Profundidade
Lucas Bazani
Tipo: Lírico
Postado: 15/11/17 19:13
Gênero(s): Poema Romântico
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 39seg a 52seg
Apreciadores: 2
Comentários: 2
Total de Visualizações: 62
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 104
[Texto Divulgado] "Pele de Sol" Pensamentos sobre uma moça que conquistou meu coraçãozinho em 2016 e logo em seguida, jogou ele morro abaixo.
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Profundidade

Por seres vazios, sigo envolto

Desalmados corpos, vagando em transe

Com seus amores por carne e rosto

Já que não há nada mais que se possa amar

Mas se, o que há tanto tempo procuro

Porventura, em você encontrar

Como luz em vastidão de escuro

Peço que me permita entrar

Em seu mundo e apreciar os calorosos momentos

A cada segundo, em sua imensidão de pensamentos

Explorar as belezas de seu mais ínfimo ser

E nele, viver

Mesmo que esse venha a mudar

Não temo, pois levo junto a mim

O amor, que cresce no olhar

De quem, entre rasos lagos, é profundo mar.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Hey, there! Obrigado por ler até aqui!! Esse foi mais um poeminha romântico que estava nebuloso em minha mente e tomei coragem de escrever. Simplesmente amo escrever poemas, podem ter certeza que muitos ainda estão por vir! "Profundidade" veio de uma oposição entre amizades superficiais e pessoas que compartilham seus pensamentos sobre tudo, possuem um verdadeiro conteúdo. Isso tudo me encantou, espero ter passado um pouco desse sentimento para você através do poema!

Abraços do seu drámatico colega, Sr. Lucas!

Apreciadores (2)
Comentários (2)
Comentário Favorito
Postado 17/11/17 21:40 Editado 17/11/17 21:57

Sr Lucas, seja bem-vindo ao site! Diablair o saúda!

Antes de mais nada, permita-me alertá-lo: sou possivelmente um dos seres mais Doentes, depravados e malditos deste antro. Logo, sou totalmente averso a esse tipo de leitura.

Todavia, às vezes esse mesmo tipo de obra me causa uma imensa inspiração corruptora e eu, tão tentado quanto Adão perante Eva e o Fruto Proibido, não resisti e "diablairizei" seu poema (fiz uma versão deturpada do mesmo).

Peço desculpas por isso. Mas, como singela retribuição, irei apreciar seu poema e dedicar minha desgraçada obra ao senhor.

Gratíssimo! Gratíssimo!

Atenciosamente,

Um ser raso, Diablair.

#ad01-072-188

Postado 17/11/17 22:20

Muitíssimo obrigado, caro sr. Diablair! É uma honra receber a apreciação de um ser tão escuro e perverso como você em um poema romântico e dramático, como minha essência. Aguadarei ansiosamente sua obra e tenho certeza de que fará um belíssimo e diabólico trabalho!

Abraços!

Postado 05/12/17 21:58

Meu senhor, que belo poema este que encontrei! O interessante é que inconscientemente - ou consciente, não sei - você fez uma crítica nos primeiros versos, sobre a realidade do "amor moderno", que basicamente se resume em padrões de beleza midiáticos. Em outras palavras e citando as suas: amores por carne e rosto.

Mas nosso eu-lírico não procura por isso, aliás, o que ele procura em alguns termos é um mistério, mas nada mais do que o amor em alguém. Realmente muito belo!