A cor que eu sou
Shizu Devastir
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 16/02/17 04:39
Editado: 12/01/22 18:49
Gênero(s): Crítica Drama Reflexivo
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 4min a 6min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 950
Usuários que Visualizaram: 13
Palavras: 771
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

-Olha a hora!! HAHAHA

Espero que gostem do textinho. Sabe, eu senti uma melhora na minha escrita...Minha impressão? <3

(problemas para colocar a imagem de minha autoridade)

Capítulo Único A cor que eu sou

Um homem olha pela janela de casa e vê sua filha sentada na grama do jardim, sozinha.

Intrigado e preocupado com o "por que" dela não estar brincando com as outras meninas da rua, como uma criança normal. Vai até está...Com a desculpa de levar um doce.

-Olha, Filha ..!? Chocolate.

A menina olha e sorri, ao mesmo tempo que já esta erguendo seus finos braços para pegar a guloseima, que sem demorar muito lhe é entregue. Seus cabelos ondulados, parecem recém cortados de um jeitinho errado. O homem, que pouco sabe, pergunta com pingos de aflição: -Minha princesa, o que aconteceu com o seu cabelinho?

Ela tira o açucarado doce da boca miúda e respondeu, simples e inocente, ao vivido ser: -As meninas disseram que eu era má, e que para ser boazinha de novo elas deviam cortar o meu cabelo -seus olhos grandes e verde-azulado tremulavam, mas não deixaram cair uma lágrima se quer. Em vez disso, voltaram a olhar uma roseira maquiada de rosas brancas, imaculadas.

-Eu vou falar com a sua mãe sobre isso... -antes que ele sai-se ela fala, quase que em um suspiro. -Mamãe, já sabe! -respirou fundo e deixou finalmente repousar os ombros firmes.

O pai vendo isso, não pensa duas vezes e senta ao lado do projeto de mulher.

-Vamos conversar? -Sorriu, olhando a pequena criatura.

-Papai? Você e Mamãe, vão me deixar. Só por que elas não gostam de mim? Pode dizer, vou mudar...Mas, não me deixem! Tá? -agora, uma lágrima alto permite-se escorrer. Porém, os graúdos olhinhos juvenis nunca deixam a planta.

-Claro que não, jamais a deixaríamos para trás -obviamente, a emoção do momento trona o rosto do homem triste e choroso. -Por que essa dúvida, minha princesa?

-Ouvi a Mamãe dizendo ao telefone: "-Nos não vão mais permitir a entrada dela aqui nessa casa."

-Sua Mãe devia estar falando de outra coisa. Nós te amamos muito...

-Muito? -olho para o mais velho.

-Muito, o amor que sentimos por você é grandão, assim... -abre os braços demonstrando. -Não! Espera, é muito maior... -a mais nova interrompe.

-É maior que o céu? -aponta seu dedinho longo e magrelo para o imenso céu azul-alaranjado.

-Muito maior -começa a rir do momento vivido.

Um silêncio, um tanto quanto assustador, toma o local e ambos observam a formosa roseira.

-Pai?

-Diga, Princesa.

-De qual cor é aquela rosa, ali? –indica a filhinha.

-Branca! Ora!? Que pergunta é essa? -revoltasse.

A menina não diz nada e prepara outra pergunta: -Pai?

-Diga!

-De que cor é o branco?

-Branco é branco! -rápido, responde.

-Pai! -chama indignada.

-O que foi, Boneca? -irritasse um pouquinho por não entender.

-Essa resposta está errada...Mas eu vou mudar de pergunta, tá? -o ser velho, concede com a cabeça. -O que é o branco?

-O oposto do preto –pensa ter acertado dessa vez.

-Quase. Talvez, assim, fique fácil. O que é o preto, então?

-A escuridão, o nada.

-Então, o que é o branco?

-A luz, o...tudo?!

-Sim, quer um pedaço? -oferece, enfim, o doce ao homem. Este, por sua vez nega. -Pai, de que cor é o branco?

-Filha, o branco é branco.

-Não, Pai. Pense melhor, veja as outras perguntas –morde o chocolate, quase no fim.

Minutos se vão, tudo na busca de uma resposta satisfatória.

-Eu desisto! -entrega os pontos, cruzando os braços.

-Okay –desanima.

-Qual a resposta certa? -olha, curioso para pequena.

Que responde com uma nova pergunta: -Pai, qual a cor , você acha, que vai se sobrepor se agente misturar todas elas?

-Não sei... Mas, o que as cores tem haver com aquela historia de antes? -demonstra estar confuso.

-TUDO! -explode sua teoria. -Eu sou como essa roseira, Pai –alevanta. -Dou ao mundo flores brancas, aquelas garotas não devem gostar de mim...porque eu me dou bem com todos! -fica na frete do senhor. -Branco é a mistura de todas as cores, Pai –bate o pé. -Eu fico bem com qualquer outra cor! Não importa se é vermelho, rosa, carmim, marrom ou, até mesmo, preto. -ofega de exaltação. -É o que eu acho... -intimidasse.

O homem fica de boca aberta, sem dizer nenhuma uma palavra. Contudo, ele tem que voltar a si.

-Caralho! -começa a rir. -Eu sou muito burro! -gargalha, a quase chorar. -Eu concordo com você, Princesa.

Os dois se olham por alguns instantes, que são interrompidos por uma chuva repentina. Quando entram na casa a mulher está ao telefone: -Olha, Carla! Eu não quero mais a sua filha na minha casa, entendeu? Vá dar modos a ela! -desliga com força.

Os dois molhados se olham e sorriem de canto juntos, nada é dito. E para que?

❖❖❖
Notas de Rodapé

Ei! Qual a sua cor? E o que ela diz sobre você?

-Shizu...Finalmente, indo dormir. <3 (4 horas da amanhã)

Apreciadores (4)
Comentários (3)
Comentário Favorito
Postado 20/09/20 17:20

Senhorita Shizu!

Estou completamente encantada com o grandioso poder desta obra!

No começo da leitura senti uma tristeza tão grande e tão gritante... Eu infelizmente não sou o branco, igual a querida protagonista, mas entendo bem sobre as "amiguinhas" me tratarem desse modo horrível quando eu era criança.

O que mais me alegrou e enterneceu em tudo foi a doce presença do pai, que me lembrou muito do meu próprio pai... Acredito que se eu estivesse tentando falar as mesmas coisas que a protagonista, o meu pai iria agir e responder exatamente igual ao pai dela hahaha

A lição de moral do seu texto é muitíssimo bela, mocinha Shizu <3

Não sei direito qual cor eu sou, talvez vermelho, talvez roxo... ambas as opções em tons escuros. E você?

Muitíssimo obrigada por compartilhar esse texto tão maravilhoso conosco!!!!

Um grande abraço para você <3

Postado 24/09/20 20:19

AAAAAHHHH! DIZ QUEM SÃO QUE QUERO BATER UM PAPINHO!! (♯▼皿▼)

Judiando da fada mais maravilhosa, não posso deixar barato.

Agora eu sei a quem puxou, seu pai deve ser bem legal (๑→ܫ←)

Fico muito feliz que tenha tirado algo bom de minha obra e obrigado por me fazer lembrar da mesma HAHAHA

Grata pelo cometário, <3

Postado 20/02/17 22:01

Demorei para entender, mas quando entendi, cresceu um amorzinho pelo texto que, nossa, difícil explicar com palavras. Guardarei a moral antes que ela escape pelos meus dedos, mas saiba que amei muito, parabéns! <3

Postado 22/02/17 01:41

Infelizmente, o texto ficou embaçado. Mas, acontece, comigo bastante. Espero, que tenha guardado algo muito bom.

Obrigado por ler. <3

Postado 26/02/17 11:12

Definitivamente um texto maravilhoso <3

Postado 26/02/17 13:40

Obrigado. <3