Minha Constelação
Sorelly
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 05/09/16 14:42
Avaliação: 9.67
Tempo de Leitura: 4min a 5min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 496
Usuários que Visualizaram: 15
Palavras: 688
Este texto foi escrito para o concurso "Origami" O origami é uma arte tradicional trabalhosa e que muitas vezes vem acompanhada de lendas sobre desejos e etc, então, porque não trabalhar sobre as diversas possibilidades presentes em apenas uma dobradura de papel? Ver mais sobre o concurso!
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Eu prometo nunca mais fazer e postar em cima da hora!

Hi, bunnies, como vão?

Então, sobre o texto: não desistam de mim ;-;

Antes de mais nada, ela é dedicado a uma pessoa totalmente especial, a qual eu devo tudo que me tornei, sou e me tornarei. Bem, quase tudo, o que incluí certas tendências psicopatas.

Flávia, Gemada, minha metade do ovo, juro que queria ter feito algo melhor e digno da sua pessoa, mas não consegui. Mas sei que você vai entender cada momento aqui, cada verdade não dita e cada desabafo distorcido. Obrigada por esses seis anos de amizade. ♡

Espero que todos gostem.

Capítulo Único Minha Constelação

Eu senti a gélida brisa em meu rosto, e de alguma forma era reconfortante. Enquanto caminhava pela rua deserta me peguei pensando em você. E pensar que alguém que costumava odiar se tornaria o centro da minha vida.

Quando entrei na família, a única coisa que senti foi ódio. Não queria ter alguém me chamando de filha ou irmã quando não havia nenhum laço sanguíneo nos ligando, tampouco queria ser uma intrusa.

Eu queria aquilo que antes era a minha família. Apesar de ter sido constantemente espancada pelo meu pai bêbado e, consecutivamente, pela minha mãe que prezava pelo meu silêncio, eu os amava. Ingênua e incondicionalmente.

Então quando entrei pela primeira vez na minha nova casa, você desceu as escadas correndo e parando na minha frente sorrindo; um sorriso jovial e despreocupado que me causou uma inveja dos infernos. Por que eu não conseguia sorrir desse jeito?, foi a única coisa que consegui pensar. Todavia, não foi o sorriso que mais me surpreendeu, foi a sua preocupação. Você estendeu sua mão e interpelou se eu queria algo, se oferecendo para ajudar com os curativos para os meus demasiados – mas superficiais – machucados.

Eu não era nada. Não nos conhecíamos antes, ao contrário, nem ao menos tinha consciência do seu nome. Mas mesmo assim você ficou com a mão estendida, paciente, me olhando preocupada. Ninguém nunca se preocupou comigo, então por que você se preocuparia? Eu a odiei naquela instante, por me fazer parecer mais frágil do que já era.

Mas o tempo foi passando e minha raiva se esvaindo junto. E quando percebi você já havia se tornado tudo para mim.

Aquela menina que tinha medo de se relacionar com as pessoas, de expor seus sentimentos, já não existia mais. Eu sabia que se me machucasse você me abraçaria e faria a dor passar; se a insônia me denominasse ouviria você cantar suavemente algum cover do Alex Goot ou Fall Out Boy enquanto seguraria a minha mão. Tinha certeza que quando meu mundo desmoronasse novamente você sorriria e diria o que mais precisava ouvir: que não importa as dificuldades, o amanhã sempre vai chegar para tentarmos novamente. Mesmo que fosse mentira, eu acreditava, porque você realmente me fazia bem.

E ainda consegue.

Hoje, mesmo sendo uma estrela distante, quando fecho meus olhos ainda consigo vê-la sorrir, e isso é tudo que me motiva a não desistir. E apesar de saber que não posso mais voltar ao passado, sorrio, porque agora acredito que uma nova manhã surgirá tanto para mim quanto para você.

Em meio às lágrimas, olho para o céu uma última vez nesta noite e sei que estará fazendo o mesmo, pensando em mim, como prometemos. E quando fecho meus olhos, relembro da última carta que enviei junto de um pote colorido com uma pequena constelação dentro.

Porque nesse instante, você já não possui uma constelação dentro de si, como sempre brincávamos.

Você se tornou uma.

– Eu te agradeço por ter me encontrado, mesmo eu sendo uma constelação tão pequena... Obrigada.

✶ ∞ ✶ ∞ ✶ ∞ ✶

Não é qualquer um que acredita,

Eu sei bem.

