Comida Chinesa
6 de Janeiro
Tipo: Lírico
Postado: 05/01/24 12:59
Editado: 05/01/24 14:14
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 1
Comentários: 0
Total de Visualizações: 452
Usuários que Visualizaram: 3
Palavras: 229
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Comida Chinesa

O Buda gordinho sorri e me observa

As pessoas vão entrando e se servindo com leveza

Meu prato é sempre o mais cheio

Pois minha fome é insaciável

Parece que ele sabe que tudo vai passar...

(Vou tentar crer)

Minhas lágrimas temperam

A Comida Chinesa Vegetariana Sagrada

Enquanto pingam aos montes

Molham a comanda

Me ajudam a digerir

TUDO

24 anos de azar ou ingratidão

Para eu que ousei

Fazer todas as escolhas erradas

Tentando acertar e ser suficiente

Venho neste restaurante escondido entre as árvores

Sempre que minha alma se sente doente

Me servem com as duas mãos

Como se eu fosse preciosa

Sempre me desejam um ótimo dia

Com toda a sinceridade

Como se pudessem ver

O vazio que carrego

Atrás das palavras de gratidão que esboço

Eu moraria nessas paisagens pintadas

Por pincéis grossos e tinturas finas

Eu morreria nessas montanhas

Depois de gozar de alegria

Se eu tivesse dinheiro para comer aqui todo dia

Talvez tudo fosse melhor

Ou talvez eu só estaria preenchendo

O buraco que a dor deixa no meu peito

Logo quando eu acordo, e assim que me deito

Pois eu substituo faltas, azares, perdas e pesares

Com comida afetiva que custa o olho da cara

Já que nunca serei tão magra

Para caber dentro dessa capa,

Prefiro fazer montanhas de maravilhas no prato

Como um glutão...

E afastar toda a solidão.

❖❖❖
Notas de Rodapé

É.

Apreciadores (1)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Reflexivo