A Floresta Negra
Jeff
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 31/05/16 15:23
Editado: 31/05/16 15:28
Gênero(s): Reflexivo
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 1288
Usuários que Visualizaram: 13
Palavras: 363
Livre para todos os públicos
Capítulo Único A Floresta Negra

Em um lugar distante de tudo, e de todos, havia uma floresta negra. A floresta era escura como a mais profunda noite, era assustadora, e era perversa. Era possível sentir sua frieza só em observa-la, sentir o medo e logo sentir um arrepio frio e forte, que cortava a linha de pensamento pela metade.

Viviam, perto da floresta, um homem, uma mulher e um menino.

Um homem caçava para alimentar sua família, cortava lenha para aquecer sua casa, colhia flores para dar a sua mulher e ao chegar em casa exausto, dedicava o pouco tempo de lucidez que lhe restava para brincar com seu filho.

Uma mulher cuidava da casa, do seu filho, de tudo. Uma mulher cozinhava, lavava, amava, sofria, sentia. Uma mulher sentia medo por seu marido, que todos os dias ia caçar ao redor da floresta, sentia medo de ter de explicar ao seu filho o sumiço do pai. Uma mulher pedia ao vento que o protegesse de tudo, sempre.

Um menino não conhecia o mundo,não conhecia a floresta, só conhecia seu pai e sua mãe. Não conhecia os animais, nem as arvores, o vento,nem o perigo.

Um menino decidiu um dia sair de casa enquanto sua mãe cozinhava.Seduzido pelas coisas desconhecidas do mundo, ele partiu, e não olhou para trás, nem sequer uma vez.Mal sabia ele que a cada passo, sua felicidade diminuía um pouco mais, e a saudade dos seus pais e das coisas conhecidas vinha logo atrás.

O menino viu então a floresta negra, era tão sedutora, tão diferente de tudo, a curiosidade era tanta que o menino mal lembrava que tinha uma família, que tinha amor, que tinha tudo que precisava.

De longe então, houviu o choro de seu pai, condenando o vento por levar seu único filho. E ao se aproximar houviu as preces de sua mãe ao vento, para que ele o trouxesse de volta.

O menino percebeu que nenhuma curiosidade é grande o suficiente para arriscar o bem estar de sua família, nem o tempo que ele tinha com ela. Percebeu que tudo estava bem se ele os tinha, e que a floresta só existia porque existiam pessoas que eram seduzidas por ela.

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 25/06/16 10:53

"As más ideias só crescem, se você alimentá-las", se essa foi realmente a mensagem, a transmitiu muito bem, toda a rusticidade do campo, Homem lenhador, Mulher dona de casa, apesar de os tempos terem mudado, isso é um ideal de certa forma clássico. Muito legal.

Postado 20/02/17 14:54

Ahhh... As curiosidades fatais da infância... Ainda bem que eu não morei perto de nenhuma floresta, pois tenho certeza que teria tido o mesmo destino.

Postado 15/10/22 15:51

A família é o nosso bem mais precioso.

A pessoa que escolhemos passar a vida junto, e nossos filhos.

O bem mais precioso...