Sete
6 de Janeiro
Tipo: Lírico
Postado: 18/01/24 13:09
Editado: 18/01/24 13:16
Gênero(s): Crítica Drama Reflexivo
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 48seg a 1min
Apreciadores: 1
Comentários: 0
Total de Visualizações: 217
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 130
Não recomendado para menores de catorze anos
Capítulo Único Sete

Sofro de insônia

Desde os sete

Levantava de noite

Pra ver como tava o set

Todos roncando

Sem desconfiar

E então pelos cômodos

Eu começava a pairar

Me perguntava se era só eu

A única acordada na casa

Me perguntava se era só eu

Que achava a realidade

Uma farsa

Olhava no espelho

Será que sou mesmo alguém

Pequena vermelha

Barulhenta eu

Mordia os braços

Até o rubro brotar

Que estranho,

Dor e ódio

Sempre pareceram

Mais reais

Do que qualquer

Reação imitada

Roda, roda, roda

Até trombar

Em mil pares

De olhos

Muito bons em julgar

Cada gargalhada

Não forçada

Existência infantil

Ansiosa

E feminina

Meio muito bamba, caramba!

Meio nunca

me encaixando

Dor embutida, repuxando

Em cada canto

Em cada tropeço

De tamanco

Culpa minha,

que quis usar.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Qual foi o seu record de "ficar acordado até mais tarde"?

Quando isso se tornou uma realidade fixa?

Ah, se eu soubesse...

Apreciadores (1)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!