Afetada
De mala vazia
Tipo: Lírico
Postado: 21/11/17 21:20
Gênero(s): Comédia Poema Sátira
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 22seg a 30seg
Apreciadores: 5
Comentários: 4
Total de Visualizações: 137
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 60
[Texto Divulgado] "O que surge do vazio... " Não existe ser humano que suporte o vazio dentro de si. Mas, o que acontece quando é uma Huldra que sente assim? Eis uma pergunta cuja resposta jamais deveria ser respondida...
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Afetada

Eles não me fizeram humana, me fizeram empática

Não suficiente, me fizeram simpática

Intuitiva das palavras

Sou uma poeta primata.

Meu nome faz jus às minhas graças

Cada vez que escrevo alguém bate nas minhas asas,

Mas é a única coisa que posso fazer

Já que me aconselharam a ficar de boca fechada

Assim eu não seria a mal interpretada.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Agradeço aos que leram, peço perdão pelos erros de português e lhes desejo paz.

Apreciadores (5)
Comentários (4)
Postado 22/11/17 02:55 Editado 22/11/17 02:57

Srta Vazia (confesso: soou estranho), peço perdåo por deturpar sua obra tão (ao menos inicialmente) otimista com minha Doença. Mas, frases como "não me fizeram humana" e "alguém bate nas minhas asas" são um catalizador para diablairizações! Conforme prossegui a leitura, imaginava ao bem menos nobre, uma visão distorcida e horrenda das coisas (d)escritas...

É um poema triste, se levarmos em conta o quanto o eu-lírico se vê privado de realizar por conta dos jugos e paradigmas dos demais. É como se ela fosse uma alienígena em seu próprio mundo/sociedade. E isso acontece com mais frequência com seres como ele (tão diferentes e diferenciados da maioria) do que seria conveniente...

Congratulações pela sua criaçáo!

Atenciosamente,

Um ser igualmente inumano, Diablair

#ad01-115/188

Postado 06/12/17 18:07

Sr. Diablair,

Confesso que a tentativa de poema otimista esvairou pelos meus dedos quando me aprofundei mais no texto. De qualquer forma, não deixo de aceitar diversas opiniões e visões sobre o mesmo.

Parte de mim diz que deveria parar de escrever sobre a normalidade da sociedade. Porém, outra parte de mim, não consegue evitar.

Então, irei esperar a normalidade humana me atingir. Enquanto isso, agradecerei pela atenção.

Postado 22/11/17 20:02

Me vi em muitas linhas desta obra simples, porém cheia de significado. É ruim estar cercada de pessoas que, ao mesmo tempo que te ensinam, te privam de ser quem você é na essência. É triste não ser quem realmente somos de alma e corpo.

Os poucos versos, tocam o leitor e o faz refletir sobre quem é nas suas relações externas. Quem é você fora da poesia?, questionei-me após terminar a leitura. Acho que nós nunca conhecemos uma pessoa realmente, o que é muito triste. Acho que a coisa mais maravilhosa que podemos compartilhar uns com os outros, é a verdade nua e crua de quem somos.

Parabéns pela obra!

#ad01 - 93/98

Postado 06/12/17 17:57

Eu costumo pensar que conforme você conhece o próximo, mais descobre que o desconhece. Isso geralmente causa um desconforto, certo?

Mas, ao mesmo tempo, traz um conforto, pois demonstra que somos profundos por essência. E as pessoas que merecem ver essa pura essência, são as que mais fazem esforço para conhecê-la. Não a julgam, nem a pertubam. Apenas a aceitam e a convidam a fazer parte de si.

Portanto, agradeço pelo carinho e pela atenção com todo o meu <3

Postado 26/11/17 14:18

Eu pensei em duas coisas quando li sua obra. A primeira foi uma boneca de porcelana sendo controlada por finas cordas de náilon e a segunda foi um tanto quanto mais perturbadora.... Algo mais digno da minha Doença. Uma visão mais sangrenta da coisa.

Gostei bastante. Parabéns!

#ad01 - 147/154

Postado 06/12/17 17:51

Talvez a verdadeira visão desse poema seja a mistura das duas coisas.

Portanto, agradeço de coração pelo carinho e pela atenção! <3

Postado 19/01/18 22:11

Isso foi um tapa na minha cara, um tapa destes que você sabia que levaria algum dia. Seu texto foi simplesmente arrebatador! Obrigada e parabéns!

Postado 10/03/18 18:59

Primeiramente, eu que devo agradecer.

Em segundo lugar, sinta-se abraçada depois desse tapa, porque depois do dodói vem o carinho (perdão pela minha infantilidade).

Em terceiro lugar, fico feliz que apreciou o texto!

Fique bem e mais uma vez, muito obrigada!!! ❤❤❤