Duas Camas
Izzy Reis
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 12/01/16 05:03
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 9
Comentários: 5
Total de Visualizações: 538
Usuários que Visualizaram: 21
Palavras: 495
[Texto Divulgado] "lugar quente" é o que cantam os pássaros todos os dias espero que eu continue falando a língua deles. 
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Para todas as camas conjuntas por ai...

Capítulo Único Duas Camas

A cama que eu dividia com a garota que eu amava não passava de duas camas de solteiro empurradas juntas para que pudéssemos fingir que tínhamos uma cama para nós duas.

As vezes, quando nos movíamos em meio ao sono, nossas camas se separavam uma da outra e nós acordávamos com esse buraco entre nossos corpos.

Ontem a noite, ela me achou chorando na cozinha, sentada no piso frio no meio da madrugada, tudo na nossa casa era pequeno, e meus pés se encolhiam para não tocar do outro lado da parede. Como eu disse, tudo na nossa casa era pequeno.

Ela me viu, e me ofereceu suas mãos como alguém oferece um copo de leite com mel.

Mas minha tristeza requeria algo a mais do que seu amor terno.

Eu chorava, e chorava com maior frequência na minha vida, e não porque minha vida não era mais excitante ou perigosa.

Eu chorava porque era grata por minha namorada nunca ter sido estuprada.

Eu era grata por que sua boca nunca sentira o gosto de cinzas, mas ás vezes, é tão solitário sentir-me inútil sozinha.

Quando eu falo que ainda sinto o fantasma do toque “Dele” no meu corpo os olhos dela são como céus nebulosos e cheios de pena. Pena, dó, compaixão, piedade, condolência...

Pena...

A emoção que se banqueteia enquanto fala sobre os famintos.

Ela não tem de deixar o cinema quando há uma cena de abuso; “aviso de gatilho”, essas palavras não fazem sentido pra ela; clamar a palavra “sobrevivente” nunca segue com vergonha...

O mais difícil no dia dela é escolher o que fazer para o café da manhã.

Sofrer não uma competição, quem sofreu mais ou menos no final, não importa. Não há prêmio para o vencedor.

Mas não há nada de “romântico” nas cicatrizes do meu corpo, mas há um padrão escrito, uma letra, numa língua que só quem sabe o que é temer um quarto escuro e um toque forçado sabe ler.

Eu vou ao mercado e cada homem no corredor usa a mascara do rosto “Dele”.

Eu não posso fazer amor com ela com as luzes apagadas.

Como eu explico pra ela que eu preciso das luzes acesas?

Como eu explico pra ela que chorar e fazer sexo as vezes parecem a mesma coisa?

Como eu explico pra ela?

Mas amar alguém é quase como inventar uma língua nova.

É tornar ela o porão em dias de tempestade. Um lugar seguro.

É tornar suas mãos pra mim como quem pergunta e tornar suas mãos para longe quando a resposta é não.

Nessa nova língua, nos apagamos “pena” e trocamos por “empatia”.

Eu não preciso que ela se desculpe, eu preciso que ela me ouça.

E nada disso é fácil, nada disso nunca é fácil.

Mas “ser fácil” e “valer a pena” não são sinônimos.

Então, quando nossas duas camas se separam, nos acordamos.

No meio da noite, nos acordamos e empurramos nossas duas camas juntas de novo.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Obrigada por ler!

Apreciadores (9)
Comentários (5)
Postado 12/01/16 14:58

Nossa, que lindo <3

"Mas amar alguém é quase como inventar uma língua nova". Amei essa parte e o final! Lindo! <3

Postado 13/01/16 02:33

Azuri! <3

(me achou sozinha cara, vc é foda)

Adoro quando puxam quotes.. me sinto tão importante...

XD

Postado 13/01/16 15:27

Rainha stalker, fia :v

Cara, eu citei aquela parte pra n ter que citar o texto inteiro!

<33333 Posta mais que ta pouco <3333

Postado 13/01/16 02:43

*-* Que lindo <3

Postado 13/01/16 04:11

Lindo é você... <3

Vou postar o outro daqui a pouco...

Postado 27/06/16 09:45

Sensacional. Uns temas fodas do cotidiano, mas as partes de união e amor são excelentes remédios pra se levar a vida um pouco mais em paz.

Postado 02/12/16 18:56

Uau

Postado 02/12/16 19:38

XD

Postado 09/09/17 19:32

A maneira que tratou assusto foi simplesmente incrível! Tratar o abuso sexual é, em minha opinião, difícil. Porém, tratas-te deste muito bem e ainda por cima não esqueceu de colocar aquele romance fofo, meus parabéns.

Para mim, otrecho que mais se destacou foi: Eu vou ao mercado e cada homem no corredor usa a mascara do rosto “Dele”.

Penso que muitas mulheres que passaram por isso sente-se assim, claro não dá para esquecer que acontece com homens também... Mesmo que não fale-se sobre.

Por fim, adorei sua obra. Agradeço por compartilha-la conosco.

#ad001 (046-020)

<3

Outras obras de Izzy Reis

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto