

na minha mente

me sussurrando

alguma coisinha boa

ou um xingo...

a dor chega até a não fazer mais sentido!

é como se eu, a partir daquele momento

sentisse o real golpe de realidade:

é, não,

não sou alguém de mentira, que segue um roteiro

esta dor é real

e as pessoas morrem mesmo,

as pessoas que eu amo,

não são imortais

e agora eu sei

o que muitas outras pessoas sabem

e nunca conseguiram colocar em palavras

meu coração se afoga

meu rosto de pavor,

se contorce

minhas lágrimas caem no teclado

provocando curto

nada, sobre isso,

nunca se resolve!!!

fico me preparando

para a próxima óbvia morte...

e o que fazer?

o que fazer?

não quero que seja mais ninguém

nem os de sangue,

nem os escolhidos,

nem os amados que em meu coração

foram enterrados,

mais ninguém

não quero mais sentir

essa dor por ninguém

mas é impossível, não é?

sou uma artista melodramatica

e extremamente chorona

eu sempre vou sofrer

e sempre vai doer, cada vez mais

seja por esta,

seja por outras...

por que diabos

nunca me

ensinaram que o

tempo só causa dor?

❖❖❖
Notas de Rodapé

seu amor ainda arde

todos os dias

a dor de te perder

nasce e morre

dentro do meu ser.

Apreciadores (2)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo