Situações meramente internas (Em Andamento)
6 de Janeiro
Usuários Acompanhando Nenhum usuário acompanhando.
Tipo: Roteiro (Longo)
Postado: 24/04/17 03:01
Editado: 13/05/17 19:12
Qtd. de Capítulos: 2
Cap. Postado: 24/04/17 03:01
Cap. Editado: 03/05/17 16:11
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 9min a 13min
Apreciadores: 3
Comentários: 2
Total de Visualizações: 667
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 1567
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Situações meramente internas
Notas de Cabeçalho

Toda a família reunida, feliz, próspera, ansiando pelo prato principal. O que será?

Primeira Situação Uma conversa amigável à mesa de jantar

(início do ato)

(familiares sentados à mesa de jantar sibilando apressadamente)

[uma mulher se levanta da mesa para fechar as cortinas]

Mãe: Esses gays insuportáveis! Um dia eu vi dois deles se beijando esses dias... E se meus filhos pequenos vissem a cena? Chocante! Não há mais pudor hoje em dia!

[a mãe fecha as cortinas e se senta em seu lugar]

Pai: Meus filhos podem ser drogados ou desempregados, mas se eu tiver um filho gay eu mato! Tudo tem perdão! Menos isso!

[pai bate com força na mesa, as pessoas param de sibilar e olham para ele assustadas]

Mãe: Concordo plenamente! Isso é um desrespeito às crianças, toda essa pornografia!

Filha Mais Nova: Mãe...Pai, quero a atenção de todos aqui...

[a menina se levantou bruscamente, pegou uma taça em mãos e com a mão direita bateu delicadamente uma colherinha na taça]

Mãe e Pai: O que é? [eles rebatem o anúncio rispidamente]

Filha Mais Nova: Eu estou namorando agora, mas meu namorado foi embora e não vai mais voltar eu tenho de contar algo para vocês...

Todos juntos: O quê?!

Filha Mais Nova: Saibam que eu não tenho certeza ainda, se o que eu vou falar vai agradar vocês... Eu já namorei muito na minha vida, muito mesmo, nem me lembro quantos...

Avó: Quem nunca, não é? Eu era a rainha do bairro!

Filha Mais Nova: É que eu não sei se vocês me perdoariam por isso...

Mãe e Pai: Claro filha, sem problemas!

Filha Mais Nova: Mas foram muitos mesmo, e eu não tenho certeza se...

Mãe e Pai: Tudo bem...

[eles dão de ombros]

Mãe: Eu namorei com três caras antes do seu pai.

(o pai engasga com a água, bate na mesa)

Pai: COMO ASSIM, TRÊS CARAS?

[ele arremessa o copo no chão]

Mãe: Hm... Não, não... Na verdade, foram... Cinco!

(as demais pessoas começam a sibilar e rir em tom baixo, com a mão na frente da boca, enquanto os pais e a filha estão de pé, se entreolhando)

Pai: Eu não posso admitir isso! Eu pensava que tinha me casado com uma virgem pura, sem mácula, feita apenas para mim! Isso é um absurdo! Fui enganado!

Mãe: É bom saber que eu só lhe valho um simples músculo rompido! Pensei que me amava pelo que sou de verdade!

[mãe desfere um tapa no rosto do pai e sai do cenário]

(o pai se senta novamente, coloca as mãos na cabeça, enquanto as outras pessoas o fitam silenciosamente)

Avó: Você está certo! Mulher arrombada não serve para casar!

Tio: Mas... Venha cá, mãe, não foi a senhora que disse que as mulheres devem ser livres?

Avó: Claro, devem ser livres, mas a vagina é sagrada, se elas dão pra outro, não podem contar pro marido, não mesmo!

Pai: Vamos parar com essa conversa! Estamos comendo!

(ele bate novamente na mesa)

Tio: Ué Joaquim, não foi você que desvirginou vááááárias meninas por aí? Qual é? Você era um garanhão! [tio tá um tapinha nos ombros do pai] Era conhecido como "O devorador"!

Pai: Sim! E daí?

Tio: Bom, é que... Você brigou com a sua esposa, pois ela namorou com cinco... Eu já aguardo o divórcio de vocês quando ela souber que você transou até com a madrinha do casamento da tia Eunice, naqueles tempos...

[o tio dá uma risada maliciosa e bebe uma golada da bebida, soltando algumas risadas irônicas]

Pai: É que... Isso é coisa de homem!

Tio: Será que você pensou que ia torná-las impuras quando transou com elas? Hein? Hein?

[o tio começa a gargalhar]

Pai: É que isso é coisa de homem! Nenhuma mulher é capaz de conter o fogo de um homem de verdade! Temos de ter várias! Homem entende outro homem, você deveria me entender!

Tio: Se você gosta tanto de defender os homens, deveria tentar com eles, quem sabe o relacionamento seja mais picante e... Você sabe... Satisfatório...!

(o tio tá cotoveladas "camaradas" na barriga do pai)

Pai: TÁ ME CHAMANDO DE VIADO? [ele se levanta bruscamente chutando sua cadeira] HOMEM É BICHO NOJENTO! JAMAIS TOCARIA NUM HOMEM! HOMEM NÃO PRESTA! Eu não sou viado, tá me chamando de viado?

[o pai arregassa as mangas e faz "pose" de briga]

Tio: Não de maneira nenhuma! Irmãozinho, se acalme, é que você defendeu tanto nós, homens, achei que gostasse da fruta, lá no fundinho sabe?

[o tio também se levanta bruscamente, chuta a cadeira e em seguida, tira a própria camisa, já fazendo "pose" de briga]

(Todos os familiares se assustam e saem correndo, ficando apenas a Filha Mais Nova e a Filha Mais Velha, ambas sentadas olhando para os próprios pratos)

Pai: Eu já te disse, homem é bicho nojento! Eu nem sei como essa aí [aponta para a FMN] consegue gostar disso!

