Belladonna
Victoria C
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 28/07/22 15:56
Editado: 28/07/22 16:59
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 2
Comentários: 0
Total de Visualizações: 36
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 332
[Texto Divulgado] "Renascentismo" "And it's good to be alive Crying into cereal at midnight If they ever let me out, I'm gonna really let it out"
Não recomendado para menores de dezoito anos
Capítulo Único Belladonna

Pela fresta da janela os raios de sol invadem o quarto. Sinto o calor sob o meu rosto, ainda com os olhos fechados estico o braço esquerdo e apalpo o lado esquerdo da cama. Não tem ninguém.

Abro os olhos e sento na enorme cama de casal, os lençóis sempre brancos e impecáveis, mas que escondem a pior das sujeiras. Na mesa da cabeceira vejo os fracos de remédios e um copo com água, assim como nos dias passados, eu pego as pílulas brancas e vou até o banheiro, sem pensar duas vezes a jogo no vaso sanitário e aciono a descarga.

Ao sair do quarto sinto o cheiro dos ovos fritos vindo da cozinha, caminho devagar enquanto uma música melancólica toca ao fundo. Pedaços de maças são jogados no mixer que começa a produzir aquele barulho típico.

- Hoje eu faço o suco – anuncio quando entro no cômodo.

Um sorriso de canto surge em seus lábios, como se não quisesse discutir apenas levanta as mãos e joga o avental para que eu possa assumir o comando.

Vou à geladeira e pego as folhas, depois de lavar o mixer coloco dentro e adiciono bastante açúcar. O suco verde embrulha meu estômago. Mas não sou eu que irei beber. Sirvo em dois copos grandes e levo até a mesa que já está servida.

Comemos os ovos, as frutas e as panquecas, tudo parece está melhor que das últimas vezes, mas eu anseio que o suco seja tomado, o meu continuará intacto e quando eu vejo o copo sendo levado até seus lábios, aquele sorriso torto surge novamente. Os meus olhos se estreitam e a minha garganta começa a arder, sinto o meu estômago borbulhar e o vômito atinge a mesa, sem saber o motivo vejo entre a baba verde pedaços da folha que eu usei.

Volto o meu olhar para cima e aquele sorriso continua enquanto a sua mão levanta o copo como um brinde e vejo aquela boca sussurra o meu nome: Belladonna.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Obs: Belladona é uma planta extremamente tóxica.

Apreciadores (2)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de Victoria C

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Mistério

Outras obras do gênero Suspense

Outras obras do gênero Terror ou Horror