Brincando na poeira
6 de Janeiro
Tipo: Lírico
Postado: 24/02/18 00:07
Avaliação: 9.5
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 6
Comentários: 4
Total de Visualizações: 219
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 254
[Texto Divulgado] "A noiva" Com uma taça em mãos e olhar voraz, se flagrava confortável por não ter alguém ao seu lado prometendo o que não é capaz de cumprir. Observava a concentração do pianista, as velas agora já derretidas na bancada e o sorriso que iluminava o belo rosto da noiva.
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

eu sou um erro

Capítulo Único Brincando na poeira

brincando na poeira

há algo perfeitamente morto

na distância que separa nossas peles

temendo acender a luz

e abrir as janelas

eu sinto que seu amor adormece, às vezes.

eu sou um quadro que foi pintado

por um assassino tímido e acomodado

eu o sinto respirar em meus ouvidos

à noite ele me beija e me nina até eu adormecer

ele me observa no canto dos sonhos

ele estava na neblina do meu último pesadelo

mas nós não o achamos.

você diz que as ruas desta cidade

estão cheias da vida que você quer ter

você quer ir para New York,

mas você tem medo de ratos,

talvez você devesse se conhecer mais,

mas,

nós dois, nos parecemos muito

nós nos amordaçamos carinhosamente bem.

as horas vazias que não querem me dar sono

me fazem chorar e tremer pela casa toda

eu vago como uma alma penada,

enquanto sei que você está dormindo

você continua fugindo

você é bom para fugir das brigas,

e é bom para me remendar depois de cada uma delas,

mas sei que para mim ainda não há cura.

estamos brincando na poeira

sorrindo com dentes ensopados de paixão e medo

nosso amor vai existir sempre

mesmo quando houver algum punhado de remorso

as incertezas fazem parte do aprendizado

assim como os dias em que superamos toda e qualquer

expectativa romântica.

ninguém nasceu para ser um ideal de ser humano,

mas, somos burros, meu amor,

passarinho, estamos fritos!

Nós continuamos voando, de mãos dadas,

mas eu ainda me sinto sozinha.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Me desculpe passarinho, eu sou doente demais para você.

Apreciadores (6)
Comentários (4)
Postado 25/02/18 11:50

Caraca, que poema! Intensidade define cada pedacinho desta obra excêntrica e esplêndida, por mais que uma atmosfera de culpa e melancolia permeie ao redor da obra.

Parabéns ❤

Postado 25/02/18 23:45

Fico feliz que tenha gostado, obrigada!

Postado 11/03/18 22:23

O estar e sentir tanto solitário quanto acompanhado e amado e abandonado ao mesmo tempo, colocando em foco os medos e anseios... Foi tudo muito bem exposto mo poema, de forma a fazer sentir o sentimento ao ler. Parabéns!

Postado 16/03/18 12:10

que bom que gostou! Obrigada!

Postado 25/05/18 21:12

"eu sou um quadro que foi pintado

por um assassino tímido e acomodado"

Eu fiquei com isso na cabeça. Socorro!

Parabéns!

Postado 26/05/18 13:04

Fico feliz por ter tido algo marcante hahaha, obrigada como sempre!

Postado 21/10/18 20:04

Escutar uma música de flauta e triste/calma não ajudou muito ao ler essa obra, bateu bad. Um poema de despedida/desculpas reflexecível que entrega uma visão realmente lamentável, sentir-se só mesmo tendo alguém.

Sem mais a dizer, só a refletir. Agraeço por comartilhar sua obra.

<3

Postado 21/10/18 22:34

Eu agradeço a você por apreciá-la ❤❤

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo