Significados
Julih
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 05/08/16 23:34
Editado: 03/03/18 20:54
Gênero(s): Reflexivo Romântico
Avaliação: 8.8
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 11
Comentários: 6
Total de Visualizações: 978
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 330
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Significados

Na ponta do caranguejo, imaginando por entre as nuvens de gases ali presentes, fico me perguntando, qual espaço eu ocupo entre essa imensidão, melhor ainda, qual espaço meu amor por ti consegue ocupar, dentro desta vastidão?

Eu talvez devesse viajar até Hélix e me perguntar, quem está aí me observando?! Não me olhe tanto assim, me sinto tímida! Ou, talvez eu que tenha observado demais tal beleza?

Nos rastros do já foi criado uma vez nesse universo (in)finito, eu me perco nos meus pensamentos: o quanto você já sofreu por conta de suas diferenças?

Me desculpe se estou sendo inconsistente, é que apenas não consigo me concentrar com tantas coisas passando em minha mente, junto ao cavalgar do cavalo, que talvez seja um pinguim. Quem sabe eu devá estudar mais, ao invés de simplesmente tentar achar um sentido para enormes aglomerados de gases.

Porém, eu ainda espero, quem sabe, encontrar um motivo para que eu te sinta seguro, dentro essas enormes colossais belezas - mesmo que algumas sejam apenas um aglomerado de números e letras, simbolizando coisas tão banais -, eu queria poder entender qual a grande diferença entre o seu olho e o meu, além do olho daquele gato que passou por entre o Dragão.

Talvez sua visão seja diferente, quem sabe um Eskimó entenderia, quem sabe eu pudesse usar um Bumerangue para que meus sentimentos fossem e voltassem nessa imensidão. Diga-me, alguém me escuta nesse enorme espaço vazio?

Alguém pode me explicar, me fazer entender?

Eu queria um sentindo, quem sabe eu o encontre por entre a Tarântula, mas não acho que tenha sido desta vez. Talvez, por fim, uma última tentativa. Ainda há esperanças?

Acho que sou tão banal quando Órion. Não há sentido ou forma, talvez beleza, em sua espalhafítude pelo espaço. Talvez eu devesse caçar mais, buscar mais, tal como o Órion verdadeiro, mas por enquanto gostaria de ser a sua nebulosa presente em seu cinto - para que, eu enfeite o que não deixa suas calças caírem.

❖❖❖
Notas de Rodapé

O tema utilizado no texto foi "Nebulosa". :D

Apreciadores (11)
Comentários (6)
Comentário Favorito
Postado 07/08/16 22:05

Não sei se sou eu quem está brisada para não encontrar brisa no texto, ele parece normal. Normal nos seus padrões, claro u.u

Moça, que texto incrível. Sério, só depois de pesquisar o que era uma nebulosa que notei que as palavras que de início pareciam aleatórias na verdade eram os nomes dessas benditas nebulosas. Foi uma viagem e tanto de um espaço a outro, questionando, respondendo, fazendo hipóteses, concluindo. No final, uma frase cotidiana que termina todo o divagar da narradora procurando buscar seu eu nessa imensidão galáctica.

Está incrível, Julih, acho que já disse isso, então vou dizer que está espetacularmente incrível, parabéns! <3 <3

Postado 07/08/16 22:24

SIM, ERAM OS NOMES AHUAUHAUAUH

Awn, para mim é bem brisado ahuuaauhauhaa. Muito obrigada por esse comentário tão carinhoso <3

Postado 06/08/16 09:48

Eu queria era o cogumelo com o qual tu fizeste o chá pra escrever esse texto, hehehe. Tá bem louco, hehehe.

Parabéns!

Postado 06/08/16 13:52

Shiiii, não comenta em publico, é ilegal (ainda).

Postado 07/08/16 17:27

Gostei da sinopse, bem interessante. MORRI DE RIR com a tag, noss. Mas relaxe, não foi mais fumado do que Alice no País das Maravilhas.

Mas, poxa, eu gostei do texto! Bom tema, boa escrita. Quem não se sentiria confuso nesse universo enorme e cheio de mistérios?

Parabéns pelo texto e boa sorte no desafio!

Postado 07/08/16 17:41

Auhauhahauhauha mas a tag faz juz, e muito, ao texto! UHAuhahuauhaahu

Obrigada <3

Postado 22/08/16 22:10

Alguém andou consumindo substâncias suspeitas não é mesmo ? Hahaha

Brincadeiras a parte, lindíssimo texto, perdoe a demora para ler, mas está lido, e admirado com certeza, parabéns Julih, você é ótima!

Postado 22/08/16 22:30

Só por que eu tô comendo cogumelos (normais) agora mesmo?!

Muito obrigada ;D

E a brisa mora em mim. Sem nem maconha, nem cogumelo.

Postado 28/08/16 15:08

Porque escrever sobre a brisa é o que há de melhor neste estranho universo misterioso. Mana, já lhe disse, não use drogas sem mim u.u

Enfim, amo a espontaneidade da tua escrita e identidade que as tuas palavras tem. Quem te conhece e lê tuas obras, sabe exatamente que elas são a extensão de teu jeito meigo e meio maluco, rs.

Parabéns, maninha <33

Postado 28/08/16 18:03

Não espalha, xiiiiii, eu te convido .q

Sabrina Fofosa <3 Obrigada pelo comentário, mana <3

Postado 31/01/18 22:05

Podia jurar que no começo seria algo envolvendo substâncias químicas e suas reações... Talvez seja e eu não estou sabendo lidar, aliás, vou roubar a frase da protagonista: quem sabe eu deva estudar mais. É interessante o acerve de referências citadas nesse texto, e o mais incrível é a maneira como tudo condiz, como tudo deixa de significar.

Adorei a forma como você compara o protagonista com variadas referências; é tudo um pouco, é um pouco de tudo.

Postado 09/02/18 10:46

No final, é tudo parte de algo, que volta ao início!

Obrigada pelo comentário <3