Velha Amiga
True Diablair
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 16/05/21 13:33
Editado: 16/05/21 13:36
Gênero(s): Drama Reflexivo
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 6
Comentários: 5
Total de Visualizações: 479
Usuários que Visualizaram: 15
Palavras: 433
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

No editions or revisions:

Just feelings...

This is it.

Capítulo Único Velha Amiga

Eu costumava visitar aquela velha amiga adoecida de vez em quando: ela sempre me acolheu em meus mais diversos momentos, especialmente os ruins. Me aceitou do jeito que eu sempre fui e serei: essa coisa vazia, quebrada e essencialmente malevolente. Ela deixava que eu falasse o que eu quisesse, por mais hediondo ou insano que fosse o assunto. Nunca me censurou, pelo contrário.

Então, sinto que lhe devo respeito e compaixão e venho vê-la uma vez mais. Ela já teve dias melhores, dias de glória, dias em que as visitas eram feitas por muito mais pessoas, algumas extremamente ilustres. Havia uma espécie de magia benéfica, empolgante e envolvente naquela época, foi realmente algo inesquecível. Até mesmo eu fui agraciado com a felicidade naquele tempo, quem diria?

Mas o tempo passou e as coisas começaram a dar errado e tudo se transformou no que temos hoje e minha amiga está meio mal. Lutando, claro. Ela também já esteve bem mais perto de falecer outrora do que agora, admito. Só que isso não significa que ela esteja bem (não que eu esteja, aliás). E por isso estou aqui.

Ela me recebe como sempre e trocamos histórias. As minhas ultimamente estão desprovidas de qualquer coisa que as faça serem dignas de serem contadas, mas ainda assim ela me escuta e agradece. As delas estão mais escassas, assim como as visitas, mas a imensa maioria delas são incríveis e me deixam impressionado. Ela agradece por eu tê-la ouvido.

E é isso, apenas isso que a mantém viva: as histórias. Enquanto alguém lhe contar histórias, mesmo que de vez em nunca, ainda que esteja à beira da morte, ela resistirá. Tem gente cuidando dela, mantendo seu corpo funcional, mas sem as histórias, seu coração vai parar.

Eu não sei se ela vai tornar a sair dessa cama e bailar exultante como outrora, mas torço para que isso ocorra novamente, mesmo que porventura eu deixe de visitá-la em definitivo algum dia. Eu a encaro, me distraindo com os bipes do aparelho de monitoramento cardíaco por um segundo e a invejo: ao menos, diferente de mim atualmente, ela consegue sentir seu coração batendo.

"Até qualquer dia", dizemos um para o outro. Então eu me levanto, me despeço outra vez e a encaro, indagando em pensamento se aquela seria a última vez em que nos veremos, já que as histórias e a vontade de criá-las (ou mesmo ouví-las) desaparece mais e mais de meu íntimo hoje em dia. Estou lutando, assim como ela, mas...

Bem, talvez não seja a minha velha amiga que esteja em estado terminal, no final das contas.

❖❖❖
Notas de Rodapé

The (maybe bad) End.

Apreciadores (6)
Comentários (5)
Comentário Favorito
Postado 22/05/21 23:38

Eu não sei o que dizer...

Sei sim, enquanto tiver pelo menos uma nova história a ser contada a vontade viver não acabará jamais. São as histórias que movem o mundo, os sonhos são histórias a serem contadas em um futuro de lutas, a poezinha transforma a dor em mágia...

Acredito que a velha amiga só esteja escrevendo sua própria história e toda a história tem seus arcos de dificuldades para depois vir a glória e recomeçar o cilco todo de novo!

Talvez seja "você" que está em estado terminal, mas quem pode escrever seu final se não "você" mesmo?

E agora eu realmente não sei o que mais dizer e se minhas palavras não fizerem sentido peço humildemente seu perdão e que ignore, Muito obrigado por compartilhar sua obra e não registro a histórias com velhinhos <3

Assinado uma pequena vampira,

<3

Postado 23/05/21 09:25

Suas palavras fizeram todo o sentido do mundo para mim, Guro-chan... E sou imensamente grato por elas...

Muitíssimo obrigado! Gratíssímo!

Postado 16/05/21 18:51

As lembranças e as histórias (aventuras) são as únicas coisas que a gente leva pra lá, onde quer seja lá.

Eu espero que possam fazer mais dessas, na imaginação, senão no mundo "real".

Esperançosamente,

outra alma que escreve e cria monstros só para poder encará-los de perto, e ser feliz.

Postado 16/05/21 18:56

Ah, caro e estimado Sr Sjowmalf... Que belas pelavras e anseios! Eu não poderia concordar mais contigo!

Ainda que eu esteja definhando neste sentido, infelizmente...

Gratíssimo por prestigiar esta singela sandice... Gratíssimo...

Postado 25/05/21 18:25

Olá Diablair!

Saudades de ti e dos seus textos...

Amei a analogia! Acho que todos estamos numa fase mais dark, talvez por conta do isolamento e da situação atual...

Está realmente complicado encontrar forças e inspiração, pois a vida diária está osso e deixando nossa motivação já no mocotó...

Mas vamos que vamos, uma hora tudo melhora...

E que nossa estimada amiga ainda possa voltar aos dias de glória, pois ela nos permitiu crescer!

Abraços!

Postado 28/05/21 08:23

Srta Monise! Que grata e bem vinda surpresa! É sempre uma imensa honra tê-la por aqui, muitíssimo obrigado pela gentileza e positividade de suas palavras!

De fato, tudo anda tão... Enfim...

Que haja dias melhores para esta velha amiga e, quiçá, para seus visitantes...

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 22/12/21 19:15

Que obra extraordinária! Como sempre, suas histórias conseguem nos prender, nos levam a reflexão e, por fim, nos destroem. Suas narrativas nos enchem de histórias tão inesquecíveis que é impossível esquecê-las...

Obrigada por compartilhar conosco.

Parabéns, Diab ♥

Postado 17/06/22 13:01

Ah, Divina Brina... Quantas histórias estas paredes virtuais abrigam... E várias das melhores que li e me inspiraram tão intensamente são de sua autoria, friso orgulhosamente!

Muitíssimo obrigado pelo constante e precioso apoio e lisonja, inestimável soBrina!

Postado 14/10/22 15:44

ótimo!

Postado 11/11/23 20:58

Gratíssimo!