Aniversários
Matan
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 30/06/22 00:11
Gênero(s): Cotidiano Romântico
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 6min a 8min
Apreciadores: 1
Comentários: 0
Total de Visualizações: 75
Usuários que Visualizaram: 3
Palavras: 1039
[Texto Divulgado] "Renascentismo" "And it's good to be alive Crying into cereal at midnight If they ever let me out, I'm gonna really let it out"
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Aniversários

A campainha toca, eu atendo, era o último amigo que faltava, é meu aniversário, e a gente tem comemorado assim faz alguns anos, não é nenhuma surpresa, o bolo fui eu mesmo que fiz, meus amigos vem me visitar na noite do meu aniversário, parabéns, bolo, e bastante conversa.

É muito bom poder compartilhar o crescimento de cada um, é raro poder ter esse momento com meus amigos hoje em dia, mas gosto de ver como todos estão progredindo e evoluindo profissionalmente, pessoalmente, alguns já estão construindo sua família.

No passado eu poderia invejar eles, mas hoje eu sei que meu futuro pode até ter muitas possibilidades, mas já sei que vai ser muito bom. Sei que hoje tenho oportunidade de simplesmente aproveitar os pequenos momentos sem me preocupar com o amanhã, ou com o futuro.

Embora eu saiba que é meu aniversário, embora eu saiba que tem bolo, afinal fui eu que fiz, meus amigos ainda me surpreendem com o parabéns, é como se eles começassem a cantar o parabéns num momento que eu não esperava, e isso faz parecer uma surpresa, eu começo a me encher de felicidade, muitas vezes eu me questionei sobre felicidade, mas são momentos assim que eu percebo que eu não tenho o que pedir.

A música de parabéns está acabando, mas eu já estou escondendo o rosto, por quê sei o que vem agora: "Com quem será?...". Eu olho pra ela, ela me devolve o olhar, a gente ri de nervoso, mas ela caminha até mim, eu a abraço forte, e dou um beijo nela, ela me devolve o abraço, forte e ao mesmo tempo aconchegante. Ela mudou a minha vida desde o início, a forma como eu vejo o mundo, a forma como eu me vejo, e isso me ajudou a ser uma pessoa melhor. Desde que estamos juntos, ela se tornou a minha melhor amiga, e eu sou grato de ter ela na minha vida.

O beijo parecia o primeiro, mas isso provavelmente era por conta da festa que os meus amigos estavam fazendo vendo a gente junto na frente do bolo.

De repente, ela coloca a mão no bolo, e enche a minha cara de chantili, hahaha, só tive a reação de segurar ela pra fazer o mesmo, ela se debatendo pra não sujar a maquiagem, e eu tomando cuidado pra não sujar ela tanto, afinal a noite não acaba as 00:00, uns instantes depois ela consegue se afastar e gente fica ameaçando um ao outro com a mão cheia de bolo, até a gente se acordar no olhar que faríamos uma trégua, uma pena que meus amigos estavam contra mim, e me seguraram pra eu tomar mais bolo na cara, até eu desistir de reagir.

Depois que os ânimos se acalmam eu finalmente consigo espaço pra lavar o rosto.

Todo mundo cheio de comer bolo já, a festa vai esfriando e os meus amigos começam a ir embora, um por um, mais uma vez foi um sucesso, e também não tínhamos muita coisa para organizar depois da festa, só juntar uns restos de bolo que deveriam estar na minha cara, mas pararam no chão.

Quando meu último amigo sai, a gente vai juntos pro quarto, uma das minhas gatas ainda não gosta de receber visitas, e sempre se esconde lá, então a gente vai fazer companhia pra ela.

Ela deita na cama, é 23:59, o dia do meu aniversário está quase acabando, eu fico em cima dela, o olhar dela me desarma, eu tento encarar ela sem nenhuma expressão, até ela fazer uma careta, e eu tenho que devolver.

00:00, e o sino da igreja que tem aqui perto começa a tocar, 364 dias do ano esse barulho, ainda mais a meia noite é horrível, mas nesse dia em específico é perfeito, eu a beijo, e consigo perceber que ela está tão envolvida no beijo quanto eu, mas após as 12 badaladas do sino, a campainha toca.

Os amigos dela aparecem, todos eles, e a festa de aniversário começa novamente, afinal, virou a noite e é o aniversário dela, alguns deles eu já tive algumas conversas, outros eu apenas conheço, dessa vez eu sou o coadjuvante da festa, particularmente não sou do tipo de se engaja em conversas com pessoas que eu não conheço, mas consigo aproveitar muito pra aprender coisas novas.

Vou tentar puxar o parabéns surpresa, tentando preparar todo mundo pra cantar sem que ela perceba, afinal, é muito divertido sendo surpreendido com o cantar dos parabéns, eu pego a câmera, mas eu vendo ela se emocionar com a festa decido que eu não preciso gravar, prefiro viver esse momento, procuro prestar em cada curva que ela faz enquanto começa a encher os olhos de lágrima.

Eu deixo o tempo passar, enquanto os amigos dela aproveitam pra fazer as fotos do aniversário, quando eu começo a caminhar em direção a ela, ela me devolve o olhar, mas acho que ela percebeu que eu não queria só me aproximar, pede pra eu parar de andar, mas eu não paro, a festa para, parece que eles estão assustados, mas ela já entendeu que era hora da vingança.

Eu quase não consegui chegar no bolo pra arrancar um pedaço pra sujar ela de bolo, ela parece revoltada, dessa vez eu não peguei leve, e sei pela cara dela que eu não ficar impune dessa, e talvez precise dormir com os olhos abertos pra me prevenir, mas valeu a pena, hahahaha.

O clima de festa volta, embora a cara dela de indignada com o que fiz, sei que ela se divertiu também. Com o tempo, naturalmente o pessoal vai se despedindo novamente, é um esforço muito grande de todos para virem fazer essas duas festas, e eu sou grato a todos que vieram.

Depois de preparar duas festas, estamos exaustos, embora a preguiça e a gente se enrolando, conseguimos já organizar a casa antes de dormir. Depois de deitarmos eu consigo aproveitar um momento só nosso, gosto de sentir a pela dela, ainda mais quando está relaxada, o rosto dela começa a deslizar na minha mão, e ela devolve o carinho, rapidamente ela cai no sono, e eu respiro fundo aproveitando esse dia, para poder aproveitar muitos mais em diante.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!