Fios
Julih
Tipo: Lírico
Postado: 15/08/17 23:11
Editado: 16/03/18 14:43
Gênero(s): Poema Reflexivo
Avaliação: 9.77
Tempo de Leitura: 46seg a 1min
Apreciadores: 9
Comentários: 7
Total de Visualizações: 349
Usuários que Visualizaram: 12
Palavras: 124
[Texto Divulgado] " Bicicleta" "Meu bem, a vida é como andar de bicicleta, só chegamos a algum lugar se aprendermos a cair e se nos movimentarmos."
Não recomendado para menores de dez anos
Capítulo Único Fios

Agarrei-o com muita cautela.

Você o tirou de mim.

Me desequilíbrei.

Encontrei-o novamente.

Estava cortado.

Joguei fora.

Tateei por mais

e, satisfeita, sorri.

Tantos para seguir.

Agarrei qualquer um.

Você me deu uma vela

que apenas queimou-os.

Na escuridão,

perdida,

em círculos.

Não há.

Estou cega,

surda,

perdida.

Achei outro.

Segui-o com empenho.

Um nó.

Um círculo.

Um esticado.

Acendeu a luz.

Apagou-a.

Não levou

a local algum.

-Me ajude-

Tateei novamente.

Minha mãos estão geladas demais

para sentir.

Não sou capaz de falar.

Minha voz não tem som

não tenho guia

-socorro-.

Estou desesperadamente

procurando por algum fio

fio de vida.

Fio de guia.

Uma pequena luz na escuridão,

isso que é.

Mas, os fios estão

queimados, enozados, cortados.

Não me guiam mais.

❖❖❖
Apreciadores (9)
Comentários (7)
Comentário Favorito
Postado 16/08/17 00:04

Bem-vinda ao meu mundo.

As Trevas recebem a todos de braços abertos. Aproveite a estadia.

Belo poema, imerso em sentimentos e pensamentos tétricos, em uma desesperança crescente. Palpável.

Excelente. Lamento, mas... Excelente.

Atenciosamente,

Um ser que arrebentou e incinerou quaisquer fios e ligou o foda-se, Diablair.

Postado 16/08/17 18:59

Muito obrigada por seu comentário, diab <3

Postado 16/08/17 00:18

Gostei bastante deste poema, especialmente, porque lembrar as minhas experiências. Essa insanidade do final, *w*

Júlia, sabe que pode contar comigo, então... Não esqueça que eu existo.

Obrigado por compartilhar seu poema com nós.

<3

Postado 16/08/17 19:00

Obrigada <3

Postado 16/08/17 14:48

Adorei o poema!!!

Melancólico e triste... simplesmente bonito...

Sabe aquela frase: "A esperança é a última que morre"?

Acho que ela deveria ter uma continuação: "A esperança é a última que morre... Junto ao último fio que é cortado"

Enfim, um belo poema!

Um abraço, Meiling.

Postado 16/08/17 19:00

Obrigada <3

Postado 24/08/17 13:38

Eu sinceramente estou apaixonada pelo jogo de palavras aqui usado (é um termo incorreto, porque o poema tem uma carga negativa e triste, que dizer estar 'apaixonada' soa meio cruel, mas acho que você entendeu). O termo "fio" tem várias relações e contextos diferentes, mas aqui é tudo aquilo que nos liga a algo, ou melhor retratando, que nos liga à vida.

É algo que o nosso eu-lírico desesperadamente tenta seguir/puxar, mas falhando miseravelmente.

Entretanto, não é a nossa vida assim? Quando estamos seguindo um caminho, sempre aparece um obstáculo que nos impossibilita de prosseguir; quando achamos que a pessoa x está nos ajudando, sendo a nossa salvação, na verdade ela já está com a tesoura em mãos pronta para nos ver afundar. Às vezes propositalmente, às vezes de forma inconsciente.

Mas os fios sempre se parte.

É uma reflexão linda que você expôs aqui, babe. Triste, porém linda. Parabéns ♡

#ad01-006

Postado 24/08/17 14:58

Obrigada por esse comentário maravilhoso <3

Postado 10/09/17 22:11

Hoje cedo eu estava lendo sobre o Akai Ito e, por algum motivo, lembrei que já tinha lido sobre fios por aqui em algum lugar e olhem só, a minha memória não é tão ruim assim!

Eu amei a forma como você usou as palavras aqui. Foi um ritmo rápido e viciante, quase tão desesperado quanto a vontade do eu-lírico de conseguir seguir um fio. Amei!

Parabéns!

#ad01 - 067/154

Postado 11/09/17 22:51

Obrigada <3 Fava

Postado 10/09/17 22:13 Editado 10/09/17 22:47

Em alguns momentos da leitura, me senti sufocada e perdida da mesma forma que o eu-lírico. Acredito que não somente a forma como o sentimento foi expresso, mas também como o poema está em questão de estrutura, ajudou e muito a garantir que esse sentimento fosse passado com sucesso.

É desesperador tentar seguir em frente, mas não achar o caminho. Parece que quanto mais tentamos, mais nos perdemos e afundamos nesse mar de diversos caminhos que não levam a lugar nenhum. Então, a solidão bate, a frustração se acomoda e tudo o que nos resta é agarrar um fio (motivo) e tentar mais uma vez e mais uma vez e mais uma vez...até que o fio certo nos guie para a luz novamente.

Contudo, todos estão no mesmo estado. Como proceder diante de tal situação? Quero imaginar que, mesmo após a desistência, o eu-lírico tenha encontrado muitos e muitos outros fios para seguir. Fios menos confusos e incertos; fios mais amigáveis e gentis.

Obra maravilhosa, melancolica e que me fez refletir sobre muitas coisas. Parabéns, mana!

#ad01-05/98

Postado 11/09/17 22:52

Sua resposta me deu uma ideia bem interessante....

Obrigada, mana <3

Postado 27/11/17 22:52

Hehehe. Gostei da analogia.

Muito bom! Parabéns!

Postado 04/12/17 14:02

Thanks <3