O retorno do terno
Monise
Tipo: Lírico
Postado: 22/08/20 19:12
Avaliação: 9.72
Tempo de Leitura: 28seg a 38seg
Apreciadores: 6
Comentários: 4
Total de Visualizações: 137
Usuários que Visualizaram: 9
Palavras: 77
[Texto Divulgado] "Agostinho dos Santos" Uma parte da vida pode ser esquecida ou ficar na nuvem, no limbo mas, um dia ela cai com tudo em você.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Um convite a sentir de novo doces emoções...

Poema escrito em 18/09/2015, ao brotarem as primeiras flores anunciando a primavera.

Capítulo Único O retorno do terno

O retorno do terno

Quando se é terno

O retorno é eterno

Pois a doçura do sentimento

Eleva o pensamento

E ainda que no momento

Não se perceba a marca da ternura

Ela perdura

Dura

Retorna como a Fênix das cinzas a ressurgir

E quem sabe um dia

Apesar da dureza do dia a dia

Como por encanto

O retorno de um gesto terno ressurja

Às vezes naquela hora em que urja

Sentir de novo doces emoções...

❖❖❖
Notas de Rodapé

A primavera faz resnacer belezas ocultas nos invernos da vida...

Que sempre ressurjam primaveras dentro de você!

Obrigada por ler!

Apreciadores (6)
Comentários (4)
Comentário Favorito
Postado 27/08/20 18:21

Tudo nestes versos transparece uma ternura que deixou meus olhos marejados. A simplicidade poética que encara o mais rigoroso inverno de frente e aguarda ansiosamente a chegada da primavera é emocionante.

Toda essa atmosfera terna me remeteu ao poema Ternura do Vinicius de Moraes, que foi a inspiração para o meu pseudônimo. A ideia de ternura como uma unção, um transbordamento e um renascimento é tão real. A ternura em nós gera infinitos recomeços e nos eleva a lugares de florescimento. Um gesto de ternura em meio ao caos diário soa quase como uma expressão de amor e de alma. O retorno do terno é o ciclo sem fim que todos deveriam aderir.

Obrigada por compartilhar conosco esse poema lindo! Ele me tocou de uma maneira muito especial e é a personificação de tudo que eu idealizei. Feliz demais em saber que compartilha dessa opinião também.

Parabéns, como sempre, Monise

Postado 02/09/20 12:11

Obrigada por tanta ternura. Não conheço esse poema do Vinícius de Moraes, vou procurar e ler.

Postado 23/08/20 15:47

Olá, senhorita Monise!!

Que felicidade ver mais poemas seus por aqui <3

E quanta doçura!! Cada verso veio recheado dos mais belos sentimentos, tão carinhosos e bonitos!!

Concordo muito com seu pensamento expressado nesse poema, de que um gesto de ternura pode nos marcar para sempre, e retornar de momentos em momentos em nossa memória!!

Lindíssimo poema, parabéns <3

Um grande abraço <3

Postado 23/08/20 22:14

Obrigada pelo carinho!

Abraços!

Postado 25/08/20 00:33

Me lembrou da experiência de escrever ao ar livre kkk.

Muito bonito, parabéns!

Postado 05/09/20 00:12

Essa experiência é gostosa mesmo, pena que a experimentem os tão pouco...

Obrigada por estar aqui!

Postado 05/09/20 14:24

Um poema doce de forma tão sútil, senti como se o eu lírico quisesse demonstrar que a ternura ainda existe e sempre retorna enquanto se convence do mesmo fato.

Postado 05/09/20 14:27

Obrigada!

Fico feliz que você tenha conseguido absorver o que desejei expressar :)