Negado
True Diablair
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 12/10/16 15:46
Avaliação: 9.91
Tempo de Leitura: 37seg a 50seg
Apreciadores: 11
Comentários: 8
Total de Visualizações: 860
Usuários que Visualizaram: 17
Palavras: 100
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de catorze anos
Notas de Cabeçalho

ATENÇÃO: ESTA LEITURA NÃO SERÁ DE FORMA ALGUMA AGRADÁVEL! LEIA POR SUA CONTA E RISCO.

Texto antigo. Realidade atemporal.

A obra não pretende fazer/fez qualquer incentivo ao tema abordado.

Capítulo Único Negado

Ele nunca saberia (ou sequer poderia) expressar o quanto a ausência do toque dela o entristecia. Doía em sua alma a falta do amor, do carinho, do respeito por ele, mesmo que tais conceitos jamais pudessem ser compreendidos por sua mente.

Até o desprezo dela pelos seus prantos na madrugada era inconsciente: mesmo em tamanho martírio, simplesmente o ignorava.

E, provavelmente... Sempre o faria.

Como gostaria de ao menos uma vez ter lhe abocanhado as mamas! Uma vez que fosse...

Como seria...?

Enlouquecidamente desesperado, restava-lhe somente continuar vagando ao redor da mãe que nunca teve e também não quis tê-lo...

❖❖❖
Notas de Rodapé

Feliz Dias das Crianças? Tem certeza?

Apreciadores (11)
Comentários (8)
Comentário Favorito
Postado 26/10/20 03:36

Essa drabble realmente me deixou sem palavras. Não sei exatamente o que estou sentindo - porque uma parte de mim se sente enganada, porque tudo levava a crer que teria um erotismo no ar, quando na verdade é sobre o aborto.

Esse é um tema bem polêmico, e que você trouxe no decorrer dessas exatas 100 palavras um sentimentalismo muito grande a respeito. A visão do feto em si é entristecedora, depois que você lê a obra pela segunda vez. A carga emocional e melancólica é intensa, e chega a doer o coração com essa última frase.

O interessante é que também remeteu a uma outra crítica: o abandono. Quantas crianças são abandonadas pela figura materna por n motivos? Ou quando não o são, são rejeitadas no lar familiar?

É uma drabble que nos traz muitas interpretações e reflexões. Parabéns, Manu ♡

Postado 12/10/16 16:09

O moço sempre aparece com coisas “contraditórias” em datas comemorativas. Adoro isso!

Mesmo sendo triste e sinistro, é um ótimo texto!

Postado 12/10/16 16:43

É isso que faz ele ser o meu escritor favorito

O cara é uma lenda

E vc é uma linda

Postado 12/10/16 16:50

E a senhorita é/será ambas as coisas, querida Gabi!

Postado 12/10/16 17:17

Você que é linda! <3

Postado 12/10/16 16:46

Estou sem palavras!

Pelas garras douradas do Leão Rei

Você é incrível Diab

Conseguiu fazer algo tão contrário desse dia de hoje

Surpreendente de novo!

Nossa!

Estou impressionada com tudo!

Tudo mesmo!

Foi uma coisa tão indescritível esse texto!

Ele foi um texto simples e curto mas foi muito marcante

Me fez pensar muitas coisas

Parabéns

Você é um grande escritor Diab

Continue assim

Postado 12/10/16 16:53

Sou um maldito e incurável doente demente, somente isso... Mas, fico absolutamente feliz e honrado com tuas palavras, elogios, apoio e gentileza, Srta Gabi!

Realmente, é uma dádiva ter uma leitorado seu calibre aqui presente uma vez mais!

Muitíssimo obrigado, de todo esse resquício escuro e feio do meu coração! Gratíssimo!

Postado 12/10/16 16:52

[g]old.

Sem mais.

Postado 12/10/16 16:54

Melhor amiga/pessoa na/da minha vida.

Sem mais (exceto muitíssimo obrigado!)

Postado 13/10/16 11:28

Bah, que visão mais triste do dia das crianças. Sacanagem trazer uma versão tão chocante para nós leitores, Diab! Hehehe

Enfim, é chocante, pois, em muitos casos, é a realidade de muitas crianças. Que triste que é a vida se formos olhar só para as situações desesperadoras e infelizes dos desafortunados. Que visão pertubadora, que nos traz, Diab, hehe.

Belo texto, cara. Muito bem escrito, muito bem elaborado, com uma mensagem bem presente e bem impactante. Certamente todos que o leram esse texto foram abalados e isso mostra o sucesso da tua escrita.

Parabéns, nobre amigo!

Postado 13/10/16 17:25

Lamento, monsieur LEcrivain... Sou intrisecamente doentio e só me atenho a todo esse lado desgraçado, degradante e destrutivo/destruído da Vida e do (I)mundo... É mais forte que eu. Todavia, o senhor tem toda a razão: como ver algo de bom em algo sse o foco está nos seus piores aspectos? Incongruência definida.

É sempre uma honra e um contentamento receber um review teu, meu caro e ilustre amigo! Muitíssimo obrigado, de todo o meu infeliz e putrefato coração!

Postado 10/05/17 13:18

Aborto... Quanta coragem da mãe (e sua) para tal ato (escrita).

Bonito ficou o texto, devo dizer; mas me questiono será que a mãe não morreu logo depois de infecção? Talvez...

Postado 10/05/17 21:39

Alguém tem que fazer este tipo de serviço imundo no site...

E não, esta mãe (assim como tantas outras) gozou de uma vida saudável e feliz por longos e bons anos. O mumdo (em especial o meu) jaz no Maligno.

Gratíssimo, Srta Shizu! Gratíssimo!

Postado 23/10/20 23:45

Cacetada, meu Diablair do Hell, isso aqui foi o ápice do horrendamente triste, e justamente por isso, eu adorei completamente!

No começo do texto imaginei que fosse um bebê vivo sofrendo com sua mãe que não lhe dava carinho e atenção...

E isso apertou muito meu coração...

Mas nossa, hora que chegou no final e eu entendi o que estava acontecendo, caramba, foi muito forte...

Diablair, você escreve de uma forma tão maravilhosa <3

Um grande abraço, atenciosamente, de uma criatura que talvez não deveria ter vindo ao mundo...

Meiling...

Postado 07/11/20 03:06

Mei, eu sinto tanta vontade de te abraçar quanto de te cascudar quando leio estas coisas que você diz acerca de si...

Mas, por ora... Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 01/11/22 00:47

Que obra insanamente devastadora... É o tipo de leitura que nos dói a alma e arranca todas as palavras, na mesma proporção que nos traz uma profunda e dolorosa reflexão.

Obrigada por compartilhar conosco!

​Parabéns, Diab ♥

Postado 02/11/23 23:47

Quando envolve seres humanos, as coisas tendem a ficar tão bizarras...

Gratidão, soBrina!

Outras obras de True Diablair

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drabble

Outras obras do gênero Drama