confissões de fuga
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 10/06/24 11:54
Editado: 10/06/24 11:56
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 1
Comentários: 0
Total de Visualizações: 116
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 308
Não recomendado para menores de catorze anos
Capítulo Único confissões de fuga

ainda não sei expressar...

o que eu planejava

ter sentido,

no fim

fui libertada?

fui uma prisioneira

muito cara,

que preferiram inocentar?

ou será que

você foi um

sequestrador sedutor

com um coração confuso,

que ao perceber que eu

era a vítima errada,

decidiu brutalmente

me desovar na estrada;

e na queda mortalmente

rápida,

perfurei todos os

órgãos existentes

em mim?

me pergunto, sim,

mas com cuidado,

pois ainda não sei

e x a t a m e n te

o que sentir

e não quero desenterrar

nada, nem meus membros

espalhados pelo terreno,

nem os tesouros esquecidos

com os quais te abençoei,

dos quais você

pouco a pouco,

se desfez,

quando sua

doçura se tornou féu

mas, todas as vezes

que me lembro

de que estou

esquecendo seu rosto,

seu pálido e sombrio

montante de ossos,

sua mania extravagante

de perseguir a morte,

então, consigo entender

do por que eu estava algemada,

mesmo com as chaves ao alcance...

mas, é que

na era da insanidade,

demandava muito fugir de madrugada,

desbravar as escadas,

correr em direção à luz,

sem respirar, desesperada,

com minhas cartas amassadas,

escritas na solidão...

era um esforço sobre-humano

admitir que sobre você,

eu estava errada,

para todo mundo que me avisou,

doeria ter de pedir ao segurança

armada de medos até os dentes,

para liberar a saída do complexo.

ele me deixaria passar?

apertaria o botão de abrir,

para essa suicida culposa

que pagou com a alma

só por

muito te amar?

tremendo, eu consegui,

em prantos saí,

e assim,

nunca mais te vi,

e gargalhando em disfarce,

num carro de fuga,

graças a minhas

comparsas esdrúxulas,

fugi, suspirei

e aliviada, sobrevivi.

se automaticamente sobrevivo

a você,

então, a tudo vencerei.

mas, admito ao júri,

que ainda não sei

nem ao menos rasurar

o que eu planejava

ter concluído,

ao essa confissão, começar.

❖❖❖
Notas de Rodapé

ainda estou recolhendo meus pedaços

Apreciadores (1)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo