ode à dor
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 10/06/24 12:23
Editado: 10/06/24 12:27
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 1
Comentários: 0
Total de Visualizações: 128
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 314
Livre para todos os públicos
Capítulo Único ode à dor

por mais grata

que esteja sendo

minha desventurosa

jornada de liberdade,

me sinto impossibilitada

de não me sentir morrendo

e renascendo

a cada hora que passa.

este é o tipo de ano

que vai me moldar

na brasa,

o tipo de ano

que me varreu

de cada apartamento e casa,

cada sofá quebrado,

cada canto

em que já fiquei

e pensei que poderia

chamar de lar,

mas tudo bem,

não aconteceu.

acho que meu lar, sou eu.

é pesado de se pensar

quase um crime,

escrever

mas vejo este sentimento

morrer e nascer

cada vez que penso em

me atrever

a duvidar do meu melhor

se transforma

dentro do meu ser

se mistura com

ondas amargas

e doces

de prazer

e se perde profundamente

no medo do entardecer

de sempre ser tarde demais

para ser mais

do que ontem, eu fui

aprenderei

a surfar

nas grossas

ondas de dor e

arrependimento

logo eu,

que passei

uma vida inteira

tentando deixar

todos os que amo

em paz e contentes,

fui a que mais

visivelmente falhou.

aprenderei

a surfar

nas grossas

ondas de dor

e desespero

logo eu,

que tive que me refazer

por inteiro

mil e uma vezes,

a cada mês

que já passou

o que vem pela frente?

um monstro subaquático

que irá me devorar

pois já sangrei demais

em toda essa água salgada?

pode vir, valerá a experiência.

nela eu transmuto

nela eu me acolho

nela eu me escuto

muito muito muito

mais do que eu deveria

aprenderei a

costurar

meus órgãos de volta

um a um.

coração, olhos, garganta,

e meus pés

esse ano, aprendi a flutuar

a nadar embaixo a'água

sem respirar

esse ano, que já faz

uma eternidade,

aprendi que sobreviverei

às mais insanas

pancadas

de pavor.

pois dela, nasci

e convivi com seu fantasma,

pois com ela aprendi,

e vi que no final,

somos tudo e somos nada,

dor.

❖❖❖
Notas de Rodapé

é o que é

Apreciadores (1)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo