Destruindo o Próximo
True Diablair
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 02/08/20 03:15
Editado: 02/08/20 15:27
Gênero(s): Poema Terror ou Horror
Avaliação: 9.48
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 6
Comentários: 6
Total de Visualizações: 559
Usuários que Visualizaram: 10
Palavras: 328
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Somente um escárnio medíocre de poema malevolente, uma deplorável tentativa de texto regurgitado sem quaisquer pretensões.

Capítulo Único Destruindo o Próximo

É isso!

É essa sensação

Tomando minha mente,

Essa loucura rubra

Borrando a visão!

É essa coisa maldita

Sem explicação,

Malevolência explícita

De total imersão

Em toda a minha intensa

E imensa escuridão

Que busco outra vez!

Foi ela quem fez

A gente criar essa confusão

Difícil de explicar

E irresistível de antemão!

As batidas

Do meu coração

Ficam misturadas

Com as da sua cabeça

Rachando no chão!

Meu sangue fervendo

O seu vertendo

Junto com suas lágrimas

E os seus gritos

E minha gargalhada!

Seu corpo tremendo

Em espasmos tão fortes

Quanto os meus golpes

E foram tantos,

Tantos que dei...

Mãos nuas

Sem intermediários

Ambos vamos

Sentir isso

In natura

E você lutando tanto

Pela sua vida

Quanto eu me esforcei

Para arrancá-la

Assim como fiz com sua pele

E a carne que vinha

A cada mordida!

Foi uma longa briga

Mas você nunca teve chance.

Também, todo aquele sangue

Escorrendo, jorrando,

Me empolgando,

Com certeza fez falta

Para nós dois.

Eu confesso:

Destruir uma pessoa

Com minhas próprias mãos,

Com unhas e dentes,

(Literalmente)

É cansativo;

Para me sentir vivo

Faço qualquer coisa!

Ultraviolência

Sem limite conhecido

Com qualquer um

Que eu possa pegar

E brutalizar ao ponto

Em que você está chegando:

O do não reconhecimento

Exceto exames de DNA,

O da ânsia de vômito

Instantânea

Das pessoas

Só de ver o resultado

De nossa interação,

O da comoção generalizada

Ao descobrirem o quanto

Você sofreu aqui...

Tão comovidos

Quanto eu agora

Só observando

Seus últimos suspiros

Mais parecendo ganidos

De uma coisa destroçada

Se desfazendo em

Tantos ferimentos

Que parece uma versão

Infernal de Picasso

Excessivamente escarlate

Trucidada aos meus pés

"A Arte do Demônio",

Eu diria

Sorrindo orgulhoso,

Ofegante, desejoso,

Quero, ah como quero,

Quero de novo...

Quero mais!

Seu marido já foi

Bom, seus pais

E seus filhos

Serão os adicionais!

Família unida

Aos pedaços:

Me agradeçam no Inferno

Por tamanha proximidade!

A vida é bela.

Tomá-la é muito,

MUITO mais!

❖❖❖
Notas de Rodapé

Amém.

Apreciadores (6)
Comentários (6)
Comentário Favorito
Postado 02/08/20 13:14 Editado 02/08/20 18:48

Sr. Diablair, Sr. Diablair!!!

Você não imagina a saudade que eu sentia de ler algo desse nível e maravilhosidade!! Esse tipo de palavras dilacerantes só poderiam sair de você, e de mais ninguém, pois você é único!!!

Estou extasiada com a violência e brutalidade aqui retratadas, me fizeram lembrar de tantos textos seus, que me senti nostálgica! Bravo! Bravo!

As batidas do coração misturadas com a da cabeça rachando no chão, isso foi lindo! Esplêndido!

A carne arrancada a mordidas, a destruição do não reconhecimento, a ânsia que a cena causaria nas pessoas, maravilhoso! Maravilhoso!

Picasso Infernal, Arte do Demônio... Sublime! Doce! Puro! Maravilhoso!

Não me canso de elogiar suas obras, elas merecem todo o reconhecimento do mundo! O senhor é um escritor dos mais incríveis do universo!

Atensiosamente, uma senhorita que o admira muito,

Meiling!

Postado 03/08/20 23:42

Srta Yukari, seu entusiasmo é tão inibriante quanto contagiante... Muito me felicita e prestigia ler um feedback tão positivo, muitíssimo obrigado por tamanha honraria!

Postado 02/08/20 15:08

O ódio nos versos é palpável e é confirmado pela sonoridade dura que as rimas transmitem. O leitor fica horrorizado, mas como parar de ler? O eu lírico nos prende, como se fosse um caçador capturando a caça.

O chamado iminente de destruição que banha os versos é tão incrível. É como se estivéssemos presenciando o mais alto nível de brutalidade humana. As feras estão tomadas por demônios nesse poema e, bem lá no fundinho da alma, a Tortura quis dançar junto com eles kkkkk.

O único adendo que faço é sobre a classificação etária, que deveria ser maior, para não gerar problemas com a adm.

Obrigada por compartilhar conosco, Diab!

Parabéns ♥

Postado 03/08/20 23:46

Srta Tortura, vinde a nós! Por obséquio e para o nosso deleite, esconda sua contraparte aternurada e se faça presente uma vez mais como o demônio montado na crista do Inferno! Seria tão bom...

Muitíssimo obrigado por prestigiar a obra com sua leitura e presença e gratíssimo pelo adendo! Gratíssimo!

Postado 02/08/20 18:46

Tudo bem, eu confesso! A cada palavra o meu sorriso aumentava. Obras fofas definitivamente não são para serem lidas por mim, eu gosto mesmo é de algo nesse nível ou até pior.

Pude visualizar belissimamente cada cena, cada detalhe. Jurei até ter visto o sorriso ensanguentado do autor deste ato repugnante. Talvez ele tenha até ficado lá por um tempo, balançando de um lado para o outro enquanto pendia a cabeça para vislumbrar a obra de outro ângulo. (ta, me ignora... deixa pra lá!)

Moço do hell (eu já ia dizer do céu, mas não seria condizente com o momento. Deixa quieto) que obra magnífica. Muito a cara da Doença, da Academia da Carnificina. É ótimo ver a chacina retornando para a AC (Diga não ao Carinho!!)

Ok, parei com os delírios. Parabéns, moçoooo!!

Postado 02/08/20 19:10

Eu tô vendo esse boicote a Academia do Carinho, viu?! u.u

Postado 02/08/20 20:06

Ta vendo nada não! u_u

Postado 03/08/20 23:51

Moça, ajude-me a bagunçar o coreto e tingí-lo de escarlate, façamos estes corações afetuosos e apaixonados da maioria aqui do site disparar não por causa do sentimento com "A", mas pelo puro Terror/Horror! Ou paremos um a um do modo mais malevolente e sangrento possível...

Fico imensamente feliz e satisfeito por ver que ainda há esperança para a matança, afinal...

Gratíssimo! Gratíssimo!

Postado 05/08/20 16:34

Vamos acabar com tudo, moço!!! Vamos acabar com tudo bem carinhoisamente!

Postado 10/08/20 00:56

Essa parte do carinhosableargh eu deixo para você, Moça...

Postado 02/08/20 23:51

De primeira a mão eu digo: não faz ideia de como senti falta das tuas rimas e todo o sangue respingado no rosto, o acelerar do meu coração por imaginar ser, de alguma forma, cúmplice dos teus atos...

Mesmo que curto, forçado e simples; não deixo de adora-lo, provavelmente, pela simplicidade das machadadas e grunhidos no prédio abandonado e ecoante... Espero ter mais dessas cores.

Sem mais a dizer, agradeço por compartilhar sua obra.

Assinado alguém que teria calos por dar tantos golpes, <3

Postado 03/08/20 23:54

Guro-chan, muito me apetece e alegra saber que ainda consigo lhe animar com minhas palavras e Doença...

Muitíssimo obrigado pelo feedback!

Postado 04/08/20 00:22

Sinto que perante teus escritos sou refém e cúmplice, sempre. E toda vez muda meu dia, por isso, eu que agradeço (mais uma vez)... Hahaaha!

Postado 03/08/20 20:51

Intrigante, caro colega. Acho que é essa a sensação que temos ao descontrole e as emoções negativas que nos tomam

Postado 03/08/20 23:59

Certamente, meu caro! E nisso jaz a bizarra e inumana felicidade para muitos!

Gratíssimo!

Postado 04/08/20 17:53

Preciso dizer que não sou muito fã dessas histórias de terror, é muito assustador para mim, mas é que vc escreve tão bem que eu até consegui terminar a leitura, mas que é assustador é, e acho que pra vc isso foi um elogio né kkkkkkk então pode se sentir bem elogiado pq foi completamente assustador, vc é ótimo no que faz

Postado 10/08/20 00:44

Shahahahahahahahhahahahahahaha! Srta Vilma, fiquei imensamente feliz e agradecido com suas palavras, com toda a certeza! Que maravilhosa e inesperada mistura de sensações tivemos aqui, estou radiante com seu feedback!

Muitíssimo obrigado, de todo o meu necrosado e escabroso coração!