96 anos (Em Andamento)
LHPoeta
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 08/01/17 09:07
Qtd. de Capítulos: 1
Cap. Postado: 08/01/17 09:07
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 342
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 315
[Texto Divulgado] "lugar quente" é o que cantam os pássaros todos os dias espero que eu continue falando a língua deles. 
Livre para todos os públicos
96 anos
Capítulo 0 O nascimento

Era frio, uma mulher ruiva, de olhos azuis, cabelos longos e lisos que tocavam sua pele macia e com uma suavidade inexplicável, de cassaco de pele, calça jeans, porém com os seios à mostra estava parada em uma esquina, era uma puta, porém bem vestida, atendia os homens mais ricos daquela cidade, com seu olhar penetrante ela conquistava qualquer um. Neste dia em questão uma maldição inesperada apareceria em sua vida, algo que ela nunca quisera desde quando iniciou neste trabalho, ela se cuidava muito, como poderia essa maldição ocorrer justo com essa mulher, tendo tantas mulheres nesse mundo que queria estar no lugar dela nesta hora, mas justo com ela que nunca pensou na possibilidade. Ela veio a engravidar, perdera seu chão no momento que soube, nunca imaginou ter que criar um filho trabalhando como prostituta, nunca.

Como se imagina ela viria a tentar o aborto, quinze vezes para ser mais exato, seja com remédios caseiros, remédios controlados ou barrigadas contra a parede. Talvez fosse assim, talvez estivesse destinado a nascer aquela maldição, depois de 8 meses de uma gravidez muito conturbada, viria a nascer uma criança prematura, sem pai, branco, de olhos azuis, ruivo, no dia 30 de agosto de 1872, cujo nome seria Miguel Custodio di Lorenzutti. Esta criança estava destinada a sofrer, pois uma mãe tem o dom de abençoar e amaldiçoar sua criação, pois a minha mãe havia desejado a minha morte.

Após sairmos do hospital, no mesmo dia minha mãe biológica me levou para um porto, eu como um bebê que nada entendera naquele momento só chorava pois estava com fome e no lugar de alimentar-me ela disse que me odiara por ser tão estressante. Após um certo momento ela me colocou em um cesto e me largou em um navio que partiria da Itália para o Brasil, onde minha maldição me acompanharia para o resto da minha vida.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 08/01/17 19:27

Hey! Curti o prólogo! Deixou bastante por conta da imaginação do leitor hehe. Parece que o que está por vir irá ser de matar hehe. Bem, queria te deixar uma sugestão! Acho que tu podias investir um pouco mais na narração dos acontecimentos. Eu saquei que o objetivo era fazer uma introdução curtinha e tals, mas sempre dá pra melhorar, né?

Enfim, muito bom! Esperando a atualização! :D

Postado 08/01/17 22:39

Obrigado, acredito que possa melhorar sim eu também senti que faltava algo, obrigado pelo toque ;)