Tio: É que você defende eles muito bem! Ela deve ter se inspirado!

Pai: Eu não defendo ninguém!

Tio: E o que quis dizer com aquele papo de "isso é coisa de homem", hein? Hein? Eu sou homem e nunca fiz aquelas barbaridades!

Pai: É que você é viado!

Tio: Eu não sou coisíssima nenhuma! Você que é!

Pai: Venha cá que eu lhe mostro o "viado"!!!

[os dois começam a pular em círculos com os punhos cerrados, ameaçando se baterem]

Tio: Para quem diz que não é, me chamar para um teste, é duvidoso!

[o tio dá risada]

[o pai o derruba com um soco e os dois começam a brigar no chão, enquanto as filhas ainda estão de cabeça baixa]

(a família toda volta para o cenário e separa a briga)

Avó: Para quê tudo isso, irmão contra irmão?

Mãe: Vocês deveriam sentir vergonha!

Tia: Vê se pode José Ricardo, você, defendendo esses bichinhas... Aonde já se viu? Até parece que é um!

Filha Mais Nova [abre um espaço no amontoado]: Eu só queria dizer que estou grávida, mas não sei se é meu namorado, e nem sei se foi ele que me passou AIDS...

Todos Juntos: CALE A BOCA, VALENTINA!

(todos começam a boquejar entre si, expressando-se com ódio, as crianças começam a chorar, a coluna do pai trava e ele sai do cenário, o tio avança para cima da tia, a avó e a mãe separam a briga, saem os três do cenário, a filha mais nova bate os pés com força, faz manha e sai do cenário)

(cenário completamente destruído, mesa virada, cortinas rasgadas, crianças comendo a comida do chão em silêncio)

(Filha Mais Velha continua sentada em sua cadeira, ela olha para a frente, assente com a cabeça, respira fundo e se levanta, olhando fixamente para a própria barriga)

Filha Mais Velha: Boa noite, família!

[ela sorri, faz movimentos alegres com os braços e levanta a mesa, as cadeiras e coloca as crianças sentadas nas cadeiras]

Filha Mais Velha: Como eu ia dizendo... Boa noite família! Tenho uma notícia para dar a vocês...

[a filha com expressão serena fica de pé em frente a mesa, olhando para frente]

Filha Mais Velha: Eu não estou grávida. E... Nunca namorei com cinco caras.

(vós do pai ao fundo:)

"AINDA BEM, HOMENS SÃO NOJENTOS!"

Filha Mais Velha: Pois bem... Homens são... Nojentos...? Bom, eu não acho não... Homem nojento, não acho não...

[ela nega e assente com a cabeça ao mesmo tempo enquanto anda de um lado para o outro]

Filha Mais Velha: Mas... Sabe, eu fico pensando... Meu pai acha homem tão nojento... Será que ele ficaria feliz se soubesse que eu só namorei com meninas a minha vida toda?

(ela anda de um lado para o outro/para/ se aproxima da câmera/platéia)

[coloca a mão do lado da boca, e sussurra]

Filha Mais Velha: Acho que ele não ficaria feliz não... E eu também acho que ninguém se preocupa tanto com as crianças...

[ela aponta para as crianças na mesa, comendo comida revirada, com sujeira no prato]

Filha Mais Velha: Eu nunca vou poder dizer a eles que eu namoro uma menina! Nunquinha... Não vão me deixar chegar perto das crianças... As mulheres da família vão ficar com nojo de se trocarem perto de mim... E pior... Eu posso até ser morta, mesmo estando dentro de casa...

[diz tudo em tom mórbido, com muita entonação tristonha]

Filha Mais Velha: Ah... Mas tudo bem... Eu não tenho AIDS igual a minha irmã, e nem estou grávida, ainda por cima, eu não sou a rainha da rua, mas... É... Eu desvirjinei só duas meninas... Será que vou pro inferno por isso? Só duas, gente, duas...

(ela se deita no chão)

Filha Mais Velha: Acho que eles estão mais preocupados em fazer "viado" parecer um palavrão terrível, do que com a doença e o bebê da Valentina...

(ela se eita de bruços, mas vira a cabeça para a câmera/platéia com expressão triste e pensativa)

Filha Mais Velha: Eu sou viciada em calmantes, já roubei uma boneca quando eu era criança... E... Ah! Já soneguei imposto de renda e nem paguei IPVA, não pago IPVA tem muito tempo... E eu não consegui aqueeeeele emprego... Será que se eu disser que sou lésbica primeiro e depois, disser que já cometi crimes, minha barra fica limpa? Tipo... Meu pai vai se acalmar né? Pois... Para ele tuuuudo bem ter filhos drogados, criminosos ou desempregados... Agora um filho gay... Xiiiii...

(ela se senta de pernas cruzadas)

Filha Mais Velha: Talvez haja um choque maior...

(ela bate o indicador no queixo pensativa)

(fim do ato)

❖❖❖
Notas de Rodapé

"É só sair do armário, não é difícil"

Aqui, caros héterossexuais, lhes apresento alguns fatores meramente hipotéticos. Qualqueeeeer semelhança com a vida real, é mera realidade.

Obrigada.

Apreciadores (3)
Comentários (2)
Postado 24/04/17 10:41

Hahahahahahaha, eu dei muita risada. É a realidade de ser difícil se abrir com o exagero que a comédia exige. Muito bom. Gostei mesmo!

Parabéns pela obra.

Postado 24/04/17 13:24

Hahahaha, fico feliz! <3

Postado 08/05/17 13:53

Quanta loucura! Amei! *---*

Postado 08/05/17 20:52

aaaaaa <3

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Ação

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Drama