Mas, irmã, você pode acreditar?

Reza a lenda que se mil estrelas, sozinha,

Você dobrar e guardá-las em um pote,

Um pedido irá se realizar.

Olhe para o céu, a esperança vem de lá.

Feche os olhos;

Consegue enxergar?

Meu desejo ainda não foi atendido

Mas em breve estará.

Juntei papéis coloridos e brancos

Em todas as tardes e noites;

Dobrei uma, duas... Novecentas... Mil.

Transformei das minhas mãos calejadas

Um esboço perfeito;

E desta pequena dor que restou

Na paz que Sadako, sem saber, alcançou.

Mas permaneci fiel as minhas promessas.

Continuei levando em cada pedaço de papel

O significado do meu amor por ela.

Entretanto, enquanto dobrava a última estrela

Percebi que meu desejo há tempos havia se concretizado:

Eu já tinha ganhado uma inspiração pela qual viver,

Um destino novo para percorrer junto;

Ganhei a minha própria constelação.

Mas se tivesse que fazer

Um único pedido às estrelas,

Apenas desejo uma coisa:

Minhas doces estrelinhas de papel

(pedaços de sentimentos dobrados)

Faça com que ela permaneça para sempre no meu céu.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Hey angel, do you know the reasons why we look up to the sky?

Sim, Gema, essa é a razão pela qual eu olhos para as estrelas; eu te disse que responderia um dia.

Apreciadores (4)
Comentários (3)
Comentário Favorito
Postado 05/09/16 15:26 Editado 05/09/16 15:27

Muita hora nessa calma! Eu não estava preparada para um texto desses!

Você deve as tendências psicopatas, as brisas nas conversas e a casca do ovo.

Pam, Gema, minha metade do ovo, esse texto é incrível, perfeito, lindo, maravilhoso, etc, etc, etc.

Eu que agradeço por esses seis anos de muita loucura e teorias sinistras!

Sabe, o início desse texto me fez lembrar da época que eu tinha medo de falar com você. (vai entender o que aconteceu...)

"se a insônia me denominasse ouviria você cantar suavemente algum cover do Alex Goot ou Fall Out Boy enquanto seguraria a minha mão."

Então foi por isso que você perguntou que bandas eu gostava ontem?! ó, o mistério finalmente foi solucionando! (Eu merecia um emblema só por essa descoberta épica!!)

"diria o que mais precisava ouvir: que não importa as dificuldades, o amanhã sempre vai chegar para tentarmos novamente. "

Daí ela faz todo mundo acreditar que eu sou uma pessoa filosófica, quando na verdade eu só digo coisas idiotas que te fazem rir por sei lá qual motivo obscuro.

Eu queria fazer um comentário digno desse texto maravidivo (roubando a palavra da Traveca pq sim!), mas eu realmente não levo jeito pra essas coisas.

Muito obrigada, minha metade do ovo! <333

Postado 12/09/16 13:50

Aí, meu Deus! Eu quero participar do casamento de vocês duas. Quero sim! E não me interessa se não casarem! Façam a festa, ao menos, hehe.

Tá muito bom, Pam! Bah, que declaração de amor! Heheh. É muito bonito isso.

E o texto tá muito bacana, abordou muito bem o que o concurso exigia. Parabéns!

Postado 12/09/16 15:55

Meu Deus, meu Deus, meu Deus...

Esse foi com toda certeza absoluta do universo, um dos textos (se não é o texto) mais carregado de puro, lindo, belo, melecoso, fofo, adorável, maradivoso, triste, melancólico, fazedor de lágrimas que brotam nos olhos... do universo!

Não sabia, não fazia a mínima ideia da história de vida de vocês duas, mas mesmo assim, sem as conhecer pessoalmente, esse texto me tocou bem fundo na alma...

Tia Pão dos Comentários Divosos da Silva, não te conheço nem 2%, mas poxa, me deu uma vontade de abraçar gigantesca ;-;

Flávia Fofa das Carnificinas Maravilhosas da Silva, a senhorita é uma criaturinha incrível, e agora lendo esse texto, te acho mais incrível ainda, minha vontade de te abraçar e morder cresceu uns 397% ;-;

Hey, não sei se estou delirando ou vendo coisas que não existem, mas por acaso a senhorita usou a música do anime No.6 para inspirar algumas frases???

:3

Um abraço!

Meiling!